Judiciário desmente Beto Richa sobre o Massacre do Centro Cívico

11196339_556469917828836_6957331500035925487_n

O juiz Marcel Luis Hoffmann, do 2º Juizado Especial Criminal de Curitiba, decidiu sobre os estudantes detidos no Massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015. Na sentença, o magistrado acatou as manifestações apresentadas pela OAB-PR e pelo Ministério Público do Paraná e determinou o arquivamente do processo.

Com isso o Judiciário desmente o governador Beto Richa (PSDB), que acusou os estudantes até de Black Blocs. Mais um fundamento para o Impeachment do governador.

Após o massacre a OAB-PR, por meio da Comissão de Advocacia Criminal, foi até o 1º Distrito Policial, para onde os manifestantes foram levados e atendeu três estudantes detidos, pois os demais já tinham seus advogados.

A Ordem solicitou ao juiz que fosse arquivado porque não havia crime por parte dos manifestantes e defendeu o direito à livre manifestação consagrado pela Constituição Federal, mesma posição do MP-PR.

A decisão é de 2 de junho e o juiz, liminarmente, decidiu pelo arquivamento:

“Nada consta do caderno investigatório acerca dos elementos informativos do que consistiria a execução do ato dito legal. Tampouco explicitadas estão, de forma individualizada como necessário, quais seriam as condutas dos noticiados quando se opuseram à ordem de prisão.

Nada há de registro material quanto a suposta violência ou grave ameaça empregadas, elementos do tipo, a configurar o delito de resistência. O que se descreveu sumariamente foi que os noticiados resistiram “a ação legítima dos agentes, sendo necessária a utilização de força moderada para contê-los” (evento 12.1, fl. 14), mas nada há acerca da espécie de violência praticada em resistência por parte dos noticiados.

Isso, por si só, já bastaria para configurar a atipicidade da conduta dos noticiados, pelo crime de resistência, como, aliás, decidiu o TJPR em recente julgado:

CONDENAÇÃO. INSURGÊNCIA. ALEGADA CARÊNCIA DAS ELEMENTARES DO TIPO A JUSTIFICAR A CENSURA.OCORRÊNCIA. FATO QUE NÃO SE ENQUADRA NO DELITO DE RESISTÊNCIA, ANTE A AUSÊNCIA DE VIOLÊNCIA OU AMEAÇA POR PARTE DO ACUSADO. REFORMA DA SENTENÇA QUE SE IMPÕE. ABSOLVIÇÃO. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. (TJPR – 2ª C.Criminal – AC – 1341733-7 – Curitiba – Rel.: José Carlos Dalacqua – Unânime – J. 30.04.2015)

Por outro lado, veja-se que ausente dos autos os indícios pelos quais foram os noticiados presos, máxime porque inexiste no processo os elementos que supostamente foram utilizados pelo Setor de Inteligência do Estado para identificar os noticiados como “fomentadores” do tumulto generalizado, a autorizar a execução das prisões.

Registro, finalmente, que sequer foram ouvidos os policiais que efetuaram a prisão, de forma a melhor elucidar os fatos como se deram, estando o termo circunstanciado vago e impreciso.

Destarte, não descrevendo adequadamente o termo circunstanciado no que teria se consistido especificamente a resistência, a legalidade do ato policial e sem menção a violência ou grave ameaça supostamente praticadas pelos noticiados, não há que se cogitar, no caso em concreto, do delito de resistência.

Nesse sentido a jurisprudência:

Sem comprovação rigorosa da legalidade do ato policial e pairando dúvida sobre ela, não há cogitar do delito de resistência. (TJSP, RT 519/363).

APELAÇÃO CRIMINAL. RESISTÊNCIA. ART. 329 DO CÓDIGO PENAL. SENTENÇA CONDENATÓRIA REFORMADA. Hipótese em que a peça acusatória e a prova não indicam em que teriam consistido o ato legal resistido e a violência correspondente ao ato de investir contra os policiais. Arremesso de cadeira que, embora constitua violência, não foi praticado como forma de resistência a ato legal. RECURSO PROVIDO. (TJRS, Recurso Crime Nº 71004865853, Turma Recursal Criminal, Turmas Recursais, Relator: Luiz Antônio Alves Capra, Julgado em 25/08/2014).

