Ainda sobre o Reinaldo Azevedo da Veja

Reinaldo Azevedo e seu amigo, o tucano José Serra

Reinaldo Azevedo e seu amigo, o tucano José Serra

Muito dizem que não vale a pena falar sobre o que Reinaldo Azevedo, da revista Veja, falou sobre o arquiteto comunista Oscar Niemeyer, falecido na quarta-feira (5).

Disse que Oscar Niemeyer era metade gênio, metade idiota, por ser comunista.

Não, Reinaldo Azevedo não questionou o arquiteto Oscar. Por mais que, por incrível que pareça, ontem mesmo alguns questionaram até a qualidade das obras de Niemeyer. Teve gente, por exemplo, que falou mal do urbanismo de Brasília, esquecendo-se que o urbanista da capital federal foi Lúcio Costa.

Mas Azevedo chamou Oscar de idiota por ele ser comunista. Não percebe, o verdadeiro imbecil, que a visão política e social de Oscar está em praticamente todas as suas obras.

Não percebe Reinaldo o quanto as palavras e ideias de Oscar também eram belas, como as seguintes enviadas ao Blog do Tarso pela leitora Marilisa Fonseca de Lima Lange, do livro “Nas curvas do tempo” de Oscar Niemeyer:

“Nunca fui contra qualquer movimento de protesto. É preciso protestar. Uma palavra que seja, dita com coragem, na hora certa, só merece apreço. Muitas vezes, quando a miséria é demais e os homens a esquecem, a solução é reagir.”

“Dentro das minhas limitações de simples arquiteto, sinto com tristeza a situação do meu país. A miséria imensa que o cobre e o desprezo da burguesia multiplicando-a.”

“Eis que lhes devia dizer sobre a minha arquitetura feita com coragem e e idealismo, mas consciente de que o importante é a vida, os amigos, e esse mundo injusto que precisamos melhorar.”

Muitos dizem que não devemos divulgar a revista Veja e o próprio Reinaldo.

Discordo. Não acredito que apenas imbecis lêem a revista Veja. Claro, muitos imbecis lêem a Veja. Mas muitas pessoas continuam lendo a revista por costume, as vezes até costume de família. Alguns leitores não percebem o quanto a revista Veja representa apenas uma pequena parcela conservadora de ultra-direta do Brasil. Ainda acredito que essas pessoas que continuam lendo a Veja, quando se deparam com idiotices como as ditas pelo Reinaldo Azevedo, aos poucos vão deixar de assinar e comprar a Veja. A Veja já perdeu vários leitores para outras revistas, jornais e para a própria blogosfera. E a tendência é acabar. Ou se manter como a revista oficial de uma minúscula parcela da sociedade que acha que ainda está no período da monarquia ou do liberalismo do século XIX.

Para terminar, um sambinha composto por Oscar Niemeyer:

Oscar Niemeyer, o revolucionário

Captura de Tela 2012-12-06 às 23.28.50

“Nunca fui contra qualquer movimento de protesto. É preciso protestar. Uma palavra que seja, dita com coragem, na hora certa, só merece apreço. Muitas vezes, quando a miséria é demais e os homens a esquecem, a solução é reagir.”

Oscar Niemeyer, “Nas curvas do tempo – Memórias”

Colaboração de Marilisa Fonseca De Lima Lange

Lula homenageia Oscar Niemeyer

228252_406007462801593_98433796_n-1

Lula entrega a Oscar Niemeyer a medalha da Ordem do Mérito Cultural, na classe Grã-Cruz, em novembro de 2007

“Juntamo-nos a todo o Brasil no luto pela morte do arquiteto Oscar Niemeyer. Ele se vai, mas ficará sempre entre nós, presente nas linhas dos edifícios que plantou no Brasil e em todo o mundo. A monumental Brasília, onde deixou a marca de sua arte e concentrou seus sonhos de uma cidade que pudesse abrigar com carinho e conforto pobres e ricos, homens comuns e poderosos, será sempre a expressão máxima de sua genialidade e de sua generosidade.”

Marisa Letícia e Luiz Inácio Lula da Silva

Sabia que Oscar Niemeyer criou uma obra em homenagem a Jaime Lerner?

8118599

Monumento de Oscar Niemeyer na BR 277, em Campo Largo/PR, perto de Curitiba. Foto de Diogo L Neves.

Sabia que o arquiteto comunista Oscar Niemeyer, que faleceu ontem com 104 anos, um gênio dos nossos tempos, criou uma obra em homenagem ao arquiteto e ex-governador do Paraná, Jaime Lerner?

Jaime Lerner foi um razoável prefeito de Curitiba (mesmo que a primeira gestão ele tenha sido um prefeito biônico escolhido pela ditadura militar) mas um péssimo governador do Estado do Paraná (1995-2002). Um governo que precarizou a Administração Pública paranaense, com terceirizações, privatizações, criação dos pedágios com preços escandalosos e quase privatizou a Copel, tudo com apoio do então deputado estadual e hoje governador, Beto Richa (PSDB).

Talvez a única coisa importante que Lerner fez como governador foi o então chamado Novo Museu, desenhado por Oscar Niemeyer, que posteriormente foi acertadamente rebatizado pelo governador Roberto Requião (PMDB) de Museu Oscar Niemeyer. Claro, Lerner não podia fazer tudo 100% e privatizou a gestão do Museu para uma OSCIP. Mas não é dessa obra que estou falando.

Uma das obras mais importantes de Oscar Niemeyer foi o monumento ao MST que o arquiteto desenhou após o homicídio do trabalhador sem-terra Antonio Tavares Pereira, que fica entre Campo Largo e Curitiba, na beira da BR 277.

O assassinato do trabalhador sem-terra Antonio Tavares ocorreu no dia 2 de maio de 2000, durante uma marcha pela reforma agrária organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST em Curitiba. Na entrada da cidade, cerca de 50 ônibus que chegavam para o ato foram interceptados pela Polícia Militar do Estado do Paraná, comandada pelo então governador Jaime Lerner. Conforme relatos, assim que os primeiros trabalhadores desceram dos ônibus, policiais começaram a atirar. 180 pessoas foram feridas e Antônio Tavares Pereira foi atingido no abdômen e faleceu horas mais tarde no Hospital do Trabalhador. No mesmo ano a Justiça Militar arquivou o caso sem sancionar qualquer policial. O MST, Terra de Direitos, Justiça Global e a CPT denunciaram o caso na Organização dos Estados Americanos – OEA.