Noruega, um paraíso com muito Estado Social, serviços públicos e impostos

WELFARE-STATE

Noruega é o país mais próspero do mundo, com muito Estado do Bem-Estar Social. Com muita igualdade. Com muita justiça social.

Deveria ser um modelo para o Brasil, mas infelizmente nossas elites e classe-média conservadoras não permitem uma radicalização do Estado do Bem-Estar Social previsto na Constituição de 1988.

Na Noruega o neoliberalismo, o capitalismo liberal, a desigualdade, o egoísmo, o individualismo não se criam.

Noruega, em 100 anos, passou de um dos países mais pobres da Europa, convivendo com o gelo e a escuridão por metade do ano, para ser sinônimo de riqueza e justiça social com um PIB per capita de US$ 100 mil.

Jovens da Suécia emigram para a Noruega em busca de uma vida melhor.

Noruega foi o país que menos sentiu a crise europeia.

Noruega prioriza gastos com educação. Em 40 anos o número de servidores públicos nas escolas dobrou. No Brasil a Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe aumento de gastos com servidores na saúde e educação.

Na Noruega, com a educação garantida, o número de jornais também é elevado. Para uma população de apenas 5 milhões de pessoas há 280 jornais em circulação, o índice mais alto do mundo.

Em 30 anos os noruegueses reduziram suas horas de trabalho em 270 horas, ganhando mais de dez dias de férias ao ano, e parte significativa dos trabalhadores já consegue trabalhar apenas quatro dias na semana.

Noruega traduziu petróleo em prosperidade e igualdade.

Noruega tem um Produto Interno Bruto per capita acima de US$ 100 mil.

Segundo a ONU, jamais uma sociedade atingiu nível de desenvolvimento humano igual ao de Oslo, capital da Noruega.

Mesmo em uma era de austeridade e crise global, o sistema do Estado de Bem-Estar Social na Noruega se manteve intacto, com salário mínimo de US$ 4,8 mil (cerca de R$ 14 mil) e o desemprego é de 2%.

Nas eleições da Noruega o único debate é o que fazer com o dinheiro que sobra nos cofres públicos.

A Noruega tem o maior fundo soberano do planeta, estimado em US$ 815 bilhões e os cofres do Estado estão abarrotados.

O Estado norueguês comprou 1% de ações em bolsas de todo o mundo e investe em 3,2 mil empresas.

Na Noruega é forte a presença do Estado em praticamente todos os campos da economia, desde depois da 2ª Guerra Mundial, quando o governo nacionalizou empresas ligadas à Alemanha. O Estado ficou com 44% das ações da Norsk Hydro, tem participação de 37% na Bolsa de Valores de Oslo e em dezenas de empresas. Hoje o Estado da Noruega controla a petroleira Statoil, o grupo de telecomunicações Telenor, a fabricante de fertilizantes Yara, e o maior banco do país DnBNor.

Na Noruega os sindicatos negociam a cada ano seus salários, dependendo das necessidades do setor exportador e para garantir que o produto nacional continue competitivo no mercado global.

Nas eleições da Noruega os partidos políticos prometem não cortar impostos.

No Estado de Bem-Estar Social da Noruega os homens cuidem de seus bebês e a cada ano o governo destina 2,8% do PIB para apoiar famílias em tudo que precisam para ter filhos. Os pais que decidem não levar as crianças para creches recebem, a cada mês, um cheque de 200 para ajudar nos gastos. Lá os cidadãos que recebem benefícios sociais do Estado não são chamados de vagabundos. É um direito legitimado!

Na Noruega a licença-maternidade é de 9 meses para a mãe e quatro meses para os pais. Nesses meses quem paga o salário dos pais é o Estado. O governo avalia que esse incentivo para as mulheres e leis para garantir a igualdade de gênero são positivas para a economia. As empresas são obrigadas a dar 40% das vagas em seus conselhos para mulheres. 75% das mulheres trabalham fora e para o governo isso representa maior atividade na economia e um número maior de pessoas pagando impostos.

Na Noruega o imposto de renda é atinge 42%, é maior do que no Brasil. Lá existe consenso de que o valor é justo para manter o sistema. O Estado paga do berçário ao enterro, financia estudantes e até banca férias.

Muitas das informações acima foram publicadas no jornal O Estado de S. Paulo de hoje.

Na Noruega há problemas. Há uma extrema-direita. Há racismo. Há consumismo. Há consumo alto de drogas. Portanto, o capitalismo ainda está presente. Mas os avanços deveriam ser modelo para o mundo.

Enquanto isso ainda há nos países subdesenvolvidos, periféricos, pessoas que defendem menos Estado, mais desigualdade, mais egoísmo. Por ignorância ou má-fé. Ou interesses financeiros individuais.

O modelo de sociedade norueguês é o mínimo que se espera para uma sociedade. O resto é barbárie.

Xô privatizações. Xô neoliberalismo-gerencial.

Anúncios

86 comentários sobre “Noruega, um paraíso com muito Estado Social, serviços públicos e impostos

      • “curioso” o “socialismo” ter “surgido” em sua forma mais linda fora do leste europeu, em meio ao “capitalismo” pq será?

        Curtido por 1 pessoa

      • O PIB nominal de US$ 101,2 mil (2013) distorce a realidade. O certo é PIB per capita, de US$ 55,4 mil. O maior PIB per capita do mundo é o de Luxemburgo US$ 81 mil.

        Curtir

      • O PIB nominal de US$ 101,2 mil (2013) distorce a realidade. O certo é PIB per capita, de US$ 55,4 mil. O maior PIB per capita do mundo é o de Luxemburgo, US$ 81 mil.

