Truculência do governo Beto Richa e Rossoni gera pelo menos duas mortes de trabalhadores

mst2

Na tarde de hoje (7) ocorreu uma emboscada contra trabalhadores sem-terra do acampamento Dom Tomás Balduíno, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, em Quedas do Iguaçu, região central do Paraná, o que gerou pelo menos dois mortos e vários feridos.

Seguranças e jagunços da empresa Araupel armaram a emboscada, com participação do Bope e da Polícia Militar (a mando do secretário da Casa Civil Valdir Rossoni, do governo Beto Richa do PSDB), de acordo com o movimento.

A emboscada ocorreu fora do acampamento, mas no interior da área da ocupação.

Neste momento a PM não deixa que os demais trabalhadores salvem os feridos, dizendo que vão atirar, o que está gerando um clima de guerra.

O local dos homicídios fica distante da cidade, sem sinal de celular ou rádio.

Mais notícias no site do MST e Jornal Brasil de Fato.

Foto de Joka Madruga

MST do Paraná em outro momento. Foto de Joka Madruga

Anúncios

FHC confessa pressão da Globo em 1996 para privatizar a Vale

size_590_ex-presidente-fhc-nova

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acabou de lançar o livro “Diários da Presidência, 1995-1996”, Volume 1, pela Companhia das Letras. Nessa obra FHC confessa que no início de seu governo, em 1995, ele não estava totalmente convencido de que privatizaria a empresa estatal Companhia Vale do Rio Doce, “não que tenha alguma reação antiprivatista, mas porque ela é um instrumento muito grande de coordenação de políticas econômicas” (p. 78).

Informa que os ex-presidentes Geisel (p. 102), Itamar Franco (p. 451 e 534) e José Sarney (p. 388 e 799) eram contrários à privatização. Sarney chegou a tentar aprovar no Senado uma norma de que o próprio Senadora poderia proibir privatizações de determinadas empresas estatais (p. 801).

Confessa que toda a sua equipe econômica queria a privatização: José Serra, Pedro Malan, Banco Central e Pérsio Arida (p. 388).

Mesmo sendo algo totalmente imoral e patrimonialista, FHC diz com naturalidade que conversava e aconselhava vários grandes empresários sobre como comprar a Vale. Fez isso com Antônio Ermírio de Morais (p. 752) e outros empresários (p. 852).

Após pressão do jornal O Globo em 1996, por meio de editorial (p. 527), FHC decidiu vender a empresa estratégica.

A Vale acabou sendo privatizada em maio de 1997 por apenas R$ 3,3 bilhões para o consórcio Brasil liderado pela CSN de Benjamin Steinbruch, fundos de pensão como a Previ, Petros, Funcef e Funcesp, o banco Opportunity e o fundo Nations Bank. O dinheiro foi para o superávit primário e dar uma folga no orçamento, antes das eleições para prefeito de 1996.

Essas informações são essenciais em tempos do maior desastre ambiental de todos os tempos no Brasil, provocado pela Vale, privatizada em tempos de FHC.

Tucano arquiva Impeachment de Richa no Paraná

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), o governador Beto Richa (PSDB) e a Primeira Dama Fernanda Richa

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), o governador Beto Richa (PSDB) e a Primeira Dama Fernanda Richa

O Diário Oficial da Assembleia Legislativa publicou em sua edição de nº 905, do último dia 15 de julho, as decisões do presidente da Casa, deputado Ademar Traiano (PSDB), que negam seguimento e determinam o arquivamento de três pedidos de Impeachment do governador Carlos Alberto Richa, vulgo Beto Richa (PSDB), por crime de responsabilidade diante do Massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015.

O primeiro dos pedidos, formulado por Ricardo Silveira Pinto, foi rechaçado por inépcia da petição inicial, pois o tucano alega ausência de documento que comprove a situação de quitação eleitoral do denunciante, entre outros pressupostos formais previstos na Lei 1.079/50 e igualmente desatendidos, por ausência de indícios e elementos probatórios e, ainda, por conter imputação meramente opinativa sobre a conduta política do governador do Estado.

De acordo com a sustentação do presidente do Legislativo estadual, o simples fato de alguém exercer posição de superioridade hierárquica na estrutura político-administrativa não o torna responsável por quaisquer ilícitos eventualmente praticados por seus subordinados, estes, no caso, detentores de “plena liberdade funcional no desempenho de suas funções, com prerrogativas próprias e legislação específica” – ou por outros agentes públicos que integram a estrutura organizacional da administração pública direta ou indireta. “Neste sentido”, segundo o presidente Ademar Traiano, “é indispensável a demonstração do conhecimento dos fatos e sua participação nas condutas, o que não se verificou na inicial”.

