Veja eventos e filmes em Curitiba, Foz e pelo Brasil em memória aos 50 anos do golpe militar-empresarial

1658639_609920089086403_973028970_o

Dia 1º de abril de 2014, o dia da mentira, é o dia que completa 50 anos do golpe militar-empresarial que implementou uma ditadura que durou até 1985.

A Presidenta Dilma Rousseff (PT), o Ministério da Justiça e a Comissão da Verdade, com todo o apoio da Secretaria Nacional de Justiça, divulga a PROGRAMAÇÃO COMPLETA DAS ATIVIDADES DA COMISSÃO DE ANISTIA PARA O CICLO 50 ANOS DO GOLPE:

Em Curitiba, capital do Estado do Paraná, no dia 1º de abril ocorrerá o lançamento das obras: “Advocacia em Tempos Difíceis”, “O Livro dos Votos da Comissão de Anistia” e “Caravanas da Anistia: O Brasil Pede Perdão”, na UFPR, Faculdade de Direito, Prédio Histórico – Praça Santos Andrade, 50, Centro, às 10h, com a parceria do Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça, UFPR.

Ocorrerá também a inauguração do Museu de Percurso “Caminhos da Resistência” – Cartografia e afixação de 3 Totens em lugares de memória da resistência e da repressão em Curitiba, no Prédio Histórico UFPR (Rua Santos Andrade), Praça Osório (Rua XV Boca Maldita) e Clínica Marumbi, às 15h, também com a parceria do Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça.

No dia 3 ocorrerá a exibição do longa metragem “Os Militares que disseram NÃO”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia, na Unibrasil – Rua Konrad Adenauer, 442, Tarumã, às 19h, uma parceria da Caliban e Unibrasil.

Ocorrerá também a MOSTRA DE CINEMA MARCAS DA MEMÓRIA. São sessões públicas e gratuitas dos filmes produzidos pelo Projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça:

“Repare Bem” (2012; 105 min)
Direção: Maria de Medeiros
Sinopse: Neste filme, vencedor do kikito de melhor filme no Festival de Gramado de 2013, a diretora Maria de Medeiros realiza o documentário sobre ditadura, por meio da história de três gerações de mulheres. As câmaras registraram em Roma e em Joure, no norte da Holanda, os testemunhos de Denise Crispim e de sua filha, Eduarda Ditta Crispim Leite. Apesar de longe do Brasil, suas palavras, que falam de exílio e de memória, levam-nos a um mergulho profundo na história do Brasil, dos anos 70 até a atualidade. Denise já nasce clandestina em 1949. Seus pais, extremamente politizados, lutaram por uma vida mais justa e são por isso perseguidos por sucessivas ditaduras. Aos 20 anos, Denise torna-se companheira de um guerrilheiro, Eduardo Leite, morto no governo militar brasileiro. Ao fugir para o Chile, reencontra seus pais, também exilados. Lá, ao lado da filha Eduarda, Denise e a mãe vivem a repressão de Pinochet e se separam novamente, para viver na Europa.

“Duas Histórias” (2012; 52 min)
Direção: Ângela Zoé
Sinopse: Tendo como linha condutora a trajetória de dois militantes socialistas na luta contra a ditadura militar brasileira. O filme narra duas experiências diferentes, pois diferentes eram a as concepções políticas que orientavam a resistência à ditadura. Mas são iguais na coragem, na dor, na sobrevivência e superação. Uma mulher e seu filho. Um homem. Diversas estradas, chegadas, partidas, fugas, fatos e encontros inesperados. Brasil, Argentina, Chile, outros exílios e finalmente a vitória e a alegria do retorno ao Brasil. Para recomeçar.

“Damas da Liberdade” (2012; 28 min)
Direção: Célia Gurgel e Joe Pimentel
Sinopse: Através de narrativas de mulheres do Movimento Feminino pela Anistia e do Comitê Brasileiro pela Anistia é contada a história da luta pela anistia no Brasil nos anos de 1970, reacendendo o debate sobre um período de repressão e medo que o país jamais deverá esquecer.

“Vou contar para os meus filhos” (2011; 24min)
Direção: Tuca Siqueira
Sinopse: Entre 1969 e 1979, 24 jovens mulheres estiveram presas na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, em Recife (PE) porque lutavam por igualdade social e pela democracia em uma época em que o Brasil enfrentava uma ditadura militar. Passados 40 anos, o reencontro delas, que hoje moram em diferentes estados do país, traz de volta não apenas os laços de solidariedade que surgiram no presídio, mas também a lembrança de um Brasil que tentou calar vozes e violentar sonhos. Este é um filme-memória indispensável para quem acredita na força de um ideal e da consciência política de um povo. Para quem não duvida que o tempo e a distância são incapazes de abalar amizades verdadeiras. Uma história para jovens e adultos que deve se manter viva por gerações.