        Curtir

      • Amigo Klaus, não deveria ser curiosa sua observação, pois vai ao encontro do desenvolvimento social pensado por Marx, sobre o capitalismo, socialismo e comunismo. Conforme Marx, um país altamente capitalista tem mais condições de se tornar socialista, pois tem condições de distribuir riquezas. Precisamos ser um grande país e não uma grande potência.

        Curtir

    • esse “socialismo” demorou a dar certo heim, coloca ai que a Noruega esta entre os primeiros em ajuda à empresas e industrias, e não tem ódio das mesmas e quer estatizar todas

      Curtir

    • Não são poucos os socialistas que se adaptaram ao mundo pós-queda do Muro de Berlim, passando a defender a social-democracia. Trata-se da famosa “terceira via”, muitas vezes apenas um rumo um pouco diferente para o mesmo objetivo: um estado grande e autoritário.

      O que está por trás dessa luta ainda são fatores ideológicos. Os “estatólatras” aprenderam a “pensar” somente através da ótica de explorados e exploradores e, curiosamente, consideram como exploradores os empresários que geram empregos e oferecem serviços no livre mercado, enquanto os políticos são vistos como seres perfeitos e iluminados. Um dos casos mais bem sucedidos usados por eles é o da Noruega, um país rico e com ótima qualidade de vida. Uma lupa, porém, mostra que as causas da riqueza são outras. Vamos analisar alguns dados.

      Esses adeptos do estado “bem-feitor” argumentam que a Noruega é rica por causa dos elevados impostos e gastos públicos. Ignoram completamente que correlação não é o mesmo que causalidade. Uma nação rica onde chove muito seria usada, por essa “lógica”, para “provar” que a chuva traz riqueza! Claro que ninguém razoável pode achar que o fato de o governo extorquir metade da produção privada favorece uma nação. Indivíduos não trabalham duro para sustentar o “bem geral”, nem tampouco os burocratas do estado.

      São interesses particulares que promovem a produtividade e o avanço econômico. Somente um louco acreditaria que a produção aumenta mais quando as pessoas sabem ex-ante que metade será tomada pelos impostos, em vez de ser livremente utilizada por quem a gerou.

      Analisando um pouco mais de perto a história da Noruega, fica evidente que o país é rico a despeito do tamanho do estado, não por causa dele. Afinal, a grande maioria de países com estado grande e impostos elevados afunda no atoleiro da miséria, o que já prova que a causa do sucesso norueguês é outra.

      No final dos anos 1960, a descoberta de petróleo e gás, principalmente no Mar do Norte, garantiu um forte impulso na economia da Noruega. O país produz hoje cerca de 3,5 milhões de barris diários, uma das maiores produções do mundo. O petróleo representa cerca de um terço do total exportado. Somente a Arábia Saudita e a Rússia exportam mais do “ouro negro”.

      Estamos falando, portanto, de uma Venezuela sem Hugo Chávez, civilizada, na Europa. Um solo e mar que contam ainda com outros vastos recursos, como minério de ferro, zinco, níquel e muito peixe. E de uma nação com pouco mais de 4,5 milhões de habitantes, o mesmo que a cidade do Rio de Janeiro. Ora, com tamanha riqueza natural e tão pouca gente, somente muita incompetência estatal para ficar pobre. Seria necessário uma gestão socialista para tanto, nos moldes cubano ou soviético.

      Ficando no “meio” do caminho, ainda garantindo uma boa dose de liberdade econômica e burocracia controlada, seria evidente esperar abundante riqueza para o povo. Basta imaginar uma Arábia Saudita sem a família Saud, com um governo ocidentalizado, ainda que grande demais e ineficiente. Se até a própria Arábia Saudita conseguiu, por um bom tempo, financiar um mega-esquema de “welfare state”, dando escola e hospitais grátis para toda a população, claro que a Noruega tinha que se sair melhor!

      Mas o fato é que o peso do estado, ainda que o preço do petróleo esteja ajudando muito, começa a ser sentido. O país já esboça um programa de privatizações mais agressivo, mantendo, entretanto, a Statoil, estatal de petróleo, fora do mais eficiente setor privado. O receio da exaustão dos campos de petróleo, algumas décadas à frente, fez com que fosse criado um fundo de reserva, que já conta com mais de 40 bilhões de dólares, devidamente aplicados no exterior, provavelmente em títulos do governo americano (com poupança não se brinca).

      O PIB cresceu apenas 1% em 2002 e 0,5% em 2003, mesmo com o elevado preço do petróleo. Os frutos podres começam a aparecer, como conseqüência das sementes plantadas atrás. E o país vai tentando se aproximar mais de um modelo de estado menor e mais enxuto. O governo abriu totalmente aos estrangeiros, por exemplo, o sistema de distribuição de eletricidade, tornando-o um dos mais liberais do mundo.

      O governo tem incentivado também a exploração de petróleo por empresas estrangeiras. O mercado financeiro tem sido fortemente liberalizado, acabando certas restrições anteriores. Em outubro de 2002, o governo aboliu um imposto de 7% sobre investimentos na compra de ativos. O Ministério de Finanças acabou com as restrições quanto ao estabelecimento de agências de instituições financeiras estrangeiras, incluindo bancos. Enfim, uma infinidade de reformas liberalizantes tem ocorrido na Noruega, para buscar maior dinamismo econômico e reduzir o asfixiante papel do estado.

      Enquanto isso, os cegos voluntários se negam a enxergar o óbvio. Não conseguem, por razões ideológicas apenas, admitir que a riqueza da Noruega existe apesar do tamanho do estado, e não graças a ele. Comparam esse “poço de petróleo” chamado Noruega, com menos de cinco milhões de habitantes, com os Estados Unidos, para defender a “terceira via”. Somente a perfídia pode justificar uma atitude dessas.