A segunda denúncia, encabeçada pelo advogado e professor universitário Tarso Cabral Violin, autor do Blog do Tarso, e subscrita por outros interessados, foi repelida pelas mesmas razões que a primeira, inclusive pelo não atendimento dos pressupostos formais previstos nos artigos 14 e 16 da Lei 1.079/50, necessários para a apresentação de denúncia dessa natureza.

Traiano mente ao dizer que os pressupostos formais não foram atendidos.

Além disso Traiano não se utilizou das provas que estão com o MP contra Richa, conforme pedido expresso de Tarso no MP e na própria AL.

Segundo o tucano a denúncia ainda careceria de indícios e de elementos probatórios, e conteria imputação meramente opinativa sobre a conduta política do chefe do Poder Executivo estadual. “Nesse sentido, a denúncia não pode prosperar. As alegações de prática de crime de responsabilidade pelos Denunciantes, em verdade, limitam-se a um conjunto de manifestos de sua própria autoria e de observações apostas a sítios da web, que comprovam exclusivamente o seu inconformismo com a atuação da Polícia Militar na contenção da manifestação”, justifica o presidente.

Com isso Traiano desrespeita posição do Ministério Público do Paraná, que entende que Richa cometeu crime de responsabilidade no Massacre, por omissão. Também vai contra a posição de grandes juristas brasileiros.

A terceira denúncia contra o governador por crimes de responsabilidade foi apresentada pelo deputado estadual Requião Filho (PMDB), e teria como base cinco fatos: alteração do Fundo Previdenciário dos servidores públicos; violência contra professores grevistas; infração à lei orçamentária (em face de sua alteração pela Lei 18.468/15); frustração de decisões judiciais (pagamento de precatórios); e infração às normas legais (no preenchimento de cargos na Sanepar e na Cohapar) – e ainda por supostas irregularidades em campanha eleitoral.

O pedido não foi acolhido, por ausência, novamente, de indícios e elementos probatórios, e ainda por parte dos atos objeto da denúncia remeterem a mandato que não o atual. “Os atos objeto da denúncia devem ter ocorrido no mandato em curso (a partir de 1º de janeiro de 2015) para que possam ensejar a instauração de processo por crime de responsabilidade”, destacou Ademar Traiano. A denúncia, neste caso também, conteria imputação unicamente opinativa, sobre a conduta política do governador Beto Richa.

A decisão absurda do tucano, que reconhecidamente é um soldado de Richa na Assembleia, será questionada judicialmente.

 

PSDB abandonou Beto Richa

teotonio-beto-richa-geraldo-alckmin-e-aecio

O PSDB abandonou o governador tucano do Paraná, Beto Richa, após o Massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano (PSDB), disse que o que aconteceu na Praça Nossa Senhora de Salete não era de sua responsabilidade, mas sim do governo do Estado.

O senador do Paraná, Álvaro Dias (PSDB), ex-governador do Paraná, que mandou soltar cavalos nos professores em 1988, disse que “não tem comparação” entre o seu massacre e o Massacre do Centro Cívico do dia 29 de abril: “Hoje (29), é muito mais grave. A reação da polícia militar foi desproporcional”.

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) disse que as imagens são impressionantes e que aparentemente houve exageros.

O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), criticou a fala de Richa e disse que uma ação policial não pode ser considerada positiva se houve um saldo de pessoas feridas.

O editorial do jornal Folha de S. Paulo, um folhetim do PSDB de São Paulo de José Serra e Geraldo Alckmin, disse hoje que o “Governador tucano [Beto Richa] se reelegeu após devastar as finanças do Paraná e agora recorre a truculência policial contra revolta de servidores”.

Cresce a possibilidade de Impeachment, de intervenção federal ou de responsabilização criminal contra Richa.

O secretário de segurança Fernando Francischini (Solidariedade), provavelmente perderá o cargo e voltará a ser deputado federal, na defesa da diminuição da maioridade penal, do armamento livre para os cidadãos, do Direito Penal máximo e da privatização de presídios. Ele também será, provavelmente, responsabilizado criminalmente.

Dia 05 de maio (terça) 9h, na Praça 19 de Dezembro, ocorrerá um ato nacional em defesa dos professores, curta no Facebook.

PSDB quer acabar com o concurso público para professores nas escolas

9ee5cfca92cc61a326ffedb0829c5ac1

O governador Marconi Perillo (PSDB) de Goiás pretende privatizar a educação pública do estado por meio de organizações sociais – OSs.

Com isso o Estado não precisaria mais fazer concurso público para a contratação de professores e demais servidores.

