Quinta (31) povo nas ruas contra o golpe

30 mil pessoas foram para as ruas de Curitiba dizer não ao golpe midiático e do judiciário e sim à democracia, com início do ato na frente do Prédio Histórico da UFPR na Praça Santos Andrade. Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Dia 18 aproximadamente 30 mil pessoas foram para as ruas de Curitiba dizer não ao golpe midiático e do judiciário e sim à democracia, com início do ato na frente do Prédio Histórico da UFPR na Praça Santos Andrade. Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Uma grande mobilização nacional vai levar milhares de pessoas às ruas nesta quinta (31). No Paraná os atos acontecerão às 17h, nos seguintes locais:

  • Curitiba, na praça Santos Andrade;
  • Londrina, em frente ao Banco do Brasil, no calçadão;
  • Maringá, na praça Raposo Tavares.

Os atos não serão a favor ou contra o governo federal, mas sim em defesa da Democracia e contra o golpe arquitetado por setores conservadores e reacionários da sociedade.

É golpe porque a presidenta Dilma Rousseff (PT) não cometeu crime de responsabilidade passível de Impeachment. Veja oito razões jurídicas para ser contra o Impeachment de Dilma.

Vivemos um presidencialismo sem recall e o mandato de quem foi democraticamente eleito deve ser respeitado, independentemente se parcela da sociedade não aprova o governo federal ou se vivemos em uma crise econômica e política.

Saia as ruas contra um golpe organizado pelas mesmas elites que tentaram destituir Getúlio Vargas em 1954 e que apearam do poder o presidente João Goulart – Jango em 1964 com o golpe civil-militar.

Anúncios

Ontem a Democracia respirou

IMG_7087

Ontem a democracia brasileira respirou.

Ontem os movimentos sociais mostraram sua força.

Ontem a esquerda e a centro-esquerda brasileira saíram às ruas.

Dos mais variados partidos políticos e movimentos sociais, nas ruas estavam jovens, idosos, militantes, negros, brancos, índios, mestiços, homens e mulheres, pobres, ricos e membros da classe-média, deficientes físicos, pais, mães, filhos, gays e heterossexuais.

Sem censura, com liberdade de expressão, cada um podia portar a bandeira que bem entendesse, da cor que quisesse, seja vermelha, verde e amarela, colorida, desde que defendesse a democracia.

Ontem, durante do ato em defesa da democracia, fui advogado, professor, blogueiro, segurança, DJ (sim, as músicas contestadoras do início do ato eram minhas kkkk).

Conversei, debati, chorei, gritei, cantei, me emocionei.

Todos em defendendo a democracia, não apenas a representativa mas também a participativa e deliberativa.

Todos defendendo as conquistas sociais da Democracia ou conquistas sociais a serem aprimoradas e defendidas.

Dormi bem.

Dormi com a alma lavada.

Mas sabendo que os golpistas não vão facilitar a vida dos democratas.

A Casa-Grande não quer perder os privilégios para a Senzala.

As elites econômicas e midiáticas, que em um país ainda formalmente mas não substancialmente democrático, mandam em setores do Poder Judiciário, do Ministério Público, da Polícia, do Poder Legislativo, e de setores da sociedade civil como OAB, FIESP e Instituto Millenium, não vão “deixar barato”.

Mostramos ontem que estamos preparados!

Amanhã todos nas ruas pela Democracia e conquistas sociais

Local das manifestações amanhã, em defesa da Democracia. Foto de Tarso Cabral Violin

Amanhã (18) os movimentos populares sairão às ruas em defesa da democracia, contra o golpe e pela defesa dos direitos sociais dos trabalhadores, com concentração em Curitiba na praça Santos Andrade, às 18h.

Como já ocorreu em outros momentos de nossa história, como no suicídio do então presidente Getúlio Vargas em 1954 e no golpe civil-militar em 1964, os poderes econômicos e midiáticos estão conseguindo cada vez mais adeptos entre as próprias vítimas do sistema, em sua causa golpista.

Interesses internacionais em nossas riquezas, interesses econômicos de nossa elite econômica que quer a manutenção de seus privilégios e interesses midiáticos na manutenção do seu monopólio têm interesses pouco legítimos. Entretanto, como em outros momentos da nossa história, conseguem apoio de uma classe média analfabeta politicamente e até uma fração da classe operária.