      Os Estados Unidos possuem quase 300 milhões de habitantes. A quantidade de imigrandes que buscam o “sonho americano” é absurda. Imaginem todos os cubanos, brasileiros, mexicanos, indianos, e chineses que invadem o solo americano todo ano, partindo para a procura de empregos na Noruega. Como será que estaria a qualidade de vida por lá?

      Os Estados Unidos geraram mais de um milhão de empregos por ano nos últimos 15 anos, contra zero na Europa. Absorveram a mão de obra de boa parte do mundo. E seus consumidores, em uma economia que representa 30% da mundial, garantem os empregos pelo mundo afora, comprando US$ 600 bilhões a mais do que vendem, a cada ano. São os maiores clientes de praticamente todos os países do globo. Poderiam melhorar muito ainda, se reduzissem o papel do estado lá também.

      Somente má-fé pode levar alguém a concluir que o modelo norueguês é melhor que o americano, mais próximo um pouco do capitalismo liberal. E vejam que mesmo com todas essas diferenças estruturais absurdas, a renda per capita americana é igual a norueguesa, de US$ 37.800 anuais [hoje a americana é US$ 50 mil e a norueguesa é 10% maior].

      Ou seja, juntando todos os bairros pobres americanos, todo o contingente de imigrantes que buscam uma vida mais digna lá, e levando em conta que estamos falando de 300 milhões de habitantes, não cinco, ainda assim temos basicamente a mesma renda por habitante em ambos os países. Apenas um mentecapto não concluiria que a adoção de um modelo mais capitalista e com estado menor traria muito mais riqueza ao povo da Noruega.

      Bem que os amantes da social-democracia gostariam que a causa da riqueza da Noruega fosse seu estado grande e “bem-feitor”, mas os fatos são teimosos e não se moldam de acordo com nossos desejos. É evidente, para quem ainda não foi picado pela “mosca” marxista, que anula a capacidade racional do cérebro, que a Noruega é um caso claro de sucesso a despeito de seu modelo político. Os vastos recursos naturais e uma economia razoavelmente livre compensam a gastança estatal. Mas esse gasto estatal, como sempre, é o vilão, não o mocinho!

      Curtir

      • Apesar de todos esses fatos que você apresentou, essa riqueza americana está extremamente mal distribuída, sendo um dos países com maior desigualdade social, dentre os países desenvolvidos. A razão não seria o próprio liberalismo?

        Curtir

      • Se enganou na comparação entre a população norueguesa e a população da cidade do Rio de Janeiro. No censo de 2010 a população da referida cidade foi de 6320446 pessoas e não 4500000 como mencionada pelo pró neo liberal.

        Curtir

      • Como, no Brasil nao existisse vastos recurso naturais, so,que o grande problema de nosso país é corrupção do estado

        Curtir

      • O neoliberalismo, com toda as suas teorias de desregulamentação, causou a crise de 2008. Atualmente, essa tese está totalmente desmoralizada, tanto que os países estão recrudescendo as suas economias. A questão da Noruega ser um país pequeno e ter 5 milhões de habitantes não neutraliza os efeitos gerados pelo estado, dado que o aumento da renda per capta – mais dinheiro para todos – propicia uma maior demanda geral, uma maior possibilidade de abertura de empresas com foco em mercadoria, e principalmente, em serviços. Pois todos os países desenvolvidos possuem um setor terciário muito forte. Entretanto, se a riqueza nacional está na mãos de poucos que vão investir seu dinheiro em especulação financeira que não produz nada, a economia perde força.

        Assim como a Noruega, a Finlândia, a Suécia, a Dinamarca também têm uma base eminentemente estatal, e todos eles possuem, em comum, um olhar menos egoísta para as suas populações. Dessa forma, não é o petróleo que explica o êxito da Noruega, e sim, a inclusão social. Este país possui uma filosofia que deveria ser a regra geral de todas as nações: confiança mútua; a população confia no governo e mas empresas. estes por sua vez, confiam em si e naquela. Doutrina semelhante foi a adotada pelo Japão, que em meio a crise que se instalou naquele país depois da bomba de Hiroshima e Nagasaki, os 3 agentes se uniram e trocaram esforços e sacrifício generalizado em prol de todo o Estado, e permanecem, até hoje, unidos. No Brasil, em regra, paira a desconfiança e o egoísmo mútuo.

        Os EUA não é esse país tão bom quanto o elucidado, eles disseminam o ódio mundial, através da venda de armamento pesado para os Estado utilizarem sobre suas populações ou para civis lutarem contra si, principalmente países da África (a grande maioria das armas utilizadas pelo Estado Islâmico, por exemplo, vêm da América); mantém e ajuda a manter muitos regimes ditaduras de governos com dinheiro e armas a fim de impedir que estes Estados se tornem democráticos; empresta dinheiro através do FMI, mas em troca impõe a retirada estratégica do país da concorrência mundial de algum produto ou setor ou exige a privatização de uma determinada área. Tudo isso é feito para manterem na dianteira econômica mundial, todavia essas medidas acabam por empobrecer, aumentar a violência e diminuir a qualidade de vida dessas populações, entre vários outros fatores.