O STF recentemente entendeu que isso é possível, ao considerar como constitucional a Lei das Organizações Sociais em julgamento de ADIn.

Recentemente o governo federal negou que vá utilizar o modelo nas universidades federais.

Caberá agora cada estudante, professor, servidor e cidadão, combater politicamente e judicialmente as tentativas de terceirização que governos neoliberais-gerenciais façam na educação, saúde, cultura e pesquisa científica.

Advogado blogueiro anti-PT recebe R$ 70 mil por mês do governo Alckmin (PSDB)

teotonio-beto-richa-geraldo-alckmin-e-aecio

Tucanos adoram pagar com dinheiro público os meios de comunicação, para a defesa de seus interesses

Os governos do PSDB costumam despejar milhões de dinheiro público na velha mídia, como a Rede Globo e a Revista Veja, para que esses meios de comunicação defendam os tucanos e ataquem seus adversários, principalmente o PT, Dilma e Lula.

O governador Beto Richa (PSDB) faz isso aqui no Paraná, com a Gazeta do Povo e a RPC/Globo.

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) também faz isso com a Revista Veja e demais meios de comunicação.

Pois agora se descobriu que Alckmin se utiliza de muito dinheiro público também para comprar blogueiros anti-PT.

Um advogado e blogueiro Fernando Gouveia, que ataca o Partido dos Trabalhadores na rede mundial, recebe há dois anos R$ 70 mil por mês por serviços de comunicação prestados ao governo paulista.

O privilegiado é dono da Appendix Consultoria, criada em janeiro de 2013 e que começou em junho a receber pagamentos da Subsecretaria de Comunicação, subcontratada pela agência de publicidade Propeg, que cuida da propaganda do governo estadual.

Fernando Gouveia ataca os adversários de quem paga mais. Já trabalhou durante três anos no setor de comunicação da Prefeitura de São Paulo, na gestão de Marta Suplicy (PT), trabalhou no gabinete da ex-vereadora Soninha Francine (PPS, ex-PT).

Informo que o Blog do Tarso não é pessoa jurídica e nunca recebeu dinheiro de ninguém para fazer críticas ou apoios. Aqui defendemos princípios da justiça social e redução das desigualdades, contra o neoliberalismo, e apoiamos políticas públicas que se coadunem com o Estado Social e criticamos os entreguistas neoliberais.

Uma das defesas do Blog do Tarso é que o dinheiro de publicidade oficial seja democraticamente distribuído entre os vários meios de comunicação, inclusive com fomento para as rádios e TVs comunitárias, blogs, jornais de estudantes, sindicatos, etc. Mas de forma democrática, e não para ataques e defesas políticas.

Tea Party tucano

 

charge-bessinha_cerra-tea-party1

Por BERNARDO MELLO FRANCO, na Folha de S. Paulo de 24.03.2015

Na semana passada, as grandes atrizes Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg se beijaram na novela das nove. As duas têm 85 anos e interpretam um casal de senhoras que vivem juntas, como acontece em muitos lares brasileiros.

Um deputado do PSDB, o pastor João Campos, descreveu a cena como um “estupro moral” destinado a “afrontar os cristãos”. Líder da Frente Parlamentar Evangélica, ele pediu aos fiéis que boicotem a novela e seus anunciantes. Se for obedecido, milhões de donas de casa terão que mudar de canal e marca de xampu.

Nesta terça, a Comissão de Educação da Câmara fará uma audiência pública para discutir a “doutrinação política e ideológica nas escolas”.

Um deputado do PSDB, Izalci Ferreira, marcou a sessão. Por telefone, ele explicou que o governo tem usado professores e livros didáticos para pregar o homossexualismo e “transformar o Brasil na Venezuela”. Perguntei que ideologia o preocupava tanto. “Não sei se é comunista, anarquista ou socialista. É uma mistura”, ele respondeu, antes de citar a sobrinha de 5 anos como vítima da doutrinação. “Outro dia, ela pegou um livro para colorir e estava cheio de estrelinhas. Quando vi, ela tinha colorido todas de vermelho”, contou o tucano, dizendo-se indignado.

No último dia 13, parlamentares discursaram sobre as manifestações marcadas para o domingo seguinte.

Um deputado do PSDB, Delegado Waldir, acusou o governo de censurar um artigo de Arnaldo Jabor. Passou a ler um texto primário, falsamente atribuído ao cineasta. “Tudo fica ridículo diante da ditadura, ditadura mesmo, do lulopetismo, a maior ditadura do mundo”, esbravejou, na tribuna. “O Brasil é uma ditadura!”, bradou outras quatro vezes.

