Direito da UFPR responde ao Deputado Francischini sobre “turma do MST”

ufpr-624x416

O Prof. Dr. Ricardo Marcelo Fonseca, Diretor do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Paraná, respondeu “denúncia” do deputado federal Fernando Francischini (Solidariedade?) sobre a turma de Direito para beneficiários da Reforma Agrária, nos termos do PRONERA – Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária, criado pelo governo comunista-bolivariano do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

É essencial a leitura do documento completo, disponível, com exclusividade, pelo Blog do Tarso, aqui.

Anúncios

Beto Richa coloca a culpa em Francischini para fugir do Impeachment

Beto Richa culpou o ex-secretário Fernando Franscischini, atual deputado federal (Solidariedade), pelo Massacre de Curitiba

Beto Richa culpou o ex-secretário Fernando Franscischini, atual deputado federal (Solidariedade), pelo Massacre de Curitiba, para fugir do Impeachment

No julgamento simbólico realizado na UFPR no dia 8 de maio sobre o Massacre de Curitiba de 29 de abril de 2015, em que uma Comissão de Julgadores decidiu pelo Impeachment do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), o advogado Arnaldo Busato defendeu a pessoa física Carlos Roberto Richa, chamado erroneamente por ele de “Roberto Richa”. Veja a fala completa do advogado:

Busato comparou o evento ao Tribunal Jacobino Revolucionário, disse que “houveram” (sic) excessos e que Richa coloca toda a culpa pelo massacre no ex-secretário de segurança, Fernando Francischini, atual deputado federal (Solidariedade).

Arnaldo Busato

Arnaldo Busato

Com isso quase todos os presentes ficaram de costas para o advogado e começaram a gritar “renúncia, renúncia” e “Fora Beto Richa”.

Evento completo:

Francischini, você está demitido!

René Dotti chama proposta do ex-Secretário de Beto Richa, o tucano Francischini, de meramente midiática e do Direito Penal do Terror

Agora falta apenas demitirmos o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB).

O secretário de educação privatista, que era representante de uma instituição educacional privada, foi demitido após o Massacre do Centro Cívico de Curitiba, em 29 de abril de 2015.

O Comandante Geral da Polícia Militar pediu demissão atirando. Cesar Vinícius Kogut mandou carta para Richa em resposta às declarações do secretário de Segurança, que atribuiu a violência desencadeada no protesto dos professores na última quarta-feira à corporação, no qual afirmou que Francischini “foi alertado inúmeras vezes pelo comando da tropa e pelo Comandante-Geral sobre os possíveis desdobramentos durante a ação”.

Agora foi o secretário de Segurança do Paraná, Fernando Francischini, considerado o pior secretário de todos os tempos, a deixar o cargo.

A esposa de Francischini, Flavia, publicou texto nas redes sociais que irritou o governador, com críticas indiretas ao grupo político do tucano: “Um bom político trabalha e age por si só, não depende de homens sujos, covardes, que não honram as calças que vestem e precisam agir sempre em grupo, ou melhor quadrilha”.

Francischini (Partido Solidariedade) foi reeleito deputado federal com 160 mil votos, e agora vai voltar ao Congresso Nacional para apoiar propostas autoritárias como redução da maioridade penal, Direito Penal Máximo e privatização dos presídios.

Ele ainda pode ser responsabilizado criminalmente, civilmente e no campo da Improbidade Administrativa, por causa do massacre.

Francischini já ameaçou o autor do Blog do Tarso, já o difamou, já o intimidou com notificação extra-judicial. Ele se achava o todo-poderoso.

Praticamente são nulas as possibilidades dele se eleger prefeito de Curitiba em 2016.

Morte e ameaças sobre camponeses no Paraná

Foto de Joka Madruga

Foto de Joka Madruga

Desde julho de 2014  há um grande acampamento do MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra na região de Laranjeiras do Sul, no oeste do Paraná, com mais de 2500 famílias. O intuito é pressionar pela desapropriação de uma área de mais de 20 mil ha, da empresa Arapuel, que utiliza muito mal a propriedade, apenas para o monocultivo de pinus.