        Então, se para o Brasil ser grande, ele precisar seguir os rumos da América e desgraçar a vida de tanta gente, é melhor que ele fique pequeno, ademais, pode-se combinar algumas partes do modelo americano com o modelo norueguês, ou seja, fomentar a criação de empresas multinacionais brasileira, aumentar a exportação de produtos de alta tecnologia, investir massivamente em educação, incentivar a expansão do setor terciário (de serviços) e ampliar – e muito – os direitos, benefícios e garantias individuais e sociais, afinal a China, hoje, ocupa a segunda posição no mundo fazendo tudo diametralmente contrário ao que os EUA sempre afirmaram como a “chave do sucesso”. Pelo jeito, apesar dele ameaçar psicologicamente todo o mundo com bombas nucleares, foram as armas financeiras de destruição em massa vindas daquele país que quase “leva todo o planeta para o buraco”.

        Curtir

      • Resumindo o ser humano é um egoísta filho duma puta e tem que se fuder e viver no capitalismo pois é onde ele se adapta melhor…cristo era um cara de esquerda por isso foi morto…quando falo de esquerda não falo desta que rouba e é populista, sim a que divide para todos viverem felizes. Agora tu não é cristão, se é, é de mentira.

        Curtir

    • Como o PIB pode ser de U$42 mi, se o salário mínimo é de U$4,8 mil e são pelo menos 12 meses? Então seria pelo menos 57.600 dólares em salários mínimos!
      Acho que há algo equivocado em sua correção!

      Segundo o site Datosmacro, o PIB norueguês não é fixo, ele oscila conforme o balanço comercial. Em 2015 esse PIB já foi de 86.316 mil euros à 91,809 mil euros e não dólares. No trimestre o PIB oscila entre 16.741 mil à 17.806 mil euros!

      Fonte: http://www.datosmacro.com/pib/noruega

      Curtir

    • “Na Noruega o imposto de renda é atinge 42%, é maior do que no Brasil. Lá existe consenso de que o valor é justo para manter o sistema. O Estado paga do berçário ao enterro, financia estudantes e até banca férias.”

      (NO BRASIL, chega a 27,5% é esse circo que é)
      Se o estado apresentasse tudo isso, com certeza o povo não ligaria de pagar 40~50 % de imposto, mas que não precisasse pagar escolas particulares, hospitais particulares e etc.

      Esse governo do PT, seguiu todas os valores que vocês (SOCIALISTAS) seguem e quebrou o país, o que dizer disso ?
      Essa esquerda festiva do Brasil é complicada.

      Outra coisa, o que é mais fácil, aplicar uma prova pra 6 ou uma prova pra 200 ? Fica a pergunta.

      É muito mais fácil governar um país desse jeito, governando para 6 milhões, do que pra 200, né ?

      Vocês tem que aceitar, o Brasil, não nasceu pra ser socialista, nunca vai ser.

      Se houvesse pessoas sérias no governo, até que a social democracia poderia impor algumas coisas, não todos os pensamentos socialista que é coisa de louco e alienado.

      Abraços.

      Curtir

    • Talvez a diferença de lá seja que as pessoas que administram o dinheiro público são honestas, empregam os recursos no fornecimento de bons serviços para a população. O maior problema nosso é que nossos governantes sempre procuram se beneficiar dos seus cargos e roubam nosso dinheiro. Pagamos por serviços de qualidade mas temos educação, saúde e segurança de péssima qualidade. Não conseguimos alfabetizar 100% da população. Não conseguimos saneamento básico em todas as residências. Nosso Estado é muito ineficiente. Nossos recursos são desperdiçados nessa roubalheira toda.

      Curtir

  1. Olha, Tarso, vamos começar então pelos políticos…políticos da noruega já !!!!!!! Na noruega tem teoria do dominio do fato ? tem politico ladrão solto em nome do sagrado direito de defesa eterno ? Outro post que não leva a nada…comparação de alhos com bugalhos…

    Curtir

      • a direita pira??? Tu não soubesses que a noruega é um dos países com maior liberdade econômica do mundo? acho que não…. ou seja eles distribuem a riqueza que conseguiram graças ao liberalismo…

        Curtir

      • Eric, a Suécia cresceu economicamente graças ao liberalismo. em 1950, quando a Suécia era conhecida mundialmente por sua história de sucesso, os impostos e os gastos públicos eram menores que no resto da Europa e nos Estados Unidos. Até aquele momento os políticos do país não tinham iniciado os programas de altos impostos e massiva distribuição da renda. O maior desenvolvimento social e econômico aconteceu quando a Suécia ainda possuía uma economia laissez-faire, com a igualdade social precedendo o estado de bem-estar social.
        A reforma social promovida pelos sociais democratas fez com que a economia sueca desacelere-se, desemprego ficou acima de 10% dos trabalhadores e o déficit fiscal acima de 10% do PIB, e a moeda desvalorizada.