Uma direita tacanha está sequestrando o partido de Covas, Montoro e FHC. Se Aécio Neves não explicar aos colegas que o Estado é laico e que a Guerra Fria acabou, corre o risco de disputar as próximas eleições em um Tea Party tupiniquim.

Depois de assumir discurso neoliberal e reacionário, hoje o PSDB também virou golpista ao apoiar o dia 15

serra_alckmin_fhc_aecio01

O PSDB foi criado em 1988 por membros do PMDB que eram contrários a José Sarney e Orestes Quércia, para a defesa da social-democracia. Para chegar ao poder, se aliou ao PFL (ex-PDS, ex-ARENA, atual Democratas) e abraçou o neoliberalismo em 1994 com Fernando Henrique Cardoso para ganhar de Lula do Partido dos Trabalhadores. Governo FHC que comprou os deputados federais para aprovar a reeleição do então presidente em 1998, para vencer a chapa Lula/Leonel Brizola (PDT). Em 2002 com José Serra, em 2006 com Geraldo Alckmin e em 2010 novamente com Serra o PSDB abraçou não apenas o neoliberalismo, mas também um discurso conservador e reacionário. Hoje o PSDB decidiu assumir também o discurso do golpe contra a presidenta Dilma Rousseff (PT), democraticamente reeleita em 2014. Veja sua nota oficial:

Nota oficial do PSDB sobre as manifestações populares convocadas para o dia 15 de março

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) se solidariza com as manifestações de indignação dos brasileiros diante da flagrante degradação moral e do desastre econômico-social promovidos pelo governo Dilma Rousseff.

O PSDB defende a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março em todo o país.

Mais do que uma garantia constitucional, a liberdade de pensamento e de crítica é fundamento essencial para o fortalecimento da vida democrática e o enraizamento social dos valores republicanos.

O PSDB repudia a atitude daqueles que, em nome de seus interesses partidários, cerceiam e deturpam o direito à livre manifestação, e tentam convencer a população de que a crítica aos governantes se confunde com atentados contra a ordem institucional e o Estado de Direito.

Na verdade, ao contrário de que alguns tentam fazer crer, os protestos que ocorrem nas redes sociais e nas ruas não defendem um terceiro turno, mas a rigorosa apuração de responsabilidades sobre a corrupção endêmica incrustrada no corpo do estado nacional, e cobra o abandono dos compromissos assumidos publicamente com a população. São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises.

Acreditamos que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Por isso, o PSDB, através de seus militantes, simpatizantes e várias de suas lideranças participará, ao lado de brasileiros de todas as regiões do país, desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação da sociedade brasileira.

O PSDB reitera seu compromisso com todos os que desejam um país mais forte, íntegro, justo, solidário e democrático.

Senador Aécio Neves
Presidente Nacional do PSDB

Senador Cássio Cunha Lima
Líder do PSDB no Senado Federal

Deputado Carlos Sampaio
Líder do PSDB na Câmara dos Deputados

Empresários milionários e tucanos organizam o golpe para o dia 15

regime-militar

Empresários milionários de Curitiba locaram caminhões de som para divulgar o ato golpista do dia 15, além de pagar milhões em outdoors de divulgação por toda a cidade e distribuição de panfletos apócrifos. Tudo com apoio do governador Beto Richa (PSDB), seu exército de comissionados e demais privilegiados e coxinhas da cidade.

Dia 13, 17h, na Praça Santos Andrade, os trabalhadores e movimentos sociais estão organizando um ato em defesa da democracia, da Petrobras, da reforma política popular, dos direitos dos trabalhadores e contra o golpe.

Quando um tucano prometer aprimorar um banco estatal, ele na verdade vai privatizá-lo

carta de covas aos banespianos-2

Os tucanos e seus seguidores privatizam todas as empresas estatais que vêem na frente. FHC privatizou quase tudo, e só não privatizou a Petrobras e Banco do Brasil por falta de tempo, Jaime Lerner (ex-PFL, apoiado pelo PSDB) no Paraná privatizou o Banestado para o Itaú, e Mario Covas (PSDB) privatizou o Banespa para o Santander.

O problema é que Covas prometeu em campanha que iria aprimorar o Banespa, e na verdade o privatizou.

As principais políticas públicas de fomento ao pequeno agricultor e aos pequenos comerciantes se fazem por meio dos bancos estatais, como Caixa Econômica Federal, BB e BNDES.

Deixar esses bancos nas mãos de governos tucanos significa presenteá-los ao mercado financeiro, como propõe Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central de FHC e que seria o Ministro da Fazenda de Aécio Fraga diz que sobraria muito pouco dos bancos estatais federais se Aécio vencesse as eleições.

