Beto Richa agora ameaça os professores

11164052_507684306036858_4659564831440520851_n

Após agredir gravemente os professores, estudantes e servidores no massacre do Centro Cívico de Curitiba no dia 29 de abril de 2015, ontem (14) o governo Beto Richa (PSDB) ameaçou os professores públicos do Paraná, com desconto de dias parados dos professores em greve, abertura de processos por insubordinação contra diretores que estimularam a greve, apenas 5% de reajuste, encerramento das negociações com os servidores e abertura de seleção de Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de novos professores temporários para retomada das aulas.

Nota oficial da Direção Estadual da APP-Sindicato

Nos manteremos mobilizados e ainda em greve. Governo escolheu o caminho da ameaça e do medo, comum a governantes déspotas

O governador Beto Richa instaurou no Paraná um “Estado de exceção”. Governa cassando direitos e colocando-se acima das leis estaduais e federais. Parece que não há limites para sua tirania. No dia 29 jogou a polícia contra professores, professoras, funcionários e funcionárias de escola e demais servidores e servidoras públicas. Numa sequência, tentando justificar o injustificável que foi a barbárie do dia 29, demitiu secretários e promoveu alteração na cúpula da polícia militar e numa jogada de puro marketing, deu entrevistas dizendo-se ferido e arrependido de que estaria aberto ao diálogo.

Pois bem, depois da retórica e do chororô das entrevistas, era de se esperar, e porque o bom senso indicava, de que as negociações seriam retomadas. Qual nossa primeira surpresa quando na reunião de negociação de terça feira (12) o governo fez cara de paisagem e não apresentou nenhuma proposta, numa atitude de completo descompromisso e descaso com os servidores e as servidoras públicos. A atitude da APP, bem como das demais entidades do Fórum das Entidades Sindicais (FES), foi exigir do governo uma proposta para o pagamento da data-base, de cumprimento da lei. Estas atitudes do governo só serviram para aumentar ainda mais o sentimento de indignação na categoria. O ataque de bom mocismo do governador Beto Richa, de um homem aberto ao diálogo e democrático que se espraiou no último final de semana na velha mídia, esvaiu-se com as atitudes de seus séquitos secretários e secretárias na reunião do dia 12.

No entanto, seguindo o manual do bom tiranismo e atendendo ao Estado de exceção instaurado por ele, o que tinha sido feito até então, ainda não era suficiente, daí nossa segunda surpresa essa semana. No dia de ontem (14), uma nota publicada pela agência de noticias estadual traz que o governo encerrou as negociações e que encaminhará à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) reajuste da data-base em 5% divididos em duas vezes, sem data prevista para pagamento. Uma atitude unilateral, de um governo que não dialoga, que como sabemos, usa da violência para impor-se, tal qual ditadores fazem aqui e ali nesse mundo. Não obstante, a nota assedia os servidores e servidoras para que retornem ao trabalho como pena de prejuízos à carreira e promoção. Num ato ainda mais ditatorial indica abertura de processos contra diretores e diretoras que forem “insubordinados”. O termo da insubordinação até é previsto em códigos militares e não cabe para a sociedade civil, ainda mais em pleno regime democrático como é o Estado brasileiro, a não ser que se trate de um Estado de exceção.

É assim que o governador Beto Richa tratou e trata educadores e educadoras: primeiro com bombas, balas, depois o descaso, descompromisso, retirada de direitos, descumprimento de leis estaduais com a lei da data-base e lei nacional como a lei do piso e, agora, surgem as ameaças, a coação e assédio àqueles e àquelas que exercem o pleno direito constitucional de greve.

Mas ele não nos calará! Não calará os diretores e diretoras de escola e demais educadores e educadoras que continuam firmes no movimento de greve e resistirão às ameaças da exceção. Não nos calou quando fomos ameaçados que pela violência física das armas no dia 29 e muito menos nos calará pela violência simbólica do retorno à escola sob ameaça das faltas, possíveis processos administrativos, troca por PSS entre outras medidas.

Por tudo isso, cada vez mais a sociedade se coloca do lado dos educadores e educadoras, pois enxergam nesse senhor uma ameaça à democracia. É também por tudo isso que nos quatro cantos deste estado e do Brasil, pessoas das mais diferentes vertentes políticas gritam “Fora Beto Richa”, e ao dizerem isso, manifestam o descontentamento com policialesco estado de exceção criado no Paraná. Do lado de cá, nos manteremos atentos, vigilantes, mobilizados e ainda em greve porque o governo escolheu o caminho da exceção, da ameaça e do medo, comuns de governantes déspotas.

11196339_556469917828836_6957331500035925487_n

Anúncios

6 comentários sobre “Beto Richa agora ameaça os professores

  1. Ele está com medo! Apesar disso, a sua assessoria também podre, ataca como ato de defesa. Onde está a vice governadora ? Qual será a sua posição neste impasse ? Ela e os seus, são bem articulados na propaganda. Vivem disso. Fora Beto Ric
    ha e toda essa tropa que o rodeia !

    Curtir

  2. Um pai ausente de sua família ,volta depois de ter passado um tempo longe .
    Filho porque você não foi para a aula? -pergunta este pai inocente e ausente .
    O filho responde: pai não tem aula,
    Porque não tem aula,se não é feriado ?
    Não pai e que um tal beto roubou o dinheiro das professoras.
    Este pai muito espantado perguntou: filho o que você esta me dizendo?
    Então perguntou para a esposa e ela disse: é mais ou menos isso que dizem por ai.TAMBEM ITIRUO E BATEO NELES . Agora pergunto para este governo também ausente, como este filho inocente, este pai desinformado e esta mãe analfabeta, que futuro estas pessoas terão? que futuro esperar?… governador ausente incompetente, Beto Richa
    responda estas questões
    Pergunto também para a justiça onde tu se escondes? Vergonha em dose dupla!
    Este sera meu Parana de 2015. Este e nosso futuro!! VERGONHA.

    Curtir

  3. Como venho sugerindo desde a barbaridade cometida pela PM contra os professores a mando de Beto Richa, o Povo do Paraná tem que fazer GREVE GERAL exigindo a destituição do incompetente, desonesto, desumano e irresponsável Beto Richa que está mostrando quanta vilania ainda carrega!

    Curtir

  4. Pena que tantos educadores e educadoras, formadores de opinião, não tenham conseguido impedir a releição em 1º turno de um governador tão nefasto, tanto para os professores e professoras, como para a sociedade em geral, partindo do principio de que: “sem professores/professoras, não existe educação e sem educação não existe sociedade livre, organizada e consciente, capas de exercer sua cidadania em plenitude”. Sem envolvimento efetivo com a política e compromisso concreto com as formação para o pleno exercício de cidadania, dos milhões de jovens e adultos, comunidade estudantil, público alvo do processo educacional – nas escolas ou em outros espaços educativos – nossa categoria, jamais será reconhecida,valorizada, respeitada e tratada, como desejamos e merecemos. E, somente nós, temos poder para mudar o rumo das coisas, com três armas que jamais falham: consciência de classe, participação politica efetiva e, uma forte organização coletiva.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s