Ante o exposto, acolhendo a promoção ministerial, determino o arquivamento do feito, nos termos dos artigos 18 e 28 do CPP.”

Anúncios

Richa diz que seu Impeachment não é golpe

Captura de Tela 2015-06-04 às 13.37.54

Ontem (3) o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), almoçou na sede da Folha de S. Paulo, junto com Deonilson Roldo (chefe de gabinete) e os advogados Ives Gandra da Silva Martins (Opus Dei) e René Ariel Dotti.

Em entrevista para a TV Folha a jornalista Daniela Lima perguntou para Richa:

“Folha: O senhor vive momentos difíceis no governo, juristas chegaram a propor o seu Impeachment. Quando o PSDB propôs o Impeachment de Dilma Rousseff, o PT disse que era golpe. Impeachment é golpe?

Richa: Depende em que situação, a minha situação é muito diferente da presidente da República. Nós não temos as denúncias de escândalos que temos visto no Brasil, e eu já defendi que no momento não cabe o Impeachment de Dilma. Em relação ao Paraná a situação financeira é melhor do que em muitos estados”.

Portanto, se o PT disse que o Impeachment de Dilma seria golpe, e se Richa diz que a situação dele é diferente, então na situação dele não é golpe.

Além disso ele não lembrou na sua resposta nas denúncias de corrupção contra o seu governo, envolvendo familiares e amigos íntimos.

Após disse que hoje redobraria o cuidado no incidente do Massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015.

Portanto, assumiu que não foi cuidadoso no Massacre.

Assine a petição pelo Impeachment de Richa aqui.

Movimentos sociais organizam-se pelo #ForaBetoRicha

O adesivo do movimento, que foi unificado. Foto de Tarso Cabral Violin

O adesivo do movimento, que foi unificado. Foto de Tarso Cabral Violin

Representantes de movimentos sociais, membros de partidos políticos e cidadãos reuniram-se ontem na APP-Sindicato para a organização do movimento “Fora Beto Richa” em Curitiba, na região metropolitana de Curitiba e em todo o Estado do Paraná.

A ideia é ampliar a pressão pela renúncia ou pelo Impeachment do governador Beto Richa (PSDB), por causa do massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015, pelas denúncias de corrupção e por ele ter quebrado as finanças do estado.

Será organizado um grande ato pelo #ForaBetoRicha, ainda sem data marcada.

Uniram-se todos os movimentos organizados pela causa na RMC e, agora, a meta é conseguir o apoio de lideranças políticas e de entidades representativas da sociedade civil, assim como a unificação também com movimentos de Maringá, Londrina, entre outras cidades do estado.

Estão mantidas as petições eletrônicas pelo Impeachment de Richa, como por exemplo a que fundamentou o pedido real na Assembleia Legislativa, clique aqui.

Por enquanto, além de movimentos, fóruns e pessoas físicas, apoiam o movimento a Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná – ParanáBlogs, o PCdoB de Curitiba, o Cebrapaz-PR, a CTB-PR e a Raiz Movimento Cidadanista de Curitiba (dissidentes da Rede no Paraná). Outras entidades e partidos políticos também estão se unindo ao movimento.

A próxima reunião do grupo, na qual será aprovado um manifesto, entre outras ações, será na APP-Sindicato, dia 11 de junho, 19h, e todos que defendem o Fora Beto Richa estão convidados. Acompanha e participe do evento no Facebook, assim como nas várias comunidades Fora Beto Richa das redes sociais.