Esse é o modelo tucano de governar: ao invés de aprimorar a máquina pública, privatiza!

Xô Aécio.

Dilma 13 em 26 de outubro!

Crime Ambiental em São Paulo

Captura de Tela 2014-10-20 às 00.29.31

Por Georghio Tomelin, advogado em São Paulo

Estamos vivendo um crime ambiental sem precedentes em São Paulo. Desde que começou esta crise hídrica, tomamos muitas medidas de economia de água. A conta global do prédio onde moro caiu de 5 mil por mês para 1300, e agora 800 reais. Claro que o desconto concedido pela Sabesp ajudou muito na redução da despesa (e essa foi uma importante iniciativa do Governo do Estado que incentivou algumas pessoas).

Também paramos de usar as descargas dos vasos sanitários (50 litros por vez), dando prioridade para água recolhida do banho e das pias (com baldes e bacias de todos os tamanhos) para a função de descarga. Isso reduziu muito o gasto de todo o prédio. Passamos a tomar banhos rapidíssimos (ligando rapidamente a água no começo e no final) e paramos de lavar tudo o que não fosse extremamente necessário.

Enfim. Digo isso para demonstrar que o tema me preocupa. Com crianças pequenas não dá para ficar sem água. A responsabilidade é todos nós, e a falta de chuvas não tem precedentes.

Em São Paulo penso que elegemos “rapidamente” o Gov. Alckmin do PSDB para que ele pudesse começar imediatamente o rodízio de água. Somente o rodízio pode salvar a Cantareira do risco de extinção. Esses limites de volume morto (nunca utilizado antes) protegem a represa. A tal reserva é o que mantém viva a represa. Se não houver gestão séria da área, o terreno seco impede a retomada do acúmulo de água.

Aquela área da represa pode sim se transformar num deserto, e nunca mais voltar a encher. É um problema do ciclo das águas. Por esta razão está havendo tanto conflito entre o Governo do Estado (Sabesp), o Ministério Público e a Agência Nacional de Águas. O manancial precisa ser protegido e gerido de maneira responsável, o que não está sendo feito pelo Governo do Estado.

Se somos muitos em São Paulo. Se construímos demais. Se impermeabilizamos a cidade toda, temos que arcar com os ônus que criamos. No prédio onde moro, todos estamos suportando já a consequência da irresponsabilidade coletiva. Ninguém tem culpa individualmente, mas o síndico tem que se movimentar.

O mais grave nisso tudo é a postura do Síndico-Mor do Estado de SP, retratada na charge da Folha de São Paulo de 18.10.2014. O médico Alckmin está rasgando o diploma que possui (começo a duvidar que tenha mesmo se formado em medicina). A falta de planejamento da Sabesp é algo indizível, para quem administra a água da maior cidade do mundo abaixo da linha do Equador.

A Sabesp (Companhia de Água de São Paulo) não tem nenhum projeto-piloto (ainda que experimental), por exemplo, de dessalinização da água do mar. Utilizar a água do mar 20 anos atrás era caríssimo e quase impossível. Hoje é plenamente viável e já é feito com custos muito reduzidos em vários países. A Sabesp recebeu do Governador do PSDB a diretiva de NEGAR a falta d’água, para não atrapalhar o quadro eleitoral, e assim vem fazendo. Quanta irresponsabilidade!

Quem retorna para casa um pouco mais tarde a noite, vê os caminhões-pipa circulando por todas as ruas (na cidade de São Paulo há restrição de circulação durante o dia). Apesar disso, a mídia pouco fala do tema (e a charge de hoje da FSP é um verdadeiro milagre). O preço do caminhão-de-água (com 10 mil litros em média) pulou de 400 para 600, mil e 1200 reais (em algumas regiões). E a Sabesp continua negando o racionamento. E avança no volume-morto, arriscando secar o leito da represa (o que mata sua função).

Se o rodízio de água tivesse começado antes (em fevereiro, março ou mesmo julho de 2014) quando todo este quadro já era passível com previsões meteorológicas, várias pessoas mais teriam tomado consciência, e começado a poupar água. Isto porque a realidade é triste, mas as pessoas são assim: só se movem quando “a água começa a bater na bunda” (e aqui ela está faltando).

Vamos ficar parados? O risco de perder votos para o PSDB em São Paulo é maior para o Governador do que a saúde da sua população? Reaja !