        Curtir

      • só tem a china e india, e todo mercado asiatico ao lado e minério até o cú fazer bico… e o japao maior razao importacao/consumo do planeta tb
        morei 8 anos la, se me permite… vai la na australia e veja a ajuda financeira e social é o q mais tem… tudo publico funciona muito bem, salarios sao altissimos, banheiros praças etc tudo em dia, feiras livre tem reaproveitamento e redistribuição de comida, tem prestação de contas publicas em audiencia para impostos, tem plebiscito pra imposto, a economia nao eh livre como vc pensa nao camarada… varias cidades oferecem transporte de graça algumas para todos algumas gratuidades muito abrangentes… eventos de cultura recebem financiamentos, obras sao consorciadas com financiamento publico… muitos dos servicos “privados” oferecidos sao simplesmente bancados pelo governo em terceirizações muito bem controladas… é bem diferente da nao intervenção que se propoe…
        e nao mesmo… te garanto é muita besteira tudo que falam por ai… australia fez reforma agraria eficiente, distribuiu terras e ainda concede posses… ate pouquissimo tempo nao tinha xenofobia tinha fortissimos programas de imigracao de todo tipo de mao de obra… vc nao tem pessoas que simplesmente nao possuem moradia ou renda
        o interior eh prospero porque sempre se investiu na conservacao e programas de incentivo a gestoes comunitarias que por la sao mto eficientes e autonomos, os councils… mas dentro dos councils tem interferencia sim, pais cheio de regrinhas rigidas, para tudo voce sera multado…
        o conceito utopico de liberal eh condenavel numa nacao de 200 milhoes explorada ha 500 com a maior miscigenação do planeta e as maiores reservas de diversos recursos naturais estrategicos e o potencial de ser lideranca potencia regional… são muitos interesses.
        o modelo do Brasil está equivocado mas voces defendem utopiais como se a cooperacao entre individuos que sempre será intermediada pelo estado se auto regulasse com esse papinho liberal…. no fundo defendem o enriquecimento e inflacionamento virtual das demandas reais que sao os recursos e as necessidades do povo…
        entao pelo menos nao repitam coisa errada… na Australia o tal liberalismo é na verdade um processo muito bem controlado e fiscalizado de concessões de serviços ou recursos, sempre subordinadas as vontades do governo e não as privatizações criminosas.

        Curtir

  2. Caro Tarso, na Norueja, há noruegueses com alto nível de educação e a gestão dos recursos públicos é feita por políticos noruegueses também. O problema no nosso país não é recurso, mas a correta aplicação. Na Noruega não há deputado voando em jato de doleiro, não há diretor de estatal nomeado apenas por critério político e para fazer caixa, não há partidos que não servem para quase nada, presidente de senado que vai a festas e fazer implante em aviões do governo. Portanto, não há sequer como iniciar comparações. Pirar é acreditar que a realidade norueguesa pode ser aplicada aqui. Não seja tolo.

    Curtir

      • A Noruega é Noruega porque tem políticos noruegueses, no padrão FIFA. Se fossem brasileiros, argentinos ou outra variação genética parecida, a história seria outra. Acho o modelo perfeito, funciona em um país com 5.000.000 de habitantes e políticos muito diferentes dos que nos acostumamos. Quando nossa educação for comparável à da Finlândia ou Suécia, voltamos a conversar. Quanto ao modelo americano, também funciona, não há como negar. Não por menos em recente estudo os EUA ficaram em 1º lugar no retorno ao cidadão proporcional aos impostos arrecadados e o Brasil em 30º (entre 30 países relacionados).

        Curtir

  3. O governo Beto Richa autorizou o aumento nas tarifas do transporte coletivo da RMC (não integrado); São várias linhas de Curitiba para Colombo, São José dos Pinhais,Piraquara, Quatro Barras, Campina Grande do Sul, entre outros. Poucos ônibus, superlotação, péssimo serviços são as características destas linhas, muito piores do que as da RIT. Protestemos e não esqueçamos da nossa indignação nas urnas,na próxima eleição, todos contra Beto Richa e seus candidatos na RMC!!!!
    link com as novas e absurdas tarifas: http://www.comec.pr.gov.br/arquivos/File/transporte/Tarifas_Nao_Integradas_2014_Site.pdf

    Curtir

  4. Tarso, na Noruega o modelo de exploração de petróleo é uma versão piorada do modelo de concessão, que foi o nosso antigo modelo.

    Curtir

      • Perfeito é o lugar onde você é feliz, sem precisar ficar se comparando com os demais. O conceito de perfeito é imperfeito na sua essência, já que é relativo. Perfeito seria, na minha opinião, o acesso universal à saúde e educação de qualidade, o que não é proporcionado pelo seu partido. Perfeito seria pagar impostos e ter o retorno justo, adequado e proporcional. Perfeito seria não precisarmos ter um novo escândalo político por dia. Perfeito seria um desvio ético como o do Vargas não existir. Perfeito seria termos a confiança de que, não importasse o partido ou a pessoa, o país seria bem gerido.

        Curtir

  5. A questão não é espírito de vira-lata, mas ser tratado pelo governo desta maneira. E o contrário do espírito de vira-lata é o quê? O típico idiota latino-americano? O otimista cego? O petista que trata Lula como uma divindade que veio à Terra para nos guiar? Seja razoável amigo, querer comparar Noruega, Finlândia, Canadá, Suécia, Suíça, EUA, entre outros, com o Brasil, ou é muita ingenuidade ou má-fé para tentar fazer parecer que somos governados por noruegueses! Você acredita de fato que podemos virar uma Noruega? Em quanto tempo?

    Curtir

  6. Alguns dizem que não podemos comparar o Brasil com outros países desenvolvidos, mas (como comentado no texto) a Noruega não era assim há 100 anos…
    Morei na Dinamarca e senti o “peso” do I.R. (skat.dk), e em contrapartida senti também o retorno aos contribuintes… Lá quem quer estudar tem estímulo, porém não basta querer estudar, é preciso demonstrar interesse… As estradas são perfeitas, inclusive no interior (campo)… Lá há impostos altos nas drogas como álcool e cigarro, pois eles sabem que estas são as principais causas nos gastos com saúde pública… e me parece que estão tarifando alimentos não saudáveis também …

    Curtir

      • Caro Tarso, não me leve a mal, mas este texto é um disparate muito grande! Aposto que o meu amigo nunca colocou os pés na Noruega ou então apenas falou com emigrantes mentirosos… Realmente, ver muita TV faz mal ao cérebro, mas andar a estudar pela Wikipédia torna as pessoas burras! Não estou a dizer que a Noruega é um mau país. Vive-se bem, como em todo o resto da Europa, mas está muito, muito, muito longe do que refere… muito longe de ser o paraíso! Quem acredita nisso está maluco!

