Manifestante de Londrina prega a morte de Dilma por meio de forca

Captura de Tela 2015-03-15 às 18.35.19

Em Londrina, a segunda maior cidade do Paraná, um manifestante chegou a pregar a morte da presidenta Dilma Rousseff (PT) por meio de uma forca. Londrina é a cidade que mais apoia o governador Beto Richa (PSDB) e que mais votou em Aécio neves (PSDB), candidato derrotado para a presidência em 2014.

Anúncios

5 comentários sobre “Manifestante de Londrina prega a morte de Dilma por meio de forca

  1. As direções do PT erraram, Tarso. Não o PT como um todo. Erraram feio. Erraram ao pensar que por estar no poder, seriam reconhecidos e aceitos pela elite como “gente nossa”. Erraram por se elitizarem. Por se transformarem em super-Homens e super- Mulheres, acima de qualquer um. Erraram por querer fazer do PT apenas uma escada para seus projetos pessoais. Erraram por eliminar o papel educador do Partido enquanto instituição criada pela Constituição para desempenhar esse papel. Erraram por tentar transformar o PT em mais um partido comum, ainda que com um programa melhor e uma prática mais voltada aos mais pobres. Erraram por desprezar a luta no terreno das ideias, confundido-a propositalmente com o doutrinarismo e com o esquerdismo inconsequente para conseguir vencer a luta interna incansável contra os que pensavam diferente e apontavam os erros que agora estão aí. Erraram por já em 2008, negar-se a fazer autocrítica da derrota por 72% a 18% impedindo até a entrada de militantes fundadores do partido que queriam participar da discussão. Erraram por usar os mesmos métodos de incutir o medo e o ódio contra os poucos que criticaram os desvios do personalismo, do comando financeiro e não político do partido, da falta de propostas claras, do “bom mocismo” vazio e infantil, que apenas difundia nas propagandas do PT um conjunto de faces tão bonitas quanto inexpressivas do ponto de vista do aprendizado político do Povo. Erraram por omitir-se inúmeras vezes de participar do dia a dia do povo, de sofrer com ele as suas angústias, por esquecer completamente a proposta de construir um partido diferente, sem “donos” nem “patrões”, entendidos como expressões que representam o velho “coronelismo” político. A base do PT não errou. A base do PT perdeu isso sim qualquer possibilidade de reagir, de interferir, pois a menor discordância foi sempre “tratorada”, derrotada no voto da “maioria” do “nós contra eles” . A base do PT perdeu até a possibilidade de errar, pois foi transformada em “carregadores de piano” que outros tocam enquanto o navio faz água. Mas ninguém pode fazer nada porque os dirigentes são mais infalíveis que o Papa e estão sempre tão certos como o pontífice, devido ao dogma da infalibilidade. Erraram por não organizar o partido pela base, em núcleos por bairros e por categorias, como ele começou e teve tanto sucesso, alegando que isso era “coisa do passado” e que o moderno agora é não ter organização nenhuma e apenas comparecer nas eleições para carregar bandeira, distribuir santinho e bater palmas nos comícios super-produzidos onde apenas falam os maiorais de sempre. Que nada dizem para organizar e reforçar as campanhas a não ser e mesma e surrada cantilena, sem dar nenhum norte para as campanhas.Erraram principalmente ao não estimular o contraditório, ao impor a “verdade única”, ao inibir as críticas, ao isolar os que não comungar exatamente da mesma cartilha. Erraram ao não admitir nem promover o debate político da conjuntura, as discussões sobre a estratégia e tática política, reduzindo-as ao conhecimento de uma pequena parte dos militantes. Erraram ao não defender uma nova política de comunicação de massa para o partido, teimando na tese de que um dia, quem sabe, quando a “mídia for democratizada”, nossos adversários por alguma razão desconhecida, nos dariam espaço em seus veículos de comunicação, como se eles fossem “de todos” e como se seus proprietários fossem tolos o bastante para dividirem conosco seus espaços, seu lucro, seu patrimônio, suas máquinas e funcionários. Isso uma bela desculpa para não fazer nada em prol da construção de meios próprios e independentes de comunicação de massas. Agora não é só lamentar e atira pedras, mas mudar o rumo. Práticas iguais, levarão a resultados iguais. Ou ainda piores. Deixar todo esse enorme contingente de descontentes na mão de nossos adversários é arriscar não só o poder adquirido nas urnas, mas muito mais que isso, arriscar a volta do Brasil à ditadura militar ou civil de algum aventureiro. As direções partidárias precisam ser renovadas, Os marqueteiros profissionais, que hoje estão aqui e amanhã estão ali, devem voltar para suas agencias e estúdios O PT precisa reassumir sua própria direção política, que foi entregue a “profissionais” que podem até saber como se ganha uma eleição no sistema eleitoral corruptor que aí está. Mas não sabem como fazer o poder ser mantido. Decididamente. O PT precisa retomar seu papel de formador de opinião pública, de debate político, de grande escola de cidadania que escuta e entende as reclamações indistintas e desencontradas da multidão e as canaliza na direção certa e não contra o governo do PT. Antes que nos critiquem ter feito esse desabafo através do seu blog, digo que o faço pelo PT do Paraná não ter nada parecido com o seu blog e muito menos por não ter espaço para que esse tipo de debate se dê a nível presencial, já que as instancias partidárias estão muito mais inativas do que nunca. E até parece, passaram à clandestinidade. As manifestações de ontem em todo barsil mostraram que ainda há esperança, mas também mostraram que nossa garra e nossa militancia são a unica coisa verdadeira de que dispomos, E elas devem ser respeitadas e valorizadas, como nunca, antes que seja tarde demais. Ao Diretório regional nossa sugestão: reunião de avaliação da conjuntura amanha, segunda feira, 1930 horas. Mas é só uma sugestão de um fundador do partido. Nada de sério, portanto, na ordem natural das coisas, não é?