PSDB de Aécio continua querendo censurar o Blog do Tarso

Os censuradosres Beto Richa e Aécio Neves, hoje em Curitiba. Há denúncias de que servidores comissionados foram liberados mais cendo, em horário de trabalho, para aplaudirem Aécio em bairro nobre de Curitiba. Foto de Henry Milleo/Agência de Notícias Gazeta do Povo

Os censuradores tucanos Beto Richa e Aécio Neves, hoje em Curitiba. Há denúncias de que servidores comissionados do Paraná foram liberados mais cedo, em horário de trabalho, para aplaudirem Aécio em bairro nobre de Curitiba. Foto de Henry Milleo/Agência de Notícias Gazeta do Povo

Aécio Neves (PSDB) é famoso ao tentar em várias oportunidades censurar a internet, o Google, as redes sociais, blogueiros e ativistas digitais. Para ele democracia é o poder que ele tem de comprar os meios de comunicação em Minas Gerais e no país para falarem bem dele e de seus medíocres governos.

Beto Richa (PSDB), o governador reeleito do Paraná, segue o mesmo caminho. Seu grupo, incluindo advogados comissionados que ganham mais de R$ 10 mil reais dos cofres públicos nos períodos de pré e pós campanha, já conseguiram que o TRE-PR multasse o Blog do Tarso em R$ 106 mil por duas simples enquetes. O autor do Blog, Tarso Cabral Violin, tenta de todas as formas no TSE anular essa multa que pode simplesmente “matar” o Blog do Tarso, que não tem finalidade lucrativa e nem pessoa jurídica é.

No primeiro turno Beto Richa já conseguiu censurar na Justiça Eleitoral um post do Blog do Tarso que denunciava que a família Richa iria residir no prédio mais caro do Paraná.

Eis que hoje chegou às mãos do autor do Blog do Tarso mais uma tentativa de censura do PSDB. A coligação estadual com o partido de Aécio, do DEMO (ex-PFL, ex-PDS, ex-ARENA) e PSB (partido de aluguel de Marina Silva), tentou conseguir uma liminar nas vésperas do primeiro turno para tentar censurar um post do Blog do Tarso que simplesmente informava que um candidato a deputado federal no Paraná tinha chances de ser eleito, segundo o DIAP.

O PSDB de Aécio Neves, que não conseguiu, por enquanto, censurar o post, quer que Tarso Cabral Violin seja condenado a pagar entre R$ 53.205,00 (cinquenta e três mil e duzentos e cinco reais) e R$ 106.410,00 (cento e seis mil e quatrocentos e dez reais) (Lei nº 9.504/97, art. 33, § 3º).

O juiz auxiliar Lourival Pedro Chemin negou a liminar com o anti-democrático pedido do PSDB do Paraná e agora Tarso Cabral Violin tem apenas 48 horas para se defender. Ainda bem que contará mais uma vez com a defesa de um dos maiores advogados do Direito Eleitoral do país, o Dr. Guilherme Gonçalves.

Se essa gente faz isso sem estar no Poder Federal, imaginem se vencessem a eleição?

Veja vídeo sobre FHC e nunca mais vote no PSDB e no Aécio Neves

No vídeo acima a imprensa internacional e a mídia alternativa mostram como FHC quebrou o Brasil, engavetou a corrupção em seu governo, dilapidou os bens nacionais com a Privataria Tucana, que foi a “maior roubalheira da América Latina”, foi culpado pelo apagão de energia e não fez programas sociais. Mostra que vários presidentes latino-americanos que privatizaram as estatais na década de 90 estão presos, FHC não, chamado de estelionatário, junto com tucanos que querem voltar ao poder. E claro, explicita o quanto nossa velha mídia é partidária a favor dos governos do mercado financeiro, mesmo sem confessar.

Captura de Tela 2014-10-07 às 16.05.30

PT continua sendo o maior partido da Câmara dos Deputados e o segundo do Senado

i047539_272

O Partido dos Trabalhadores continua sendo o maior partido na Câmara dos Deputados e o segundo no Senado Federal.

O PT tinha 88 deputados federais na Câmara dos Deputados e agora tem 70, tinha 13 senadores e agora tem 12. É o partido com mais deputados federais e o segundo em número de senadores.

O PMDB é o segundo em número de deputados federais (tinha 71 e agora 66) e o PSDB o terceiro (de 44 para 54).

No Senado Federal o PMDB é o primeiro (tinha 19 e agora 18), e o PSDB o terceiro (caiu de 12 para 10).

Mas claro que mesmo com esse número expressivo de deputados e senadores do PT e PMDB no Congresso nacional, um governo de coalização deve conquistar apoio de outros partidos para governar. É natural em uma democracia.