A Rede Globo, a revista Veja, o jornal Folha de S. Paulo, a FIESP, a FIEP, o Instituto Millenium, algumas Seccionais da OAB e outras instituições reacionárias, fascistas e golpistas não aceitam:

1. Que a fome tenha caído 82% no Brasil entre 2002 e 2014 (ONU);

2. Que o Brasil tenha sido o país que mais tirou pessoas da miséria no mundo desde Lula em 2003;

3. Que enquanto a taxa de desemprego, em 2002, deixada por Fernando Henrique Cardoso (PSDB), era de 12,4%, em 2014 (antes dos movimentos golpistas) era de 4,8% e hoje, mesmo com a crise econômica gerada pela crise política dos golpistas é de 8,4%;

4. Que o salário mínimo hoje seja de R$ 880,00, mais de 200 dólares, enquanto que no período de FHC era de apenas 100 dólares.

Elite Branca nas ruas

IMG_6975

Segundo pesquisa do Datafolha com 2.262 entrevistados na Avenida Paulista no dia 13 de março de 2015, a maioria dos que saíram indignados com a corrupção, com o governo da presidenta Dilma Rousseff, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com o Partido dos Trabalhadores, são da elite branca.

Conforme o Datafolha: 

1. Maioria dos participantes eram homens (enquanto que no país a maioria é de mulheres);

2. Maioria com idade superior a 36 anos (poucos jovens);

3. Maioria (77%) possui curso superior (enquanto que no município o índice é de apenas 28% de pessoas com curso superior);

4. Dos entrevistados 12% são empresários (enquanto que na cidade há apenas 2% de empresários);

5. Desempregados na Paulista eram em número menor do que na cidade;

6. Metade dos entrevistados ganham entre cinco e 20 salários mínimos (enquanto em São Paulo o percentual nessa faixa é de apenas 23%);

7. Dos manifestantes 77% são brancos (enquanto que a maioria da população é negra);

8. Para 60% o melhor presidente do Brasil foi Fernando Henrique Cardoso (1995-2002 do PSDB), enquanto que a maioria dos brasileiros entendem que o melhor presidente de todos os tempos foi Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010 do PT);

9. Na Paulista 79% acreditam que Dilma deixará o cargo enquanto que apenas 33% dos brasileiros acreditam nisso.

10. Nessa elite branca 96% concordaram com a ordem do juiz Sergio Moro pela condução coercitiva contra Lula (sendo que a maioria dos juristas entendem que não cabia essa autoritária decisão);

11. Entre os manifestantes 96% querem a cassação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), uma vez que ele já cumpriu seu papel ao abrir o Impeachment de Dilma;

12. Na elite branca a avaliação ruim ou péssima do governo Dilma é de 98%.

Sim, havia negros, pobres e pessoas com pouca educação formal, mas eram minoria.

Dia 16 em Curitiba venha se manifestar pela Democracia

16democracia

O Blog do Tarso, a Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná – ParanáBlogs, o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Baronesa de Itararé, em companhia com militantes e representantes dos movimentos sociais vão juntos com a população às ruas, em todo o Brasil, nesta quarta-feira (16) contra o golpe, pela Democracia e pelo Fora Cunha. Os atos acontecerão nas principais capitais brasileiras e em Curitiba a concentração será às 17h, na Praça Santos Andrade, no centro da capital. Também ocorrerão atos em diversas cidades do interior do estado.

Não será um ato em defesa do governo federal, mas sim um ato suprapartidário, com movimentos de todas as ideologias democráticas, em defesa da República e do resultados das urnas.

Em Curitiba o ato está sendo organizado pelo Fórum de Lutas 29 de abril e a Frente Brasil Popular do Paraná. As entidades congregam representações dos movimentos sociais e centrais sindicais, como a CUT, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), além dos principais sindicatos do Estado.

Veja aqui oito razões jurídicas para sermos contrários ao Imperachment da presidenta Dilma Rousseff (PT).

Assine o manifesto dos juristas contra o Impeachment de Dilma, aqui, com quase 7 mil assinaturas.

Veja aqui o evento do ato no Faceebook

Serviço: Dia Nacional de Mobilização
Data: 16/12/2015
Horário: 17h
Local: Praça Santos Andrade, Centro, Curitiba.