Hoje (19h) plenária dos movimentos sociais pelo Impeachment de Beto Richa

4145020_x360

Movimentos sociais reunir-se-ão para pressionar pelo Impeachment de Beto Richa

Os movimentos sociais do Paraná e os signatários do pedido de Impeachment protocolado na Assembleia Legislativa (apoiados por mais de 8 mil cidadãos) chamam para uma grande reunião plenária em defesa da renúncia ou do Impeachment do governador Beto Richa (PSDB), em decorrência do Massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015.

Acreditamos que, no mínimo, Richa tolerou e não tentou repreender que agentes públicos praticassem abuso do poder e uso de meios violentos contra professores, servidores, estudantes e cidadãos, o que fere a Lei 1.070/50, a lei que trata do Impeachment e dos crimes de responsabilidade.

A plenária será no dia 02 de junho, 19h, na sede da APP-Sindicato.

Confirme presença na reunião aqui.

Assine a petição aqui.

Richa contrata o “consultor dos escândalos”

a-era-do-escndalo-mario-rosa-frete-gratis-8161-MLB20001136989_112013-F

Após ter quebrado o Estado do Paraná, estar rodeado por suspeitas graves de corrupção e estar prestes a sofrer o Impeachment por causa do Massacre do Centro Cívico de Curitiba, do dia 29 de abril de 2015, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), contratou o consultor de imagem Mario Rosa, especialista em condução de crises governamentais e privadas.

Rosa é jornalista, trabalhou na editora Abril e na Globo, assessorou diversas campanhas políticas do Brasil e da Argentina e escreveu “A Era do Escândalo“, “A Reputação na Velocidade do Pensamento” e “A Síndrome de Aquiles – Como Lidar Com as Crises de Imagem”.

Desespero total.

Ratinho Junior defende governo Beto Richa e enterra seu futuro político

ratinho_beto.jpg

O Secretário de Desenvolvimento Urbano do Paraná, Ratinho Junior, deputado estadual licenciado e ex-deputado federal, filho do apresentador Ratinho e dono da Rede Massa no Paraná (SBT), acabou de enterrar seu futuro político.

Como presidente do PSC do Paraná, apresentou programa de TV do partido defendendo o governo Beto Richa (PSDB), do qual faz parte.

Com isso enterra qualquer chance de ser prefeito de Curitiba em 2016 ou governador do estado em 2018.

Beto Richa é considerado o pior governador do estado de todos os tempos, após quebrar as contas do estado, denúncias de corrupção e massacrar os professores no dia 29 de abril de 2015. E pode sofrer o Impeachment.

Aldir Blanc chama Bato Racha de mentiroso

20130505184607761084o

No O Globo de ontem

“O cenário pornopolítico foi dominado pelo massacre dos professores no Paraná. Depois do “prendo e arrebento”, temos Bato Racha, vulgo Beto 9.9 em violência na escala Richa. Bato Racha levou nove dias para se arrepender, e com a frase mais — desculpem, não há outra palavra — escrota que pode brotar da boca de um covarde: “Machucou mais a mim…” O perdigoto não agradou, Racha deu ré e agora aprova de novo a pancadaria sanguinolenta, balas na cara, bombas, pitbulls… Foi um tremendo rasgo na Cortina de Penas do bom-mocismo tucano. Eles são aquilo mesmo. Bato Racha mandou fitas para jornalistas comprovarem a ação de “elementos infiltrados” no protesto. Ninguém encontrou um único agente provocador. Bato Racha é também um deslavado mentiroso.”

Aldir Blanc (compositor)

Impeachment de Beto Richa ou Morte!

FullSizeRender-2

FullSizeRender-3

Os professores Pierre Cardoso Pinto (UTFPR) e Nilsa Barbosa da Paz e a estudante Júlia Campos (Unespar) pedem em carta para os senadores Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) que haja uma intervenção federal no Paraná. Informam que apenas vão parar a greve de fome se o governador Beto Richa (PSDB) sofrer o Impeachment pedido pelo advogado e professor universitário Tarso Cabral Violin (Blog do Tarso), pelos juristas e mais de 9 mil apoiadores. Curta o protesto da greve de fome aqui.