    Curtir

  2. Faltou coisa a dizer. Sempre vai faltar é claro. Mas não podia deixar de admitir que as direções falharam ao alegar sua própria fraqueza e sua própria covardia como desculpa para NÃO PROMOVER UMA DECIDIDA LUTA CONTRA A CORRUPÇÃO DESDE O PRIMEIRO DIA DO GOVERNO EM 01 DE JANEIRO DE 2003. Já imaginaram? Se no site do PT nacional e estadual tivéssemos durante os 12 anos passados um banner “DENUNCIE CASOS DE CORRUPÇÃO AQUI” ?

    Será que a essa hora quem estaria na rua com um milhão de pessoas não seríamos nós e os corruptos e corruptores da oposição ou da “base aliada” não estariam em casa, temendo serem descobertos? Mas não!

    “Não temos força para realizar as reformas….Precisamos ser pragmáticos….As coisas são dificeis… Não dá para confiar no povo….Mao Tsé Tung também fez alianças….Foram tantas outras desculpas para deixar de estar do lado do povo, com o povo, ouvindo o povo e educando-o para a cidadania e o debate político mesmo quando não for tempo de eleições.

    Foram 12 anos de erros enormes no Partido, que tirou férias da política e se encostou no governo como se fosse um de seus ministérios. Doze anos de silêncio, de fuga da rua, das manifestações, como se a direita política já não tivesse dado todos os sinais de que com a ajuda do enorme aparato midiático que possui iria rpetir no Brasil o que fez na Líbia, no Egito, na Tunísia, no Irã, na Ucrânia, na Venezuela e até na Rússia.

    Foram 12 anos de otimismo exagerado, de olhar superior contra a minoria que cobrava ação, discussão, garra e vontade de mudar a sociedade enquanto o governo este sim, cuidava de melhorar a vida do povo mais pobre agora, no imediato.

    Foram 12 anos confundindo as funções de governo, que deve ser de todos mesmo, com as de partido, que trabalha para uma parte da sociedade, no sentido de fortalece-la enquanto força política e não apenas enquanto empregado e consumidor, função dos sindicatos e associações de consumidores e procons da vida.

    Foram 12 anos quase perdidos do ponto de vista da formação de uma consciência política numa parcela da população que tinha e tem tudo para se identificar com as ideias do PT já que a aplicação de apenas algumas de suas políticas de distribuição de renda já a fizeram ascender socialmente, em termos materiais.

    Foram 12 anos de ouvidos moucos, negando-se a ouvir as bases do partido,que com a tal de PED, passaram a ter pouco mais direitos do que os “militantes” dos partidos tradicionais, que são carreados “pró” ou “contra” alguém pelos “caciques” que pagam o lanche, o ônibus, ou “a gasolina” no dia da convenção sem saber por que vão votar, sem conhecer as propostas políticas de cada lado.

    Foram 12 anos de combate à corrupção sem divulgação alguma disso, com mais de 2840 operações da Polícia Federal contra 28 nos governos do PSDB, REPITO: SEM NENHUMA DIVULGAÇÃO DISSO!! SEM QUE O SITE DA PF MOSTRE ISSO. Como se a luta contra a corrupção fosse da oposição e não do governo, como se a Polícia Federal fosse da oposição e não do Governo Federal!

    Foram 12 anos de atuação apenas parlamentar do Partido, e assim mesmo, muito falha com poucos discursos da Tribuna durante a Voz do Brasil, com o Partido ficando quase mudo, calado, intimidado, como se não tivesse obtido 52% dos votos.

    Foram 12 anos de um Partido acuado, sem vozes, sem tocar em temas contraditórios, um partido sem estrutura de debate de questões essenciais como o de energia, de abastecimento de água, pois os seus nucleos setoriais destes temas não são incentivados mas deixados à míngua para morrer sem participação, provavelmente, para não “colidir” com as posições do governo com relação a esses temas.

    Isso precisa mudar.
    E agora é a hora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s