APP-Sindicato lamenta morte de adolescente em Curitiba

Vista da ocupação, por estudantes, da mais tradicional escola do Paraná - o Colégio Estadual -  contra a reforma do Ensino Médio em Curitiba, PR. O movimento estudantil Ocupa Paraná anunciou na manhã desta quinta-feira (13) que subiu para 250 o número de escolas ocupadas em todo o estado.

APP-Sindicato lamenta morte de adolescente em Curitiba

A APP-Sindicato, que representa os trabalhadores em educação das escolas públicas do Paraná, se solidariza a família e ao movimento dos estudantes pela morte de um adolescente na tarde desta segunda-feira (24) no Colégio Santa Felicidade, em Curitiba.
Infelizmente neste momento triste, surgem tentativas de criminalização do movimento legítimo dos estudantes e vinculação do sindicato ao episódio. A APP-Sindicato repudia tais ações. Assim como a sociedade paranaense, esperamos a apuração do caso pelos órgãos competentes.

Segundo informações do movimento Ocupa Paraná, “não há nenhuma informação concreta sobre a motivação dessa morte e também nenhuma informação repassada aos mais de 10 advogados do movimento que estão proibidos de entrar no local para dar suporte aos outros estudantes da ocupação que estão lá dentro com a polícia civil”.

Direção estadual da APP-Sindicato

Nota dos Advogados e das Advogadas pela Democracia

ocupac%cc%a7a%cc%83o-em-escola

NOTA – ADVOGADAS E ADVOGADOS PELA DEMOCRACIA

Soubemos com pesar da morte de um adolescente em um colégio estadual em Curitiba nesta tarde.

Lamentamos piamente que tal fato tenha ocorrido, sobretudo por ter ocorrido dentro de ambiente tão democrático e representativo quanto àquele criado por todos os estudantes presentes nas ocupações.

Nossos corações e nossas forças, nessa tarde e nessa noite de vigília, estão com a família e os amigos deste jovem.

Sabemos que a morte decorreu de uma briga, que tal briga era estritamente pessoal e não tinha qualquer relação com a luta do movimento secundarista contra as arbitrariedades do governo Temer e do governo Richa, porém, a mídia e parte do governo utilizam tal fato para desmoralizar os estudantes e fazer parecer que todas as ocupações são antros de violência e drogas.

Enganam-se os algozes da Democracia se pensam que triunfarão utilizando a morte de um adolescente.

Muitos de nós conhecemos os tempos escuros da ditadura e sentimos mais uma vez, em nosso país, o ódio permeando os corações dos brasileiros e os tiranos erguendo-se em um discurso de falso moralismo. Em tempos como estes, não podemos deixar de lembrar das sábias palavras de Gandhi, líder do maior movimento de resistência pacífica já visto:

‘Quando me desespero, lembro-me de que em toda a História a verdade e o amor sempre venceram. Houve tiranos e assassinos e, por um tempo, pareciam invencíveis mas, no final, sempre caíram. Pense nisso! Sempre.’

Sabemos que o medo permeia o coração de vários estudantes e vários pais no dia de hoje, porém, TEMER nunca será a solução.

Amanhã há de raiar um novo dia, Lucas será lembrado e lamentaremos sempre que ele tenha partido tão jovem, abaixamos a cabeça no dia de hoje para que nossas lágrimas caiam, mas amanhã continuaremos resistindo e apoiando todas as ocupações, porque temos a certeza de que o sol mais uma vez aparecerá e todos os jovens estarão de pé, lutando por um sistema educacional mais justo e melhor.

Temos a certeza: tiranos não podem impedir o sol de nascer, não podem impedir a resistência secundarista e, como bem lembrado, não podem impedir a primavera que se aproxima.

O ódio e o medo não prevalecerão sobre o amor e a paz.

Permaneçamos unidos, firmes, resistindo e ocupando.

Advogad@s pela Democracia.

Vereadora Professora Josete recomenda voto nulo no 2º turno de Curitiba

josete

A vereadora reeleita Professora Josete, do Partido dos Trabalhadores, recomenda o voto nulo no segundo turno das eleições para prefeito de Curitiba em 2016. Ela informa que a Executiva do PT deliberou pelo voto nulo, nem Greca, nem Ney:

“Neste segundo turno é importante aprofundarmos a análise do programa de governo dos dois candidatos Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD). Nenhum dos dois enfrentará as questões estruturais da cidade, aliás, ambos representam os ‘donos da cidade’! Nenhum dos planos de governo sequer menciona o SUS e o SUAS, sistemas nacionais importantes para a manutenção de políticas universais da saúde e assistência social. A Educação é tratada de for pontual, ambos ignoram as diretrizes, metas e ações propostas nos Planos Nacional e Municipal de Educação.

Os dois defendem explicitamente as parcerias público privadas. Ambos ainda, não pautam mudanças estruturais no Transporte Coletivo (cartel das empresas), na moradia (especulação imobiliária), não tocam na questão do ICI (Instituto Cidades Inteligentes), não tratam do direito à cidade (reforma urbana). Retomam o neoliberalismo nas mesmas bases do Governo Temer.”