Terça-Feira (2) haverá grande plenária dos movimentos sociais para discutir as atividades pelo Impeachment de Richa, às 19h, na APP-Sindicato. Confirme presença aqui.

Parabéns pela luta! Muita saúde para os manifestantes!

Fotos e notícia do Prof. Claudino Dias.

IMG_3769

Mais um vídeo imperdível do Massacre do Centro Cívico de Curitiba

Vídeo transmitido na abertura do evento “Julgamento: Curitiba 29 de Abril de 2015”, ocorrido dia 08 de maio do mesmo ano e promovido pela Universidade Federal do Paraná, trazendo grandes nomes do Direito brasileiro.

Faça como 9 mil cidadãos, assine a petição pela Impeachment de Beto Richa.

Na terça-feira, 19h, os movimentos sociais reunir-se-ão para pressionar pelo Impeachment de Richa.

00162402

Veja ainda:

Veja as imagens que justificam o Impeachment de Beto Richa

Palestra sobre o massacre de Curitiba e a possibilidade jurídica de Impeachment de Beto Richa

Relatório da Comissão de Julgadores decide pelo Impeachment de Beto Richa e denúncia do Estado do Paraná

Veja o julgamento completo pelo Impeachment de Beto Richa

Impeachment de Beto Richa: questões jurídicas

Celso Antônio Bandeira de Mello defende o Impeachment de Beto Richa

Richa não faz acordo com professores porque não quer

Data-base 8,17%: desmorona a desculpa sobre limite prudencial

Gasto com pessoal acima do limite prudencial de 46,55% era uma das justificativas de Richa para não zerar inflação em maio

Um relatório do economista Cid Cordeiro, feito a pedido da APP-Sindicato e divulgado neste sábado (30), coloca completamente por terra a desculpa do governo Beto Richa de que um dos motivos para não pagar a data-base de 8,17% seria o risco de ultrapassar o limite prudencial de gastos com pessoal. A análise, baseada em dados do Executivo, revela que o gasto com pessoal no primeiro quadrimestre de 2015 além de não extrapolar o limite de 46,55%, ficou abaixo do mesmo. Nos últimos quatro meses, o Paraná utilizou 45,97% da receita para cobrir as despesas com a folha do funcionalismo (ativos, inativos e pensionistas).

A Lei de Responsabilidade Fiscal define que os Estados não podem comprometer mais de 49% da sua Receita Corrente Líquida (RCL) com despesa com pessoal. A mesma lei também estabelece um limite prudencial, que é de 46,55%. Apesar disso, a Constituição Federal excetua o reajuste da data-base dessa limitação. No entanto, mesmo que a legislação não permitisse que a reposição da inflação fosse deixada fora deste cálculo, o relatório de Cordeiro demonstra que o Estado tem, sim, condições de aplicar a reposição de 8,17% nos salários dos servidores. E mais: em uma única parcela e este mês. Não o faz por outras razões.

Ação orquestrada – No último dia 28, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) emitiu um ‘alerta ao governo do Paraná por excesso nos gastos com pessoal’. O relator foi o conselheiro Durval Amaral, ex-deputado da base governista, indicado ao TCE por Beto Richa e pai do deputado, também governista, Tiago Amaral (um dos que têm votado rotineiramente contra os servidores). Neste alerta, o Tribunal cita o que no segundo quadrimestre de 2014 o Estado gastou 48,38% da sua receita com a folha de pagamento. E que pode ser punido no rigor da lei, ficando “fica impedido de conceder vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração aos servidores, criar cargo, emprego ou função, além de admitir pessoal”.

