Crime Ambiental em São Paulo

Captura de Tela 2014-10-20 às 00.29.31

Por Georghio Tomelin, advogado em São Paulo

Estamos vivendo um crime ambiental sem precedentes em São Paulo. Desde que começou esta crise hídrica, tomamos muitas medidas de economia de água. A conta global do prédio onde moro caiu de 5 mil por mês para 1300, e agora 800 reais. Claro que o desconto concedido pela Sabesp ajudou muito na redução da despesa (e essa foi uma importante iniciativa do Governo do Estado que incentivou algumas pessoas).

Também paramos de usar as descargas dos vasos sanitários (50 litros por vez), dando prioridade para água recolhida do banho e das pias (com baldes e bacias de todos os tamanhos) para a função de descarga. Isso reduziu muito o gasto de todo o prédio. Passamos a tomar banhos rapidíssimos (ligando rapidamente a água no começo e no final) e paramos de lavar tudo o que não fosse extremamente necessário.

Enfim. Digo isso para demonstrar que o tema me preocupa. Com crianças pequenas não dá para ficar sem água. A responsabilidade é todos nós, e a falta de chuvas não tem precedentes.

Em São Paulo penso que elegemos “rapidamente” o Gov. Alckmin do PSDB para que ele pudesse começar imediatamente o rodízio de água. Somente o rodízio pode salvar a Cantareira do risco de extinção. Esses limites de volume morto (nunca utilizado antes) protegem a represa. A tal reserva é o que mantém viva a represa. Se não houver gestão séria da área, o terreno seco impede a retomada do acúmulo de água.

Aquela área da represa pode sim se transformar num deserto, e nunca mais voltar a encher. É um problema do ciclo das águas. Por esta razão está havendo tanto conflito entre o Governo do Estado (Sabesp), o Ministério Público e a Agência Nacional de Águas. O manancial precisa ser protegido e gerido de maneira responsável, o que não está sendo feito pelo Governo do Estado.

Se somos muitos em São Paulo. Se construímos demais. Se impermeabilizamos a cidade toda, temos que arcar com os ônus que criamos. No prédio onde moro, todos estamos suportando já a consequência da irresponsabilidade coletiva. Ninguém tem culpa individualmente, mas o síndico tem que se movimentar.

O mais grave nisso tudo é a postura do Síndico-Mor do Estado de SP, retratada na charge da Folha de São Paulo de 18.10.2014. O médico Alckmin está rasgando o diploma que possui (começo a duvidar que tenha mesmo se formado em medicina). A falta de planejamento da Sabesp é algo indizível, para quem administra a água da maior cidade do mundo abaixo da linha do Equador.

A Sabesp (Companhia de Água de São Paulo) não tem nenhum projeto-piloto (ainda que experimental), por exemplo, de dessalinização da água do mar. Utilizar a água do mar 20 anos atrás era caríssimo e quase impossível. Hoje é plenamente viável e já é feito com custos muito reduzidos em vários países. A Sabesp recebeu do Governador do PSDB a diretiva de NEGAR a falta d’água, para não atrapalhar o quadro eleitoral, e assim vem fazendo. Quanta irresponsabilidade!

Quem retorna para casa um pouco mais tarde a noite, vê os caminhões-pipa circulando por todas as ruas (na cidade de São Paulo há restrição de circulação durante o dia). Apesar disso, a mídia pouco fala do tema (e a charge de hoje da FSP é um verdadeiro milagre). O preço do caminhão-de-água (com 10 mil litros em média) pulou de 400 para 600, mil e 1200 reais (em algumas regiões). E a Sabesp continua negando o racionamento. E avança no volume-morto, arriscando secar o leito da represa (o que mata sua função).

Se o rodízio de água tivesse começado antes (em fevereiro, março ou mesmo julho de 2014) quando todo este quadro já era passível com previsões meteorológicas, várias pessoas mais teriam tomado consciência, e começado a poupar água. Isto porque a realidade é triste, mas as pessoas são assim: só se movem quando “a água começa a bater na bunda” (e aqui ela está faltando).

Vamos ficar parados? O risco de perder votos para o PSDB em São Paulo é maior para o Governador do que a saúde da sua população? Reaja !

Dilma venceu o debate na TV Record

Captura de Tela 2014-10-19 às 23.58.49

Acabou agora o debate da TV Record e a presidenta Dilma Rousseff (PT) foi a melhor da noite, ao mostrar o quanto Lula e Dilma melhoraram o país e quanto Aécio Neves (PSDB) em Minas Gerais, como governador, e o governo FHC (PSDB) foram ruins nas áreas social e econômica.

Os tucanos representam o atraso, a privatização, a precarização da Administração Pública, a dilapidação do patrimônio público e o entreguismo para o mercado financeiro e as elites econômicas.

Dilma caminha para vencer a eleição no próximo domingo.

Amanhã, 17h, Dilma e Lula em Itaquera, São Paulo

comunicadores com dilma-01

Amanhã (20.10.2014), 17h, ocorrerá um grande ato com Lula e Dilma na Praça Brasil – Cohab 2 – José Bonifácio, em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo.

Veja e confirme presença no evento do Facebook (clique aqui) e também o FB dos Comunicadores com Dilma.

Os Movimentos de Cultura, Comunicação, Juventude, Direitos Humanos e Moradia estarão juntos em um grande ato com a presença da presidenta e do ex-presidente da República.

Alguns desses movimentos vão entregar seus manifestos específicos para a presidenta Dilma. Veja aqui o manifesto dos Comunicadores com Dilma: comunicadorescomdilma.wordpress.com.

A hashtag a ser usada amanhã será #PeriferiaComDilma e #ComunicadoresComDilma.

O Blog do Tarso estará presente no evento.

 

Receita para cura do “coxismo agudo”

get_img

Uma proposta de tratamento, frente à fragilidade do pensamento egoísta no mundo.

Por Ivo Pugnaloni, ivo@enercons.com.br

Nesses últimos dias do segundo turno, aqueles que como eu tem feito campanha com seus parentes, amigos e colegas em favor da permanência de Dilma na presidência, já perceberam que o chamado “pensamento coxinha” é uma nova forma de egoísmo “filosófico” muito fácil de ser combatida.

O “coxismo”, embora inoculado dia e noite na mentalidade dos telespectadores, dos ouvintes de rádio e leitores dos jornais, como se fosse uma gripe artificial, não é assim algo tão forte que não possa ser combatido com menos de quinze minutos de papo descontraído.

Quer saber por que eu digo isso? Continuar lendo