Por que os manifestos golpistas foram um fracasso?

fred-ferreira

Durante o ano de 2015 muita gente saiu às ruas por causas nobres. Educação, saúde, redução da corrupção, redução de tarifas de concessionárias de serviços públicos. Claro que muitos também saíram às ruas pregando o golpe militar, o fascismo com o fim dos partidos políticos, a redução do Estado na prestação de serviços e investimentos sociais, privatizações e outras pautas de fundamentalistas religiosos.

Hoje (13) as manifestações pelo Impeachment da Presidenta Dilma Rousseff (PT) foram um total fracasso, no Brasil inteiro, com menos de 10% dos participantes do movimento de 15 de março de 2015 e de outras datas.

O motivo é simples. Pouca gente que está insatisfeita defende o fim da Democracia, defende o desrespeito contra o voto de milhões de brasileiros ou aceita se misturar com gente como Eduardo Cunha (PMDB), Jair Bolsonaro (PP), Aécio Neves (PSDB) ou Ronaldo Caiado (Democratas), Marco Feliciano (PSD) ou Fernando Francischini (Solidariedade).

Muitos dos que se negaram a sair às ruas vão continuar votando em candidatos da direita como PSDB, Democratas ou PSC, muitos vão continuar a criticar a redução das desigualdades sociais, muitos vão continuar não votando em partidos de centro-esquerda ou esquerda como PT, PCdoB ou PSOL.

Mas boa parte da elite financeira e de seus seguidores, por mais que seja formada de liberais ou neoliberais, não é fascista. E hoje o movimento foi, basicamente, fascista.

No dia 16 os movimentos contrários ao golpe/Impeachment e pelo Fora Cunha vão sair às ruas, com bastante força. Pelo bem da Democracia.

Crime, autoritarismo e privatização

CCkhzOSXIAI3uZ7

O historiador inglês Tony Judt, já falecido, em 2010 parece até que previu as manifestações que estão ocorrendo no Brasil em 2015 de moradores de condomínios de luxo que, ao justificarem a sonegação criminosa de impostos, dizendo que seria uma “legítima defesa”, e defenderem o suposto criminoso deputado Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara dos Deputados, e ao mesmo tempo propondo o golpe militar e a morte de Dilma, Lula e demais brasileiros de esquerda.

Judt, na imperdível obra “O mal ronda a terra”, editora objetiva, ao criticar as privatizações no âmbito da Administração Pública, também o fez quando chamou de “privatização da vida cotidiana”, alertando que as pessoas que vivem em condomínios fechados contribuem ativamente para o enfraquecimento e a corrosão do espaço público e, quando deixamos de valorizar o que é público em benefício do particular, encontraremos com o tempo dificuldade para entender as razões para valorizar a lei, o bem público por excelência, e passaremos a privilegiar a força.

Índice 20150315-20150315-cajtumow8aazkmq

renun-400x206 proxy 15mar2015---manifestantes-erguem-faixa-que-pede-intervencao-militar-durante-protesto-contra-o-governo-da-presidente-dilma-rousseff-na-avenida-paulista-centro-de-sao-paulo-neste-domingo-15-em-1426449068929_956x500

11911113_10206229397229091_1216657810_n

Hoje haverá a manifestação “Sogra Fantasma” no Ecoville/Mossunguê

Captura de Tela 2013-06-26 às 23.30.05

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), escolheu o senhor Ezequias “Sogra Fantasma” Moreira como novo Secretário Especial do Cerimonial e Relações Internacionais do Paraná. Ezequias é o pivô do escândalo da sogra fantasma. Ele admitiu publicamente que desviou recursos dos cofres da Assembleia Legislativa do Paraná. A sogra de Ezequias, Verônica Durau, possuía cargo em comissão na AL por 11 anos e ela mesmo admitiu que jamais trabalhou lá. Seus salários eram depositados na conta de Ezequias, que depois do escândalo devolveu R$ 530 mil aos cofres públicos. Foi condenado por ato de improbidade administrativa e ainda responde na Justiça pelo crime de desvio de dinheiro público.

Com a nomeação como secretário pelo governador, agora seu processo será remetido ao Tribunal de Justiça por causa da prerrogativa de foro e pode demorar mais ainda para a conclusão. Richa já defendeu Ezequias citando a Bíblia: “perdoar o pecador e não o pecado”. Ezequias já foi assessor de Richa quando ele era deputado estadual e prefeito de Curitiba, e já fazia parte do governo Richa como diretor da Sanepar, com salário de R$ 30 mil mensais.