        Curtir

  7. putz, que pena.. a primeira ministra atual da Noruega é de direita!!! vá se informar!!! outra coisa, o plano marshall feito pelos EUA na Europa, que fez a economia bombar… muito mal de história hein…

    Curtir

  8. 4,5 Milhões de pessoas ? Parece fácil demais e se a Noruega tivesse 20 Milhões de pessoas e não ter um das maiores de jazidas de petróleo do mundo, como ficaria ? hmmmm. A Inglaterra não tem um estado de Wellfare e possui 4,8 Trilhões de libras em dívida pública? As pessoas não migram de lá para se tratarem em outros países.

    Curtir

  9. Engraçado ver os SOCIALISTAS mostrarem Suécia e Noruega como “modelos” de socialismo. Eles nem sequer vão pesquisar para saber o porquê dos países escandinavos terem condições para sustentar o “estado de bem estar social”!

    Suécia tem 10 milhões de pessoas. Noruega tem 8 milhões!… Cada um deles produz a mesma quantidade de petróleo que a Venezuela!!!

    Eles recebem 10 mil, pagam 8 mil, o governo utiliza 4 mil para dar “tudo que eles precisam” e daí fazem com que eles “vivam bem” com os seus 2 mil e seu super estado.

    Esses países estão bem, APESAR DO ESTADO DE BEM ESTAR SOCIAL!… NÃO GRAÇAS A ELE!!!

    Curtir

  10. Esqueceram de um detalhe.
    O salário minimo de US$ 4,8 mil (cerca de R$ 12 mil), assim é facil pagar 42% de impostos e sobrar 7~8 mil R$ para gastar em mordomia. Por que os serviços publicos SÃO FUNCIONAIS E DE QUALIDADE. Diferente da nossa realidade.

    Curtir

  11. Com relação ao comentário do sr. Carlos Romeira, percebo que ele pouco conhece da história recente dos países nórdicos.
    A Noruega e a Suécia trilharam um longo caminho até atingirem a posição que ocupam, uma delas foi a profunda reforma social promovida pelos sociais democratas nos anos 1930, ambos os países eram pobres, atrasados e exportadores de imigrantes. Há um fator que pesa muito nas sociedades nórdicas o consenso tudo é discutido até que seja encontrado um denominador comum.
    O peso da cultura é extremamente forte há algo que é chamado de lei de Jantar le-se Iantar “você não é mais do que ninguém. Atingir uma sociedade igualitária, transparente que caminha unida comprometida com os ideiais coletivos é algo digno de ser admirado, sempre acompanho o que acontece em ambos os países seja pelos jornais ou pelos meus parentes, minha avó era sueca, então posso assegurar que o texto do Tarso traduz a realidade da maneira mais objetiva possível, mas é claro que sempre há aqueles que não podem admitir outra realidade que não seja aquela tacanha, atrasada e excludente tipica da mentalidade brasileira.
    Só a título de informação a maior plataforma petrolífera do mundo é Norueguesa.

    Curtir

    • Caro Eric, percebo de História da Noruega muito bem. Mais do que a maioria dos noruegueses, se quer saber… Até poderia aqui “puxar pelos galões” e referir alguns dos meus trabalhos de investigação em relação à realidade social, experiência constitucional e regime políticos, norueguês comparado com o português, aquando estive a desempenhar funções na Embaixada portuguesa em Oslo… Mas julgo que não é necessário.

      Eu nunca disse que a sociedade norueguesa não tivesse um excelente paradigma. Nunca disse que não apreciava ou até que seria inferior ao resto da Europa… O que eu afirmei, é que está muito longe de ser o paraíso que este texto cheio de imprecisões históricas e técnicas, quer transmitir.

      Para comprovarem o que eu digo, basta perguntar a um norueguês, e ir viver para a Noruega. Eu fui! Por isso, sinto-me com maior conhecimento de causa para escrever sobre o assunto do que alguém que se baseia em conhecimento wikipediano para escrever umas coisas…

      Curtir

  12. Mas lá na noruega não tem politicos quadrilheiros como no Brasil, e os impostos altos são revertidos a população, o sistema é capitalista, eficiente e o bem estar social do povo de lá vem justamente dos impostos que estas empresas pagam.

    Curtido por 1 pessoa

  13. Parabéns pelo blog, Tarso! É triste ver onde chega esse complexo vira-lata de alguns brasileiros. Nossos políticos são corruptos? sim! A corrupção ativa e passiva aqui é cultural e afeta a maioria das relações de poder? sim! Mas, daí a dizer que esse cenário não pode mudar, que nunca chegaremos ao patamar de honestidade dos noruegueses, ou que essa possibilidade é remota, é muita baixa autoestima. Querem cidadãos honestos? dê exemplos aos seus filhos! Não furem sinal vermelho, não cortem fila, não comprem ingressos de cambistas, não vangloriem-se de passar o Estado e as outras pessoas para trás. Já que a maioria dos políticos vem justamente das classes média alta e alta, que tanto reclamam da corrupção, que são tão retas e moralistas, há sim de se ter grande esperança. Apenas façam a parte de vocês na educação de seus filhos, e num futuro bem próximo teremos políticos éticos como os da Noruega.