Após as eleições de 2014 algumas lideranças da região começaram a receber ameaças  de morte, veladas e públicas. Fontes dizem que na região há pistoleiros contratados para executar as lideranças, em particular o dirigente nacional do MST e residente na região, Antonio Miranda, que vem sofrendo ameaças.

Essas denúncias foram relatadas na Policia Civil (dezembro/2014) e em depoimento ao Ministério Público (janeiro/2015), veja aqui os documentos.

Na última semana um grupo de pistoleiros sequestrou uma família inteira de camponeses assentados, próximos ao acampamento e que davam apoio aos acampados e na última sexta-feira foram encontrados os corpos desfigurados.

É essencial que o governo estadual esclareça as ameaças de morte às lideranças e os autores da chacina. É necessária uma pressão sobre Hamilton Serighelli, assessor do governador Beto Richa (PSDB) para assuntos de conflitos agrários no estado, e sobre o secretário de segurança pública, Fernando Francischini.

 

Gustavo Fruet denuncia: Francischini pediu carguinho antes de aderir ao Ratinho

No debate de ontem na RIC/Record, o candidato Gustavo Fruet (PDT) denunciou que o deputado/delegado Fernando Francischini (PEN) pediu a união de três secretarias e a super-secretaria de justiça.

Fruet não aceitou.

Francischini pediu para Ratinho Junior (PSC), e conseguiu.

Francischini com problema no anel

Carol Francischini, que gerou polêmica com sua gravidez, foi contestada pelo fabricante de seu anel vaginal, o NuvaRing. Ela revelou que usou camisinha e contraceptivo e que mesmo assim engravidou. A MSD, fabricante do anel vaginal usado pela modelo, enviou um comunicado à imprensa atestando a eficácia de 99% de seu produto. Francischini ainda não revelou quem é o pai famoso de seu filho, mas nas últimas semanas foi apontada como pivô da separação de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Vocês achavam que eu estava falando de quem?

Paulo Henrique Amorim chama Francischini de deputado “obscuro e valentão” ao citar ameaça contra o Blog do Tarso

De Paulo Henrique Amorim no Conversa Afiada

JUIZ TEM O DIREITO DE CENSURAR ?
NÃO ! SIM ! VOTE !

Vote na nova enquete do ‘Não e Sim com Paulo Henrique Amorim’.

Beto Richa conseguiu censurar Esmael Morais, pelas mãos da Justiça do Paraná.

Não deixou o Esmael divulgar pesquisas de opinião pública, antes da eleição.

O que talvez o tivesse derrotado.

Um deputado obscuro e valentão do Paraná, com as costas largas na Justiça, se deu ao direito de ameaçar um blogueiro, o Tarso.

O jurista Pontes de Miranda dizia que existe a Justiça e a Justiça do Paraná.

O Requião que o diga.

Lucio Flavio Pinto, do Pará, é outro.

Perseguido por 33 processos.

Em Ilhéus, na Bahia os políticos poderosos atacam o Gusmão na Justiça com mais de dez processos.

Gusmão teve que procurar advogado em São Paulo, porque ali nenhum ousa defendê-lo.

Onde é que nós estamos ?

JUIZ TEM O DIREITO DE CENSURAR ?
Não
A liberdade de expressão é a máxima expressão da liberdade – Ayres Brito.

Sim
A Justiça é uma caixa preta – Lula.

Juiz Pinto do Paraná censura Paulo Henrique Amorim a pedido de Francischini

Depois de ameaçar me bater e censurar meu Blog do Tarso com uma notificação extrajudicial, o deputado delegado truculento Fernando Francischini (PSDB) agora conseguiu censurar o jornalista e blogueiro Paulo Henrique Amorim, do Conversa Afiada. Veja o post de Paulo Henrique:

PINTO JR, O JUIZ-CENSOR DO PARANÁ

O ansioso blogueiro pode supor, por exemplo, que não tem o direito de fazer uma critica ao filme “Tropa de Elite”.

O ansioso blogueiro não viu e não gostou

A Censura acabou com o regime militar, não é isso ?
Não, amigo navegante.

O Censor agora é o Juiz.