Com o ‘alerta’, Richa reforça a desculpa de não poder infringir a LRF. Enquanto isso desrespeita a Lei da Data-Base, a do Piso Nacional e outras que não lhe interessam. Mas sobre o Estado quase exceder o limite prudencial no segundo quadrimestre de 2014, de acordo com Cid, desde então o gasto com pessoal vem caindo. “Há uma queda constante do comprometimento, que atingiu um pico recente, no segundo quadrimestre de 2014, de 48,10%; registrando forte queda no terceiro quadrimestre, de 46,76%; e, por fim, uma continuidade da queda no primeiro quadrimestre de 2015, quando registramos 45,97%”, explicou.

Já sabia – No relatório, Cordeiro também afirma que o governo já sabia que estava abaixo do limite prudencial, então, este é mais um caso em que o governador Beto Richa não pode alegar surpresa. “O governo já dispunha dessa informação quando anunciou na quarta-feira, dia 27, a proposta de conceder apenas 3,45% de reajuste e, ainda, em três parcelas de 1,15%, e zerando a inflação de 8,17% apenas no próximo exercício fiscal de 2016”, afirmou. Se é assim, ao ver a crise instalada no Estado, o que leva o governo a impor esta proposta indecente? O que leva um governante a praticar o sequestro da previdência?

Os números mostram a resposta – O levantamento do economista demonstra que é a situação financeira na qual se encontra o Paraná. “O secretário da Fazenda provavelmente liberou qualquer proposta de reajuste, desde que o resultado final seja uma ‘tungada’ na folha salarial no valor de R$ 600 milhões. Essa é a meta perseguida para cobrir o ‘rombo’ de caixa, estimado entre R$ 3 e R$ 4 bilhões”, esclarece Cid. Segundo ele, este é o caminho para o governo tomar, dos(as) servidores(as), R$ 2,2 bilhões (R$ 1,6 bilhões com a apropriação de recursos do Paranáprevidência e, agora, R$ 600 milhões da folha de pagamento).

Ou seja, os servidores estão financiando grande parte do ajuste fiscal do Estado. “O que não é revelado é o tamanho do ‘rombo’ que o governo quer cobrir com o aumento das receitas… Ele tem utilizado, para isso, tanto o aumento do IPVA, do ICMS, saques na Paranáprevidência, crescimento da receita e, agora, a economia de R$ 600 milhões sobre a folha de pagamento”, alerta Cordeiro. Sim, estes são os grandes mistérios: qual o tamanho do rombo e onde foi parar este dinheiro?

Homenagem do Blog do Tarso aos professores e demais agredidos no Massacre de Curitiba

Hoje faz um mês que ocorreu o Massacre do Centro Cívico de Curitiba, quando em 29 de abril de 2015, professores, servidores públicos, estudantes e cidadãos foram agredidos pelo governo Beto Richa (PSDB).

Uma singela homenagem a todos e todas que sofreram a violência física e pscicológica.

Impeachment já!

Assine a petição com mais de 8 mil assinaturas aqui.

Movimentos sociais reunir-se-ão para pressionar pelo Impeachment de Beto Richa

11188240_814436005270160_827263778042081208_n

Os movimentos sociais do Paraná e os signatários do pedido de Impeachment protocolado na Assembleia Legislativa – veja aqui (apoiados por mais de 8 mil cidadãos – assine aqui) chamam para uma grande reunião plenária em defesa da renúncia ou do Impeachment do governador Beto Richa (PSDB), em decorrência do Massacre do Centro Cívico de Curitiba de 29 de abril de 2015.

Acreditamos que, no mínimo, Richa tolerou e não tentou repreender que agentes públicos praticassem abuso do poder e uso de meios violentos contra professores, servidores, estudantes e cidadãos, o que fere a Lei 1.070/50, a lei que trata do Impeachment e dos crimes de responsabilidade.

A plenária será no dia 02 de junho, 19h, na sede da APP-Sindicato.

Clique aqui e confirme presença no evento do Facebook.

8 mil assinaturas na petição pelo Impeachment de Beto Richa. Assine você também!

impeachmentBR

Já são oito mil assinaturas na petição pelo Impeachment do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), protocolada na Assembleia Legislativa.