    Curtir

  14. Mas no Ranking de liberdade economia esta situado bem a frente do Brasil….E eu li em um artigo que o problema dos altos impostos de países como noruega, é compensada com a falta de burocracia,menor intervencionismo, menos monopólio( característica de uma economia planificada) é só você olhar no Índice de liberdade econômica, acima da media mundial, pra perceber que os impostos altos não significam que esse país seja fechado , enquanto o nosso país amarga centésima decima posição e aí vem você e pede para o nosso país se fechar mais, se o estatismo não tivesse criado o monopólio da Petrobras o país não precisaria temer dar uma punição a ela, pois logo outras empresas a substituiriam….
    E pra começar nenhum país do mundo pratica o livre mercado, os que chegam perto são Hong Kong, Cingapura e Austrália, e se for falar da crise econômica ela foi causada pelo intervencionismo econômico dos EUA, que para agradar as classes mais baixas fez com quem os bancos oferecessem créditos a quem não podia pagar,as agencias de classificação de riscos fizeram um péssimo trabalho provavelmente por ser um assunto relacionado aos EUA, aí gerou a crise….
    Ah e já ia esquecendo é só você olhar e ver os países que mais estão sofrendo com a crise na UE são os que ficaram piores no ranking de liberdade econômica…..

    Curtir

  15. Interessante que vc, Tarso, cita a CF de 88 mas esquece que a oposição votou contra por quê………..? Mais ainda, tens que admitir, tenha a humildade em reconhecer que dentre os países, a economia da Noruega é uma das mais abertas, por quê será….?

    Curtir

  16. FALTOU FALAR – AS CUSTAS DA POBREZA E MISÉRIA DE PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS EXPLORADOS POR ANO…SIRIOS, INDIA, CHINA….TARSO, ESSE WELFARE TEM QUE TER ALGUEM PRA PAGAR A CONTA MEU AMIGO, NÃO TEM ALMOÇO DE GRAÇA, A NAÕ SER NA UTOPIA FANTASIOSA DOS ESQUERDISTAS DE POWER POINT.

    Curtir

  17. Isso não é socialismo, mas também não é liberalismo. As pessoas tem que entender que exemplo não é CUBA, Venezuela e Coreia do Norte, Nem EUA. Exemplo é Canadá, Noruega, Islândia e Alemanha. Ou seja nem socialismo, nem liberalismo, mas uma sociedade de bem estar social, mas Noruega é capitalismo sim, que é a única opção que pode preservar a democracia. Mas concordo com o fim do texto.

    “O modelo de sociedade norueguês é o mínimo que se espera para uma sociedade. O resto é barbárie.”

    Curtir

  18. Na Noruega há problemas. Há uma extrema-direita. Há racismo. Há consumismo. Há consumo alto de drogas. Portanto, o capitalismo ainda está presente. Mas os avanços deveriam ser modelo para o mundo.” Fala sério, vaí! Racismo? Uso de drogas? A noruega em sua análise, está um tanto quanto tendenciosa! “Na Noruega o neoliberalismo, o capitalismo liberal, a desigualdade, o egoísmo, o individualismo não se criam”. Piada! Pode ser hoje, um ótimo lugar para se viver, mas não me venha com essa. Há pouco tempo li e fiquei chocado sobre os índices de violencia contra a mulher em países, digamos, “pacíficos”: França, Suécia, Canadá, Inglaterra, com índices de estupreos aterrorizantes! Bem piores do que os nossos. È bem verdade que somos recordistas em homicídios e tem muito ladrão por aí, a começar pela classe política do qual faz parte. Mas culpar a livre iniciativa e até a classe média pelas não conquistas sociais? É no mínimo uma estapafúrdia. Uma miopía marxista. Aliás Karl Marx, analisou a economia sobre sua ótica, só isso. Daí todos os leitores com interpretações falaciosas o rotularam de comunista/socialista. Quando era apenas seu estudo e visão da coisa economica. Acho que bem estar social, nada mais é do que fazer com que os serviços básicos funcionem, e funcionem com boa qualidade. Coisa que não estamos acostumados a fazer acontecer. Entre os últimos nas classificações da PISA/educação, IDH, igual aos bolivarianos, inferior aos hermanos Argentinos, violência, igual a guerra civíl, e por aí vai. Não há sensação de bem estar. Falta planejamento urbano ou melhor, pelo menos ordenação urbana, bons serviços de educação, saúde, previdencia social, saneamento, logística, e baixos índices de ocorrencias criminais. Muitas desses serviços são possíveis aqui, é mais uma questão de orientação e seriedade com a coisa pública e com o próximo do que com dinheiro sobrando. Só isso! Vergonha na cara e boa vontade de trabalhar com competência e seriedade.

    Curtir

  19. “Na Noruega há problemas. Há uma extrema-direita. Há racismo. Há consumismo. Há consumo alto de drogas. Portanto, o capitalismo ainda está presente. Mas os avanços deveriam ser modelo para o mundo.”
    Quanta estupidez ! Atribuir problemas como racismo e uso de drogas ao capitalismo é muita incapacidade intelectual. Faça a todos um favor: Poupe-nos de sua completa ignorância !

    Curtir

  20. Perfeito, mas porque o governo atual, do qual você apoia, não faz isso de verdade? Pra valer? Tem rabo preso com gente que você diz ser contra? Ah, sem mais desculpas esfarrapadas, por isso hoje no Brasil só voto nulo, não tem um que presta nas eleições dentre os grandes.

    Como sempre digo, sou tanto a favor de um estado forte ou de um estado mínimo, desde que quem esteja no comando seja honesto e competente, basta ver que existem países com estado forte de qualidade e países com estado mínimo com qualidade, o mais simbólico é a analogia entre Austrália e Nova Zelândia, ou um meio termo, como a Coréia do Sul, que fora mais explorada que o Brasil em sua história e hoje dá um show humilhante em nós em termos de qualidade de vida e distribuição de renda.