Com esse absurdo o Blog do Tarso e seus amigos estão organizando, junto com movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos e toda da sociedade civil organizada contrários ao patrimonialismo, nepotismo, corrupção, privatização, clientelismo e precarização da Administração Pública estadual, uma manifestação a ser realizada hoje (05 de julho de 2013, às 18h, na Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 1541, Ecoville/Mossunguê, Curitiba (rápida Champagnat-Ecoville, na frente da panificadora Spazio Di Pani, depois do Shopping Park Barigui e do sinaleiro).

Pela destituição do secretário e contra as privatizações que ocorrem no Estado, que podem gerar mais corrupção.

Participe, divulgue: há um evento criado no Facebook, clique aqui.

A MANIFESTAÇÃO SERÁ TOTALMENTE PACÍFICA E DESCONTRAÍDA.

Secretário “Sogra Fantasma” de Beto Richa consegue Foro Privilegiado no TJ. Manifestação marcada para sexta

Captura de Tela 2013-06-26 às 23.30.05

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), escolheu o senhor Ezequias “Sogra Fantasma” Moreira como novo Secretário Especial do Cerimonial e Relações Internacionais do Paraná. Ezequias é o pivô do escândalo da sogra fantasma. Ele admitiu publicamente que desviou recursos dos cofres da Assembleia Legislativa do Paraná. A sogra de Ezequias, Verônica Durau, possuía cargo em comissão na AL por 11 anos e ela mesmo admitiu que jamais trabalhou lá. Seus salários eram depositados na conta de Ezequias, que depois do escândalo devolveu R$ 530 mil aos cofres públicos. Foi condenado por ato de improbidade administrativa e ainda responde na Justiça pelo crime de desvio de dinheiro público. Richa já defendeu Ezequias citando a Bíblia: “perdoar o pecador e não o pecado”. Ezequias já foi assessor de Richa quando ele era deputado estadual e prefeito de Curitiba, e já fazia parte do governo Richa como diretor da Sanepar, com salário de R$ 30 mil mensais. Por causa disso a Gazeta do Povo chamou Beto Richa de imoral e paladino da impunidade.

Depois de perder em primeira instância, Ezequias conseguiu hoje uma liminar que o concede foro privilegiado, ou seja, só poderá ser julgado pelo Tribunal de Justiça. Isso por ele ser agora um Secretário de Estado!

Por causa desse absurdo está sendo organizado um movimento contrário ao patrimonialismo, nepotismo, corrupção, privatização, clientelismo e precarização da Administração Pública estadual, uma manifestação a ser realizada na próxima sexta-feira (05), às 18h, na Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 1541, Ecoville, Curitiba (rápida Champagnat-Ecoville, na frente da panificadora Spazio Di Pani).

Pela destituição do secretário e contra as privatizações que ocorrem no Estado, que podem gerar mais corrupção.

Participe, divulgue: há um evento criado no Facebook, clique aqui.

 

Resultado final da enquete do Blog do Tarso sobre as manifestações

manifestacoes-cidades-brasileiras

Apoiava no início mas agora virou golpismo e vandalismo 43%
Apoio sempre porque acredito que haverá uma revolução socialista 19%
Apoio, para enfraquecer Dilma, pois vou votar em Joaquim Barbosa em 2014 13%
Quero um golpe contra a Dilma 8%
No início era coisa de comunista mas agora apoio 7%
Apoio, para enfraquecer Dilma, pois vou votar em Aécio Neves em 2014 5%
Apoio, para enfraquecer Dilma, pois vou votar em Marina Silva em 2014 5%
Apoio, para enfraquecer Dilma, pois vou votar no PSOL, PSTU ou PCO em 2014 1%

Beto Richa escolhe o “Sogra Fantasma” como secretário e manifestação contra está marcada

Captura de Tela 2013-06-26 às 23.30.05

A Gazeta do Povo fez uma denúncia grave hoje. O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), escolheu o senhor Ezequias “Sogra Fantasma” Moreira como novo Secretário Especial do Cerimonial e Relações Internacionais do Paraná. Ezequias é o pivô do escândalo da sogra fantasma. Ele admitiu publicamente que desviou recursos dos cofres da Assembleia Legislativa do Paraná. A sogra de Ezequias, Verônica Durau, possuía cargo em comissão na AL por 11 anos e ela mesmo admitiu que jamais trabalhou lá. Seus salários eram depositados na conta de Ezequias, que depois do escândalo devolveu R$ 530 mil aos cofres públicos. Foi condenado por ato de improbidade administrativa e ainda responde na Justiça pelo crime de desvio de dinheiro público.