Aécio Neves perdeu hoje mais de 80 milhões de votos dos brasileiros #AécioPerdeu80milhões

tucanos-aliados-convencao-2

FHC apoiou Aécio e o fez perder mais de 80 milhões de votos

Pesquisa do Datafolha informa 57% dos brasileiros não votariam em alguém apoiado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que é o campeão da rejeição no país (pesquisa entrevistou 4.337 eleitores entre os dias 3 e 5 de junho de 2014, em 207 municípios, com margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, registrada no TSE com o nº BR-00144/2014).

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o Brasil tem hoje de população aproximadamente 202.703.000. Mas não são todas essas pessoas que podem votar.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 2014 são 141.824.607 eleitores no Brasil.

Hoje o PSDB confirmou o senador Aécio Neves como o pré-candidato ao cargo de presidente do Brasil.

O problema é que no mesmo evento, conforme o vídeo abaixo, amplamente divulgado nas TVs e rádios do país, o FHC entrou na campanha do tucano.

FHC é considerado um dos piores presidentes do Brasil de todos os tempos, por causa das privatizações, por ter precarizado a Administração Pública, deixado o Brasil com uma imagem muito ruim no exterior, altas taxas de desemprego, programas sociais tímidos, deixou o governo com alta da inflação (reduzida pelo seu antecessor, Itamar Franco), e principalmente pelo seu governo ter comprado o voto de deputados federais por R$ 200 mil para a aprovação da possibilidade de sua reeleição, por meio de emenda constitucional, quebrando as regras do jogo democrático.

Com esse apoio, como 57% dos eleitores brasileiros não votarão em um candidato apoiado por FHC, Aécio acabou de perder 80.840.026 votos no dia de hoje.

Veja o vídeo que inviabiliza a campanha de Aécio, ao mostra FHC o apoiando:

No Paraná Aécio Neves e FHC vão apoiar o atual governador Beto Richa, que quebrou o estado e vai ter sérias dificuldades na reeleição.

Agora é #AécioPerdeu80milhões.

Em época de Copa do Mundo, lembram que o Brasil em 1970 tinha 90 milhões de habitantes? Mais um pouco e o Aécio perdeu uma Copa do México de 70 hoje. #AécioPerdeuCopa70

Tucanos vão privatizar a privatização e para privatizar a saúde criticam a privatização via OS, mas continuam privatizando

teotonio-beto-richa-geraldo-alckmin-e-aecio

Os tucanos querem privatizar tudo

Parece piada mas não é!

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) de São Paulo vai privatizar via Parcerias Público-Privadas a já privatizada rede pública do estado, e para privatizar a saúde via PPP critica a privatização via organizações sociais, mas vai continuar privatizando via OS.

Uma ótima denúncia de da jornalista Conceição Lemes do Viomundo de Luiz Carlos Azenha.

O neoliberalismo-gerencial implementado no Brasil pelos governos dos presidentes Fernando Collor de Mello (PRN) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) está cada vez mais se alastrando na saúde pública do país, como uma doença, graças a governos estaduais e municipais neoliberais (inclusive de alguns que se dizem de centro-esquerda).

Se já não bastassem as inconstitucionais organizações sociais – OS, criadas no governo FHC e já uma praga na saúde pública de São Paulo, agora os tucanos estão se utilizando das Parcerias Público-Privadas para privatizarem os hospitais e demais unidades de atendimento médico estatais.

É muito simples para os neoliberais com preguiça de administrar a coisa pública: são repassadas todas as atividades-meio das unidades de saúde para empresas privadas com finalidade lucrativa, que vão administrar a unidade por muitos anos, cobrando caro dos cofres públicos. É a Concessão Administrativa das PPPs.

Como os tucanos não são tão incompetentes assim, e pagam caro para caríssimos escritórios de advocacia para consultorias na área, eles sabem que as atividades-fim dos hospitais não podem ser terceirizadas. É a chamada “bata cinza” como serviços de lavanderia, limpeza e desinfecção, telefonia, nutrição, vigilância, portaria e recepção. Mas vao privatizar essas atividades via PPPs, com prazo do contrato de 20 anos e custo estimado de R$ 5,1 bilhões para os cofres públicos do estado.

Empresas multinacionais e bilionárias vão poder gerir a saúde no estado, com altos lucros para o grande capital, sem riscos, tudo regado com muito dinheiro público.

Além de garantir altos lucros para empresários e todos que circundam esses empresários, o governo tucano paulista concedeu isenção de ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias para a PPP (decreto 59.620/2013).

Pequenos empresários devem pagar o ICMS, mas os empresários tubarões da saúde não precisam. Menos dinheiro de impostos para a saúde pública, educação, etc.

E pior, os empresários da saúde poderão quarteirizar todos os serviços. Ou seja, o vencedor da licitação poderá repassar os serviços para uma empresa derrotada ou que nem participou do certame.