Devido ao Massacre do Centro Cívico de Curitiba do dia 29 de abril de 2015.

Assine você também e ajude a divulgar!

Assista o documentário sobre o Massacre do Centro Cívico de Curitiba

O vídeo-documentário “Massacre 29” sobre o Massacre do Centro Cívico de Curitiba do dia 29 de abril de 2015 foi produzido por professores e estudantes da Universidade Estadual de Ponta Grossa, em parceria com projetos de extensão e com a TVCOM.

O Blog do Tarso, em parceria com o Blog do Esmael e a Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa – Sinduepg, divulga o primeiro documentário sobre o massacre.

A produção é do projeto de extensão do curso de Jornalismo da UEPG Lente Quente, em parceria com Agência de Jornalismo da UEPG, TV Comunitária de Ponta Grossa, Sinduepg e com a iniciativa de financiamento coletivo do livro de fotografias ‘Massacre 29 de abril’.

Trata-se da primeira produção audiovisual documental de Ponta Grossa a reconstituir o trágico episódio de ataque ao movimento grevista estadual, de cerceamento à livre manifestação e ao direito de acompanhar votação na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná.

Na sexta-feira, dia 29 de maio, completará um mês do covarde massacre autorizado pelo governador Beto Richa (PSDB).

Assista ao documentário especial para o Blog do Esmael com 45 minutos de duração:

Dos depoimentos impactantes:

“O governo Richa não queria que nós, professores, existíssemos!” Professora Rosângela Petuba

“Aquele armamento foi pago com dinheiro público, o nosso dinheiro, o nosso imposto, sendo devolvido em forma de bomba e de gás!” Professor José Gomes

“Ei, polícia, vai prender o Beto Richa!” Coro

Assine pelo Impeachment do governador Beto Richa (PSDB) aqui.

11188240_814436005270160_827263778042081208_n

Atacado após pedir o Impeachment de Beto Richa

IMG_3179

Meus queridos, sei que estou mexendo com um grupo político poderoso, sei que o pedido de Impeachement do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que fizemos ontem, gerou a ira do governador e de seus seguidores.

Mas claro que se faço o que faço é porque não tenho telhado de vidro na vida pública. É claro que eu esperava que pessoas que têm interesses na manutenção do poder de Richa iriam me atacar, e os ataques começaram.

Não há nada que me desabone nos 8 anos que atuei dentro da Administração Pública paranaense e nos mais de 15 anos de atuação em empresas privadas na área de consultoria, ensino e na advocacia privada. Quando fui convidado para atuar na área jurídica no governo de Roberto Requião (PMDB), em 2003, eu já era especialista em Direito Administrativo e em licitações e contratos administrativos. Saí de um emprego em uma empresa privada, na área de consultoria para a Administração Pública, para até ganhar um pouco menos na Administração Pública, porque todos que me conhecem sabem o quanto gosto de política e de ensinar como fazer o correto na Administração Pública. Quem trabalhou comigo na Administração Pública sabe da minha seriedade, transparência e o quanto eu era rigoroso na atuação administrativa na Secretaria do Trabalho, Emprego e Promoção Social e na Companhia de Informática do Paraná.

Richa e blogueiros nacionais e regionais atacaram minha honra e vou processá-los e pedir direito de resposta. Richa, por meio do Estado do Paraná, me feriu no Massacre do Centro Cívico de Curitiba e vou processar o Estado, para que ele depois processe Richa em uma ação regressiva.

Não vou citar nomes e nem o que os blogueiros falaram para não levantar a bola para ninguém. Quem vir alguma coisa contra mim e quiser me perguntar sobre, fiquem a vontade, que tenho maior prazer em esclarecer.

Ainda bem que na minha vida não conto apenas com o apoio da família. Conto com amigos advogados que me ajudam judicialmente. E conto com amigos, companheiros e apoiadores nas lutas do dia-a-dia.

Um abraço e a luta continua!