Com a nomeação como secretário pelo governador, agora seu processo será remetido ao Tribunal de Justiça por causa da prerrogativa de foro e pode demorar mais ainda para a conclusão. Richa já defendeu Ezequias citando a Bíblia: “perdoar o pecador e não o pecado”. Ezequias já foi assessor de Richa quando ele era deputado estadual e prefeito de Curitiba, e já fazia parte do governo Richa como diretor da Sanepar, com salário de R$ 30 mil mensais.

Com esse absurdo o Blog do Tarso e seus amigos estão organizando, junto com movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos e toda da sociedade civil organizada contrários ao patrimonialismo, nepotismo, corrupção, privatização, clientelismo e precarização da Administração Pública estadual, uma manifestação a ser realizada dia 05 de julho de 2013 (sexta-feira), às 18h, na Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 1541, Ecoville, Curitiba (rápida Champagnat-Ecoville, na frente da panificadora Spazio Di Pani).

Pela destituição do secretário e contra as privatizações que ocorrem no Estado, que podem gerar mais corrupção.

Participe, divulgue: há um evento criado no Facebook, clique aqui.

Assista ao pronunciamento de hoje da Presidenta Dilma

A presidenta Dilma Rousseff (PT) propôs hoje, em reunião com governadores e prefeitos de capitais, no Palácio do Planalto, a convocação de um plebiscito para formação de uma constituinte específica para a reforma política e uma nova legislação que torne a corrupção dolosa crime hediondo. As medidas fazem parte dos cinco pactos propostos pela presidenta nas áreas de saúde, transporte público, educação, reforma política e responsabilidade fiscal.

Manifesto em defesa da Constituição da República e do Estado Democrático de Direito

O Brasil hoje vive um momento extremamente rico e importante para o aperfeiçoamento da democracia, nos 25 anos da Constituição da República de 1988, e não um estado de exceção.

Dizer que o Brasil está acordando é falta de memória e de respeito para com a história, para com as gerações passadas e futuras. O Brasil não acordou porque não estava dormindo.

Temos uma tradição de lutas políticas por direitos de liberdade e de igualdade, por dignidade, por trabalho e pela terra, pela cidade e por moradia, por redistribuição e por reconhecimento, ao longo de toda a nossa história, cujo aprendizado político e social está subjacente ao projeto constituinte de 1988 e coloca em xeque o mito da apatia, da passividade, dos bestializados e da cordialidade dos brasileiros.

É preciso lutar pela efetividade dos direitos fundamentais e garantir a supremacia da Constituição que os consagra. Não podemos abrir mão da Constituição e do Estado Democrático de Direito,

É preciso reconhecer o papel dos partidos progressistas, dos sindicatos de trabalhadores, do movimento estudantil e dos diversos movimentos sociais no processo de conquista dos direitos fundamentais. Ilusão pensar que possa haver democracia sem eles.

Mais uma vez, chegou a hora de aperfeiçoarmos nossa democracia. Este deve ser o fio condutor de todas as lutas políticas e sociais que legitimamente se fazem presentes nesta multiplicidade de vozes que ecoam na discussão pública brasileira:

Lutar pela garantia dos direitos constitucionais de ir e vir, de liberdade de expressão, de manifestação do pensamento, de protesto, de divergência e de reunião pública e coletiva para fins pacíficos,

Lutar contra todas as formas de discriminação e preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade, orientação sexual, e contra toda forma de exclusão da cidadania política, social, econômica e cultural,

Criticar as decisões judiciais que pretenderam proibir manifestações pacíficas, como no caso do TJ-SP e do TJ-MG, que sequer concederam Habeas Corpus como salvo-conduto aos movimentos políticos para assegurar direitos fundamentais dos cidadãos,