    Curtir

  21. por favor nao compare a Noruega quem uma populacao de 5.137.679 … Monarquia Cibstutucional… igreja do /Luterana … E’ uma sociedade have mogenea … E sim sao Capitalistas mas conscientes … o nosso Brasil e’ uma misturada … it is a melting pot… imenso… E com uma historia completamente diferente … Entao por favor quando for comparar faca comparacoes tipos apples vs apples

    Curtir

  22. Antes de mais nada, vcs sabem que o indice de liberdade economica da noruega é um dos mais altos do mundo ne??? Beleza, so pra frisar mesmo!

    Curtir

  23. Desculpe – me mas este texto eh uma tremenda chuva de merda!!! A noruega tem um dos indices de liberdade econômica mais altos do mundo meu amigo, é so vc pesquisar.

    Curtir

  24. “Indices de Liberdade Econômica” de Heritage e Fraser equivalem no mundo intelectualmente sério ao que criacionistas e pessoas do D.I. equivalem na biologia.
    http://informadordeopiniao.blogspot.com.br/2014/11/os-chistes-sobre-indices-de-liberdade.html

    E na Noruega, tem-se ainda o maior fundo soberano mundial, estatal. Mais de um terço da mão-de-obra é empregada no setor público. Possui miríades de estatais estratégicas e a participação do Estado é ampla como acionista minoritário também. Ali não se desenvolveu nem “a despeito” disto, nem “por causa disto”, mas “COM” isto. E não meramente “ficou rico”. Mas propiciou amplo bem-estar, igualdade, capital humano com saúde, educação, lazer para todos cidadãos. Não é uma sociedade de mercado, mas embebem o mercado em considerações sociais. Algo totalmente e diametralmente frontal à seita plutocrata dos liberais.

    Curtir

  25. Pare de falar merda. O bem estar social não tem nada a ver com o regime econômico. Você sabe que na Noruega, os mais ricos pagam menos impostos que os mais pobres? Sabia que eles reduziram os gastos públicos para 39% do pib? Pare de ficar fazendo estas comparações idiotas.

    Curtir

  26. Caro Tarso, se mude para lá, veja como será recebido….
    Chegando lá descubra quantos partidos políticos existem…
    Descubra quantos sindicatos tem, mas não esqueça de comparar com o Brasil…
    Descubra o quanto se paga de imposto….
    Qual o salário de professores???
    Estamos longo de ser uma nação que realmente preze o bem estar social….
    Temos outras questões mais urgentes… reforma política é necessária e urgente, a maquina do estado é muito cara, digo em relação a classe política, assessores e companhia, temos uma região que gasta muito mais que arrecada (nordeste), que não precisa ter 9 estados, vamos reduzir para 3 ou 4, assim sobraria mais recursos… o Estado também gasta muito com universidades e não investe no ensino básico e fundamental, as universidades não deveriam ser gratuitas, deveriam sim ter muitas bolsas para atender toda a comunidade carente, que após formada e com emprego pagaria a longo prazo o investimento ganho pelo governo e que subsidiaria novas bolsas… políticas de inclusão através de cotas é mostrar a incompetência do governo que não consegue oferecer um ensino de qualidade…
    Tivemos um governo que segregou a sociedade em “classes” elegendo culpados pela sua incompetência, “a culpa é da classe média”… “a culpa é dos empresários”… “vocês são podres e a culpa é da elite branca”….
    Outro grande problema é a corrupção que impera em todas as esferas do governo, e o pior é que quando vem uma Lava Jato da vida tem um monte de hipócritas contrários….

    Curtir

  27. Deixo aqui o registro da minha profunda simpatia pelo socialismo. Acredito que devemos aproveitar o momento de estrema facilidade de comunicação para acabarmos com o preconceito criado pela midia capitalista para com a palavra “comunismo” que por sua vez tem significados tão nobres.
    É hora de desmistificar os traumas implantados pela elite, e discutirmos com a sociedade as questões ligadas a uma possivel mudança de sistema social.

    Curtir

  28. Pingback: NORUEGA, UM PARAÍSO COM MUITO ESTADO SOCIAL, SERVIÇOS PÚBLICOS E IMPOSTOS – Acordo Coletivo (Petroleiros, Bancários, Prof de Saúde)
  29. Certamente o autor é fã de contos de fadas, acredita em Paraíso, tudo sem esforço. O Welfare State só existe em países onde o liberalismo (ou neoliberalismo, como insistem) deu grande impulso à economia, sem isso, esqueçam essas fantasias socialistas. Aliás, atualmente, esses mesmos países estão mais neoliberais do que nunca, principalmente a Dinamarca, a que mais cobra impostos entre eles.

    Curtir

  30. VOCÊ SÓ ESQUECEU DE PUBLICAR QUE,O ÍNDICE DE SUICÍDIO NA NORUEGA É MUITO ALTO. NÃO EXISTE LUGAR perfeito .As pessoas bebem e fumam demais e consequentemente as crianças são deprimidas. Salvo as que buscam DEUS VERDADEIRAMENTE. SEI O QUE FALO!

    Curtir

  31. Monarquias Constitucionais Parlamentaristas 💜.
    É incrível como no planeta, esse é o único sistema onde Estado de Bem-Estar Social realmente funcionou, onde impostos realmente são investidos, e mesmo assim a maioria da esquerda e dos socialistas são contra esse sistema.
    Aiai, não tem o menor sentido, negar algo que apenas ajuda e fortalece sua causa.
    Usar da desculpinha da democracia é ridículo, sou Esquerda e sei que Monarquias, principalmente os países nórdicos e Canadá, são onde se tem os melhores Estados, são onde a Esquerda mais triunfa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s