Tarso Cabral Violin – advogado, Professor de Direito Administrativo, mestre e doutorando (UFPR) e presidente da Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná – ParanáBlogs e autor do Blog do Tarso

Veja a petição do Impeachment de Beto Richa com 6 mil assinaturas

f92cdf3ffd8b10ec86c41ce752158326

Advogados Tarso Cabral Violin, André Passos e Rogério Bueno, servidor público Bernardo Pilotto e professor do Curso de Direito da UFPR, Luiz Fernando Lopes Pereira

Você ainda pode assinar digitalmente a petição, clique aqui.

Veja em PDF a Petição pelo Impeachment de BetoRicha.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARANÁ

“Quem responde pelo Governo, pelo Estado, é a autoridade, é o governador, se o Estado fez o que fez, é ele que tem que responder, a sanção natural para o que aconteceu é o Impeachment do governador Beto Richa

Celso Antônio Bandeira de Mello

TARSO CABRAL VIOLIN, professor universitário, advogado e autor do Blog do Tarso, inscrito junto à Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Paraná, sob o nº 29.416, com escritório profissional na Rua João Negrão, 731, 9º andar, Curitiba/PR, onde recebe as intimações e notificações, LUÍS FERNANDO LOPES PEREIRA, professor universitário, OAB 19.878, ANDRÉ FRANCO DE OLIVEIRA PASSOS, advogado, OAB/PR 27.535, NASSER AHMAD ALLAN, advogado e professor universitário, inscrito na OAB/PR 28.820, SANDRO LUNARD NICOLADELI, advogado e professor universitário, OAB/PR 22.372, SAMIR NAMUR, professor universitário e advogado, OAB/PR 40.852, HAROLDO ALVES RIBEIRO JR, advogado com a OAB/PR 23.150, BERNARDO SEIXAS PILOTTO, servidor público federal, ROGÉRIO BUENO DA SILVA, advogado inscrito na OAB/PR sob nº 25.961, JÚLIO CEZAR BITTENCOURT SILVA, advogado e professor universitário, LUDIMAR RAFANHIM, advogado e professor universitário, OAB/PR 33.324, MARCELO GIOVANI BATISTA MAIA, advogado e professor universitário, OAB/PR 27.184 e TODOS OS MAIS DE 6.000 APOIADORES NA LISTA EM ANEXO, vêm, mui respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, com fundamento no artigo 51, inc. I e art. 86, da Constituição da República, e na Lei 1.079/50, oferecer a presente

DENÚNCIA POR CRIME DE RESPONSABILIDADE

e requerer o

IMPEACHMENT

do Excelentíssimo Senhor Governador do Paraná CARLOS ALBERTO RICHA, vulgo BETO RICHA, pelas razões que passam a expor: Continuar lendo

Imprensa nacional divulga pedido de Impeachment de Beto Richa por juristas

A imprensa de todo o Brasil, seja a velha e nova mídia, divulgou sobre a petição de juristas, advogados e professores de Direito, junto com mais de 5 mil pessoas, que será protocolada amanhã, 13h30, na Assembleia Legislativa do Paraná, pelo Impeachment do governador Beto Richa (PSDB), por causa do Massacre do Centro Cívido de Curitiba de 29 de abril de 2015.

Ocorreu a divulgação nos sites Viomundo do Luiz Carlos Azenha e Conceição Lemes, Blog do Miro Borges, O Globo, GGN do Luiz Nassif, Gazeta do Povo, O Dia, PT Nacional, Diário do Centro do Mundo – DCM, UOL, Diário do Nordeste, Blog do Esmael Morais, Brasil 247, entre outros blogs e sites.

Assine a petição aqui.

Clique nas imagens para ir nas matérias.

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.49.27

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.37.33

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.41.28

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.56.25

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.40.12

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.52.57

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.42.29

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.50.50

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.57.44

Captura de Tela 2015-05-24 às 17.59.32

Captura de Tela 2015-05-24 às 18.12.52

 

Captura de Tela 2015-05-24 às 18.41.51