É o negócio dos sonhos!

E agora vem o pior: a Secretária de Saúde governada por Alckmin encaminhou o projeto de lei para a Assembleia Legislativa justificando que o modelo de privatização via OS que eles fizeram até agora “apresentam dificuldades de gerenciamento e custos crescentes”.

Eles mesmos dizem que a privatização via OS é uma farsa, e agora querem fazer um novo tipo de privatização.

PPP-da-Saúde-crítica-ao-modelo-OSs-e1395409814127

E mesmo com as críticas às OS, o governo tucano paulista vai manter a privatização dos serviços de saúde dos hospitais de São José dos Campos e Sorocaba por meio das OSs, e nesses hospitais e em outros implementar as PPPs já citadas, para atividades-meio.

E uma triste notícia para os paranaenses. O atual governador Beto Richa (PSDB), que dificilmente conseguirá se reeleger em outubro, conseguiu aprovação na Assembleia Legislativa das leis estaduais de PPP e OS, e só não conseguiu implementar o modelo por total incompetência dele e de sua equipe.

Sabem por que os neoliberais gostam de terceirizar na Administração Pública?

Para que existam os cidadãos de primeira classe e de segunda classe no Poder Público. Gostam de repassar atividades acessórias para empresas privadas que pagam uma miséria para seus empregados, que quase são escravos, e trabalham como um cão.

Chega de terceirizações! Chega de privatização da saúde via PPP e OS!

Que tal aplicarmos a Constituição Social, Republicana e Democrática de Direito de 1988 e começarmos a aplicar o Estado Social e a Administração Pública profissionalizada ali previstos? Concurso público para a contratação de médicos, enfermeiras, limpeza, etc, com muito controle social e democracia participativa, e que a Administração Pública trate todos os seus trabalhadores como cidadãos de primeira classe!

PT foi o partido que mais cresceu em 2013 e o PSDB o que mais perdeu militantes

mi_5383641375455713

O Tribunal Superior Eleitoral – TSE informa que entre os cinco maiores partidos políticos brasileiros (PMDB, PT, PSDB, PP e PDT), o PMDB e o PSDB perderam filiados.

PSDB perdeu 4 mil tucanos.

PMDB perdeu 1,3 mil filiados.

O PT foi o único dos cinco que teve aumento de filiados acima da média nacional com 37 mil novos militantes.

São 15.252.664 de brasileiros filiados a partidos políticos. Veja o total de militantes de cada partido:

DEM 1.087.843
PC DO B 353.205
PCB 15.274
PCO 2.662
PDT 1.208.445
PEN 7.734
PHS 144.984
PMDB 2.353.586
PMN 210.663
PP 1.415.002
PPL 17.189
PPS 464.930
PR 766.131
PRB 301.995
PROS 4.573
PRP 222.526
PRTB 115.447
PSB 582.585
PSC 370.669
PSD 191.358
PSDB 1.350.387
PSDC 166.886
PSL 200.424
PSOL 89.160
PSTU 16.751
PT 1.588.335
PT DO B 167.865
PTB 1.185.487
PTC 176.447
PTN 129.328
PV 339.963
SDD 4.830
15.252.664

PGR do Ministério Público Federal quer mensaleiro tucano preso por 22 anos. Ele é suspeito de ter criado o Mensalão

20100120160918governador9054ajpg

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, requereu hoje (7) em alegações finais junto ao Supremo Tribunal Federal que o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG) seja condenado no processo do mensalão mineiro a 22 anos de prisão por lavagem de dinheiro e peculato – desvio de dinheiro público.

As conclusões do Ministério Público Federal, que é responsável pela acusação, tem base nas provas colhidas no processo. Ao contrário da decisão do STF na AP 470, que em vários momentos condenou alguns acusados sem provas.

Azeredo é suspeito e acusado de ter participado de um grande esquema de corrupção, para o desvio de verbas e arrecadação ilegal de recursos para a campanha eleitoral do PSDB em 1998, quando perdeu e ajudou na reeleição do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Segundo o procurador-geral, o tucano teve “participação direta, efetiva, intensa e decisiva nos crimes e, além de beneficiário dos delitos cometidos, também teve papel preponderante em sua prática”. E “há elementos probatórios absolutamente suficientes para afirmar com a segurança devida que Eduardo Brandão de Azeredo participou decisivamente da operação que culminou no desvio de R$3,5 milhões, aproximadamente, R$ 9,3 milhões em valores atuais”.

As alegações finais vão ser encaminhadas ao ministro Luís Roberto Barroso, relator do processo. O revisor é o ministro Celso de Mello.