CPI do ICI

Paulo Salamuni, presidente da Câmara Municipal de Curitiba, disse  neste domingo no programa Jogo do Poder Paraná do advogado Luiz Carlos da Rocha que pode ocorrer uma CPI do ICI – Instituto Curitiba de Informática.

O ICI é uma entidade privada que lida com um orçamento semelhante ao da Câmara Municipal de Curitiba, mas de forma totalmente não transparente.

Além disso o ICI foi citado na CPI da Urbs, pois recebeu R$ 32 milhões sem licitação da Prefeitura de Curitiba e quarterizou para a empresa privada Dataprom, e repassou R$ 29 milhões, tudo sem licitação.

O ICI é uma OS – organização social, um modelo totalmente inconstitucional.

CPI do Transporte Público denuncia ex-prefeito Beto Richa

fdf091c5bb85e056cf084588dfea43be3d3070e5

O mandato da vereadora de Curitiba, Professora Josete (PT), aponta que o ex-prefeito e atual governador Beto Richa (PSDB) não só tinha conhecimento do edital de licitação, contendo diversas irregularidades, como aprovou o documento.

O relatório da CPI do Transporte Público foi apresentado ontem pelos vereadores que participaram da comissão de inquérito. Além das irregularidades já apontadas durante os interrogatórios, como as falhas jurídicas no edital de licitação, o mandato da Professora Josete fez outras denúncias e deu outros encaminhamentos.

Uma delas é o fato do ex-prefeito e atual governador Beto Richa ter conhecimento do edital de licitação que, como mostra o relatório, trazia diversas irregularidades. Durante os interrogatórios, o ex-presidente da URBS, Marcos Isfer, negou ou minimizou que o ex-prefeito tivesse acesso direto ao edital. Porém, em atas de reuniões do Conselho de Transporte Público de Curitiba na época da licitação, o mesmo Isfer afirma que o processo licitatório só avançaria com a aprovação do edital pelo então prefeito Beto Richa.

“Ao contrário do que foi dito durante a CPI, o prefeito tinha poder de decisão em relação ao relatório. Se a denúncia é que havia irregularidades no documento, elas foram sancionadas pelo gestor municipal da época”, aponta a vereadora.

Outro ponto incluído no relatório por Josete é o fato de um dos membros do Conselho Municipal de Transporte Público, Rodrigo Corleto Hoelzl, ser também representante do Consórcio Pioneiro, um dos vencedores da licitação. “Dentro dos preceitos da administração pública, essa prática afronta os princípios da moralidade, da igualdade e da competitividade. Dá a entender que este consórcio teve vantagens tendo um representante no Conselho”, acredita.

“Além disso, o advogado dos consórcios afirmou nos depoimentos que as empresas tiveram prejuízos desde o início dos contratos, em 2010. Nos estranha que, tendo um membro no Conselho e sabendo de todos os detalhes do edital, eles tenham participado da licitação, já que teriam prejuízo”, questiona a vereadora.

O relatório pede a nulidade imediata do edital de licitação. Também será proposto um termo de ajuste de conduta entre as empresas e a administração pública, para reduzir a tarifa enquanto uma nova licitação não é feita.

Andressa Mendonça está indignada por ter perdido o posto de musa da CPI do Cachoeira para Denise Leitão Rocha

Andressa Mendonça

Andressa Mendonça curtindo férias com Cachoeira solto em janeiro de 2013

Andressa Mendonça, esposa do bicheiro Carlinhos Cachoeira, está indignada por ter perdido o posto de musa da CPI do Cachoeira, para Denise Leitão Rocha, advogada e assessora parlamentar do senador Ciro Nogueira (PP-PI), que teve um vídeo com cenas de sexo explícito vazado na internet, também chamada de Furacão da CPI. A Playboy preferiu Denise Rocha.

Denise Rocha

Denise Rocha em foto da Playboy

Furacão da CPI do Cachoeira diz que é mulher séria

Conforme noticiado que após a divulgação na internet do seu vídeo erótico, a musa da CPI do Cachoeira foi demitida, mas já recebeu convite para posar nua na Playboy, a ex-assessora jurídica parlamentar do senador Ciro Nogueira (PP/PI), Denise Leitão Rocha, chamada de “Furacão da CPI” decidiu processar o parceiro pela divulgação da gravação. Diz que não é garota de programa, mas sim uma mulher séria.

Continuo afirmando: há muitos cargos de provimento em comissão no Congresso Nacional. Concurso público (sério) já!

Após vídeo erótico, musa da CPI do Cachoeira é demitida, mas já recebe convite da Playboy

 

A assessora jurídica parlamentar do senador Ciro Nogueira (PP/PI), Denise Leitão Rocha, que chamou atenção na CPI do Cachoeira por seus atributos físicos e já passeou com o deputado federal Romário (PSB/RJ), será demitida do gabinete, após o vazamento de um vídeo caseiro com cenas de sexo que está disponível na internet.

Mas ela está garantida financeiramente. Já recebeu convite para posar nua na revista Playboy e vai processar quem postou o vídeo erótico na internet.

Pergunta que não quer calar: para que tantos cargos de confiança, sem concurso público, no Congresso Nacional?

Veja quais são os deputados federais do Paraná que não assinaram a CPI do Cachoeira. Por que será?

Os nove deputados federais do Paraná não assinaram a CPI do Cachoeira:

Alex Canziani (PTB)

André Zacharow (PMDB)

Cida Borghetti (PP)

Fernando Giacobo (PR)

Hermes Parcianello (PMDB)

Luiz Nishimori (PSDB)

Nelson Meurer (PP)

Sandro Alex (PPS)

Zeca Dirceu (PT)

Não vote mais nos vereadores abaixo que inocentaram Derosso na CPI da Pizza

Prefeito Luciano Ducci, esposa de Derosso, e Derosso, que seria vice de Ducci antes do DerossoGate

Os vereadores de Curitiba que compõem a CPI do Derosso aprovaram o relatório de Denílson Pires (DEMO) que inocenta totalmente João Cláudio Derosso (PSDB). Não vote mais nos seguintes vereadores:

Denilson Pires (DEM)

Nely Almeida (PSDB)

Emerson Prado (PSDB)

Paulo Frote (PSDB)

Zezinho do Sabará (PSB)

Zé Maria (PPS).

Votaram contra o relatório laranja apenas os vereadores Paulo Salamuni (PV), Pedro Paulo (PT) e Tito Zeglin (PDT).