Repudiar atos de violência e de desrespeito aos movimentos sociais, aos partidos políticos e às organizações sindicais por parte de quem quer que seja,

Criticar o anonimato e exigir transparência nas deliberações públicas,

Criticar práticas de violência e de repressão policial em desacordo com uma sociedade democrática,

Criticar atos de destruição, de dano e de violência contra o patrimônio público,

Repudiar qualquer proposta de suspensão das liberdades fundamentais e de decretação de estados de emergência sob o argumento falacioso da Copa das Confederações e do Mundo,

Criticar veementemente as interpretações equivocadas do art. 11,§ 1.º, da Lei Geral da Copa, legislação cujos dispositivos já tem arguída a sua inconstitucionalidade perante o STF, pela Procuradoria-Geral da República,

Criticar veementemente declarações de membros da Fifa atentatórias à democracia e à soberania brasileiras,

Lutar por novas e renovadas formas de mediação democrático-participativas das manifestações e protestos nas ruas ao nível das instituições políticas,

Lutar e zelar pelo caráter laico, plural e aberto do Estado Democrático de Direito,

Lutar pela criação e ampliação de fóruns permanentes de debates e de deliberação públicos no sentido da construção de um programa de ação comum,

Exigir maior abertura dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, em todas as esferas da Federação, num processo político cada vez mais amplo de formação pública da opinião e da vontade, no contexto de uma esfera pública ampliada,

Manifestações públicas, coletivas e pacíficas fazem parte da democracia. Lutar por elas, assim como por novas e renovadas formas de deliberação política, é, enfim, garantir a consolidação da democracia constitucional no Brasil.

Brasil, 22 de junho de 2013.

Assinar: clique aqui

Vejam que assinou inicialmente: Continuar lendo

Nas ruas: golpistas e vândalos sim, sociedade civil organizada não

ObsCena

ObsCena

Seguindo concepção de Antonio Gramsci, o Brasil é uma sociedade ocidental, com uma relação equilibrada entre a sociedade política e a sociedade civil. O centro da luta de classe está na chamada “guerra de posição”, na qual a sociedade civil, de forma progressiva e consensual vem conquistando espaços para buscar exercer sua hegemonia e para chegar ao poder na sociedade política (Estado em sentido estrito). Sobre o tema ver meu livro “Terceiro Setor e as parcerias com a Administração Pública: uma análise crítica” (Fórum, 2ª ed., 2010).

O que o Movimento Passe Livre de São Paulo sempre fez lutando coerentemente pela tarifa zero para o transporte coletivo, e sua atuação vencedora pela diminuição dos valores das tarifas em São Paulo, gerou o início das manifestações nas ruas por parte de aproximadamente 6% da população brasileira, na sua maioria da classe-média.

O que o MPL e alguns outros movimentos fizeram no início foi uma guerra de posição. Mas a partir do momento que os movimentos sociais, os partidos políticos, as organizações não-governamentais saíram das manifestações, o que sobrou foi um amontoado de golpistas de um lado e de outro lado de vândalos. Pesquisa aponta que entre eles, apenas 6% da população, seus candidatos à presidência em 2014 são Joaquim Barbosa (o Imperador do STF) e Marina Silva (ex-PT, ex-PV, por enquanto PAREDE – Partido da Rede).

Os golpistas querem o impeachment totalmente injustificado da presidenta Dilma Rousseff (PT). Os vândalos querem destruir ou saquear bens públicos e privados. Os golpistas e vândalos querem o fim da democracia representativa.

Claro que ainda em algumas capitais ou cidades do interior do país ainda há um resquício de manifestações politizadas. Mas nas grandes capitais não há mais meio termo: a não ser em dias de jogos do Brasil com torcedores, nas ruas estão apenas os golpistas ou vândalos.

À esquerda e aos cidadãos não golpistas resta pensarmos em como aperfeiçoar a democracia representativa com uma reforma política que crie o financiamento público de campanha e fortaleça partidos políticos que não são de aluguel, o fortalecimento dos sindicatos representativos, de ONGs sérias. Temos que pensar na democratização das mídias, numa reforma tributária que tribute os ricos e desonere a classe-média e os pobres. Numa educação e saúde estatal com mais recursos.

Recentemente vivemos mais de 20 anos numa ditadura e apenas estamos construindo nossa democracia. Viva a democracia. Fora para a imbecilidade.