É o que alimenta, por exemplo, a alma do Daniel Dantas e o bolso de seus 1001 advogados.

Este ansioso blogueiro convive com este problema há algum tempo, como se percebe na aba “Não me calarão”.

Mas, poucas vezes se viu diante de tão inusitada decisão quanto a que acompanhou as duas ações que, com muito orgulho, acaba de receber.

São de autoria de um notável deputado tucano, o policial Francischini, de edificante carreira no Espirito Santo e no Paraná.

Um exemplo de policial a ser seguido !

Acompanha a ação inusitada decisão do Juiz-Censor José Roberto Pinto Junior, da 8a Vara Cível de Curitiba.

Ele exige que um dos posts publicados sobre o exemplar policial seja retirado do ar, sob pena de multa diária.

O que, por si só já é um ato de Censura, uma vez que a ação ainda não foi julgada, mas o Juiz já resolveu interditar , antes de saber quem tem razão, o livre curso da liberdade de expressão.

Com alguma relutância, o ansioso blogueiro seguiu instrução de seu sensato advogado, Dr Cesar Marcos Klouri e fez o que o Juiz-Censor mandou fazer.

A decisão merece uma tese de Doutorado.

A certa altura, diz assim: o réu fica IMPEDIDO de publicar matérias SIMILARES !

Matérias similares !

Quer dizer que, além de calar a boca de um jornalista num texto especifico sobre a ampla e polêmica atuação do deputad , o ansioso blogueiro FICA IMPEDIDO DE TRATAR DE MATÉRIA SIMILAR.

“Similar”.

Os Censores do Regime Militar eram mais precisos.

Ou mais liberais.

O ansioso blogueiro pode supor, por exemplo, que não tem o direito de fazer uma critica ao filme “Tropa de Elite”.

O Conversa Afiada toma a liberdade (se é que ainda dispõe de alguma …) de encaminhar esse provavelmente impróprio post aos doutos Juízes Ayres Britto – gabcarlosbritto@stf.jus.br – e Eliana Calmon – gab.eliana.calmon@stj.jus.br

O Ministro Ayres Britto, como se sabe, determinou ao Conselho Nacional de Justiça que explicasse aos Juízes brasileiros que a “liberdade de expressão é irmã siamesa da Democracia”; que “a liberdade de expressão é a maior expressão da liberdade”; e que Juiz não é Censor.

Sendo assim, o ansioso blogueiro e o blog Conversa Afiada deram cumprimento à ordem do Dr Pinto Junior e esperam que ele receba as recomendações do Ministro Britto e Dra Calmon com boa vontade – e humildade.

Em tempo: o escritório que defende o notável policial tucano é o “Kfouri&Gorski”. Por coincidência, “Kfouri” é o sobrenome que leva Miguel Kfouri Neto, maxima autoridade do Tribunal de Justiça do Paraná.

Paulo Henrique Amorim, cidadão brasileiro, protegido pela Carta de 1988, e que vai continuar a analisar a carreira do deputado e policial Francischini, porque ele não está acima de Lei.

Veja nova bomba contra o deputado Francischini (PSDB/PR)

Curta o Blog do Tarso no Facebook aqui

Não posso falar mal do Fernando Francischini (PSDB) porque caso contrário o deputado federal truculento me bate e me processa. Mas recomendo leitura de mais uma bomba contra o deputado publicada no site da jornalista Lucia Pacci, clique aqui.

Curta o Blog do Tarso no Facebook aqui

Em razão de notificação extrajudicial, o Blog do Tarso deixa de divulgar um post de ontem

Em razão de notificação extrajudicial do deputado federal Fernando Francischini (PSDB), o Blog do Tarso apagou um post com notícia do blog Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, sobre o deputado.

Deputado Francischini ameaça o Blog do Tarso

Ontem postei o seguinte, conforme imagem abaixo:

O deputado federal Fernando Francischini (PSDB), ex-secretário anti-drogas de Beto Richa na prefeitura de Curitiba, é contido por Rubens Bueno e Alvaro Dias após chamar o relator da CPI do Cachoeira Odair Cunha (PT-MG) de “tchutchuca” e “tigrão”. O deputado Dr. Rosinha (PT) reagiu, e o truculento Francischini partiu para cima do petista. É fácil ser tigrão com senhores mais velhos, não é deputado/delegado?

