Eu Tarso pela Democracia: participe da campanha de crowdfunding

12193616_10204145006538910_7365730157193486328_n

Tarso Cabral Violin, 41 anos, advogado e professor universitário (currículo Lattes aqui), é um paulistano que mora em Curitiba desde seus 11 anos, após seu pai, físico e professor da USP, falecer com apenas 43 anos de idade. Na época sua mãe, também professora, resolveu residir em uma cidade mais tranquila com os três filhos. Hoje é casado e tem uma filha de 9 anos.

Em 2011 ele lançou o Blog do Tarso, com o intuito de discutir Política, Direito e Administração Pública e fazer o controle popular do Poder Público. Escritor, mestre e doutorando na UFPR, com 8 anos de experiência em cargos jurídicos na Administração Pública paranaense e mais de 15 anos lecionando e advogando, sem nenhuma mancha em seu currículo, resolveu aplicar na prática o que ensina em sala de aula e realizar o controle popular da Administração Pública federal, estadual e municipal, em defesa da nossa Constituição Social, Republicana, Desenvolvimentista e Democrática de Direito de 1988, por meio do Blog e de Ações Populares de interesse coletivo. A atuação no Blog é um trabalho voluntário, o Blog não é uma pessoa jurídica e não tem finalidade lucrativa. Em pouco tempo o Blog do Tarso transformou-se em um dos maiores Blogs sobre Política e Direito do Paraná e teve repercussão nacional, o que o colocou na mira de alguns políticos poderosos.

Em 2012, nas eleições para prefeito de Curitiba, o Blog do Tarso divulgou duas enquetes eleitorais, nas quais o então candidato Gustavo Fruet (PDT) aparecia na frente (ele acabou vencendo as eleições). O então prefeito Luciano Ducci (PSB), candidato à reeleição que acabou não conseguindo nem ir para o 2º turno, e seu grupo político liderado pelo governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), representaram Tarso na Justiça Eleitoral para pagamento de mais de R$ 200 mil em duas multas por causa das duas enquetes. Uma Resolução do TSE dizia que para divulgar enquetes: “deverá ser informado que não se trata de pesquisa eleitoral, e sim de mero levantamento de opiniões, sem controle de amostra, o qual não utiliza método científico para a sua realização, dependendo, apenas, da participação espontânea do interessado”. O Blog do Tarso divulgou que eram simples enquetes entre os leitores e não pesquisas eleitorais, mas não citou a frase exata da Resolução (que não deveria ter força de lei). O juiz de 1ª Instância entendeu como absurdas as multas. No entanto, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná aplicou duas multas a Tarso no valor total de R$ 106.410,00 (hoje o valor está em aproximadamente R$ 200 mil). Advogados voluntários recorreram aos Tribunais superiores mas Tarso perdeu, pois acabaram sendo discutidas apenas questões processuais e não de mérito. Agora, suas duas remotas esperanças são a Corte Interamericana de Direitos Humanos ou um Projeto de Lei de anistia a essas multas eleitorais que está parado no Congresso Nacional.

Capa para Facebook

Capa para Facebook

Tarso e seus amigos lançam esse crowdfunding (financiamento coletivo) (clique aqui) com o intuito de arrecadar R$ 200 mil para pagamento das duas multas, as quais já estão inscritas em Dívida Ativa da União e em fase de execução judicial. Caso a arrecadação seja superior ao almejado (devemos ser otimistas), a ideia é utilizar a sobra para projetos de defesa da Democracia e da liberdade de expressão.

Participe da campanha de crowdfunding (financiamento coletivo), as doações são solicitadas junto aos amigos, advogados, professores, jornalistas, blogueiros, estudantes, ativistas digitais, empresários e políticos das mais variadas correntes ideológicas, mas que acreditam na liberdade de expressão e na Democracia.

A dívida com a União por causa das duas multas, totalmente absurdas e desarrazoadas, inviabiliza a sobrevivência financeira da família de Tarso (praticamente um confisco) e a continuidade da própria existência do Blog do Tarso, além de causar sérias restrições junto ao Poder Público e de crédito por parte do autor. É quase que uma “pena de morte” ao Blog, o que seria muito bom para os poderosos, mas muito ruim para a Democracia, a liberdade de expressão e o próprio Direito.

Para ajudar financeiramente basta clicar aqui e contribuir no Paypal. É totalmente seguro. Ajude também divulgando a campanha para seus amigos, seguidores e colegas de trabalho e estudo.

O site oficial do crowdfunding é eutarsopelademocracia.com.br.

Muito obrigado!

cropped-eutarso

Anúncios

Um comentário sobre “Eu Tarso pela Democracia: participe da campanha de crowdfunding

  1. traindo ddimaTraindo dilma

    Política

    Você está aqui: Página Inicial / Política / Levy se desdiz ou se demite já!

    Levy se desdiz ou se demite já!

    publicado 01/11/2015

    Ministro da Fazenda do Governo Cerra?

    A agência Reuters informou que o Ministro Levy disse no Marrocos, num evento de coxinhas internacionais, essa turma que lava dinheiro no Grão Ducado de Luxemburgo e prega a moralidade, que a Petrobras não será mais a operadora unica do pré-sal.

    O ministro das Minas, Eduardo Braga fez o mesmo num evento no Texas, com os coxinhas do petroleo internacional, e levou uma chinelada publica da Presidenta.

    Ja faz tempo que o Joaquim Levy rumina dentro do Ministerio da Fazenda uma formula para tirar a Petrobras do pré-sal e entregá-lo ao Cerra, para doá-lo à Chevron.

    O Conversa Afiada e o destemido senador Requião sabem que um sub do sub do Levy preparava um “projetinho” para enfiar pela goela abaixo da Presidenta.

    Com um daqueles argumentos “é uma ordem de cima”.

    Como se alguém fosse bobo.

    Isso faz parte da agenda neolibeles do Levy: ele tenta empurrar pela goela da Presidenta o que a Presidenta repudia.

    Como se sabe, Levy é um tucano enrustido.

    Como os delcidios, que no Senado, votam com o Cerra …

    Mas, o Levy não tem o poder de mudar o regime de partilha.

    Mas, não custa tentar.

    Não custa botar lenha numa fogueira extinta – a do Cerra.

    O Conversa Afiada esperou o domingo inteiro para ver se o Levy ia se desdizer.

    Atribuir a um erro da tradução da Reuters …

    Não se desdisse.

    Portanto, melhor se demitir.

    E ficar no Marrocos mesmo.

    Paulo Henrique Amorim

    Date: Fri, 30 Oct 2015 04:17:13 +0000 To: mauriciomscavassa@hotmail.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s