Eis que o deputado Fernando Francischini (PSDB), o delegado deputado truculento ameaçou o Blog do Tarso, conforme mensagem no seu twitter acima. Mas um sujeito que se acha acima da lei e que pode intimidar cidadãos na internet.

ObsCena: quem é o tchutchuca?

Francischini: tigrão ou tchutchuca? Foto de André Borges/Folhapress

O deputado federal Fernando Francischini (PSDB), ex-secretário anti-drogas de Beto Richa na prefeitura de Curitiba, é contido por Rubens Bueno e Alvaro Dias após chamar o relator da CPI do Cachoeira Odair Cunha (PT-MG) de “tchutchuca” e “tigrão”. O deputado Dr. Rosinha (PT) reagiu, e o truculento Francischini partiu para cima do petista. É fácil ser tigrão com senhores mais velhos, não é deputado/delegado?

Deputado Francischini faz o Paraná passar vergonha nacional com trapalhada

Francischini faz trapalhada e ‘denuncia’ Agnelo com documento que o inocenta

O deputado Francischini (PSDB-PR) virou motivo de piada na CPI do Cachoeira.O deputado tucano mostrou um papel, um ofício de 15 de dezembro de 2010, assinado por Agnelo Queiros (PT-DF), quando já estava eleito governador, mas antes de tomar posse, pedindo prorrogação de alguns contratos de serviços essenciais do governo do Distrito Federal, caso estivessem vencendo, o que, segundo o deputado tucano, seria a “prova” de que beneficiou a Delta.

O porta-voz do governo do DF adorou a ‘denúncia’ do deputado tucano e se apressou em mostrar o documento nas redes sociais.

Eis o documento, que fala por si:

Vamos desenhar para o deputado Francischini entender:1) O ofício é de 15 de dezembro de 2010;

2) Agnelo tomou posse 15 dias depois, em 1º de janeiro de 2011;

3) O ofício pedia para prorrogar temporariamente contratos de serviços essenciais, caso vencessem no final de 2010 ou até janeiro de 2011, portanto no primeiro mês de governo, quando não haveria tempo hábil de fazer licitação, para não interromper serviços essenciais.

4) Obviamente, coleta de lixo, é um serviço essencial, mas o ofício foi genérico, sem citar a Delta;

5) O contrato da Delta com o governo do DF não se enquadra neste ofício, pois foi assinado em 2010, pelo governo anterior, e venceria só em 2015;

Com inimigos trapalhões como Francischini, Agnelo nem precisa de amigos para defendê-lo.

Aliás, chama a atenção como Francischini e Cachoeira compartilharam um mesmo objetivo comum: derrubar Agnelo, com denuncismo forjado.

Beto Richa, Reinaldo de Almeida César e Fernando Francischini foram citados em conversas de Carlinhos Cachoeira

Em depoimento sigiloso à CPI do Cachoeira, o delegado Matheus Mela Rodrigues, que coordenou a Operação Monte Carlo, citou uma lista com 82 nomes que tiveram relações ou foram apenas citados em conversas de Carlos Augusto Ramos (Carlinhos Cachoeira), conforme informou a Folha de S. Paulo.

O governador do Paraná Beto Richa (PSDB), o secretário de segurança Reinaldo de Almeida César e o deputado federal Fernando Francischini (PSDB) foram citados em conversas de Carlinhos Cachoeira. Eles negam qualquer envolvimento com Cachoeira ou com bicheiros.

Veja lista que a Folha conseguiu identificar de deputados federais, senadores, ministros e governadores citados na lista por odem alfabética: Continuar lendo

Site diz que o Deputado Fernando Francischini (PSDB) mantinha íntimo relacionamento com os espiões da quadrilha de Carlos Cachoeira

O jornal Brasil 247 informa que o Deputado Federal Fernando Franchischini, delegado federal licenciado, que é membro da CPI do Cachoeira, mantinha íntimo relacionamento com os espiões da quadrilha de Carlos Cachoeira. Veja no Jornal Brasil 247.