“Em Nome da Segurança Nacional” (2012; 45 min)
Direção: Renato Tapajós
Sinopse: O filme tem como eixo narrativo o Tribunal Tiradentes, organizado pela Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo em 1983. Dirigido por Renato Tapajós, o filme acrescenta às cenas do Tribunal diversos materiais, tanto de arquivo quanto ficcionais, e discute a Doutrina de Segurança Nacional, eixo ideológico da ditadura implantada pelo golpe de 1964, e o efeito que ela teve sobre diversos segmentos da sociedade brasileira.

“O fim do esquecimento” (2012; 54 min)
Direção: Renato Tapajós
Sinopse: O filme procura personagens que participaram do Tribunal Tiradentes e outros que se destacaram na luta pelos Direitos Humanos, para retomar a questão da Doutrina de Segurança Nacional, depois de três décadas. Investiga os resquícios daquela doutrina nos dias de hoje, aborda a tentativa das classes dominantes de, depois que os militares saíram do poder, promover o esquecimento dos graves fatos ocorridos durante a ditadura e constata que, finalmente, o esquecimento está sendo combatido por diversas instituições e pessoas, sobretudo pelos jovens.

“Anistia 30 anos” (2009; 17 min)
Direção: Luiz Fernando Lobo
Sinopse: O filme retrata a história da Ditadura Militar no Brasil, a luta do povo brasileiro pela liberdade, pela Anistia. Durante um período sombrio da história do Brasil, ouve-se um grito de esperança e justiça, o povo reivindicou seus direitos e conseguiu. Foram criadas a Lei da Anistia e a Comissão de Anistia, posteriormente.

“A Mesa Vermelha” (2012; 78 min)
Direção: Tuca Siqueira
Sinopse: Uma mesa vermelha é a palavra de 23 ex-presos políticos. No documentário, senhores jovens subversivos comentam sobre a convivência nos presídios masculinos pernambucanos durante o período militar. Da chegada ao cárcere, do afeto, da greve de fome, do papel dos coletivos dentro da cadeia. O sentimento de pertencimento é o que move este filme. Aos personagens, o pertencimento a uma geração e a história de um tempo sombrio narrada a partir de depoimentos, recordações e denúncias de ex-presos políticos que pelos porões de torturas do DOI-CODI e DOPS do Recife, além de longa temporada carcerária entre a ex-Casa de Detenção do Recife (hoje Casa da Cultura) e a ainda atual Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá – PE.

“Eu me lembro” (2012; 96 min)
Direção: Luiz Fernando Lobo
Sinopse: “Eu me Lembro” é um documentário sobre os cinco anos das Caravanas da Anistia e reconstrói a luta dos perseguidos por reparação, memória, verdade e justiça, com imagens de arquivo e de entrevistas em 94 minutos.

“Ainda hoje existem perseguidos políticos” (2012, 54 min)
Direção: Coletivo Catarse
Sinopse: O documentário tem por objetivo fomentar o debate sobre a ausência de uma efetiva transição democrática no Brasil, pós Ditadura Civil-Militar implantada no País a partir de 1964. Identifica semelhanças no agir do Estado no passado e atualmente, demonstrando que a cultura do autoritarismo permanece arraigada em algumas instituições do Estado brasileiro. Apresenta também imagens do projeto que levou este debate para os mais variados públicos (quilombolas, universitário, LGBTT, assentados do MST, comunidades periféricas etc.) desenvolvido pela Acesso – Cidadania e Direitos Humanos em parceria com a Comissão de Anistia.

“Se um de nós se cala” (2013, 68 min)
Direção: Célia Maria Alves e Vera Côrtes
Sinopse: Se um de nós se cala insere Goiás no contexto do golpe militar de 1964. A partir de relatos de anistiados que à época eram jovens estudantes e militantes políticos, o documentário resgata e revela os motivos pelos quais Goiás foi o único estado brasileiro que sofreu intervenção militar e como a ditadura foi cruel com os brasileiros e goianos que ousaram não se calar.

“Os Advogados contra a Ditadura: por uma questão de Justiça” (2013, 130 min)
Direção: Silvio Tendler
Sinopse: Com a instauração da ditadura militar através de um golpe das Forças Armadas do Brasil, no período entre 1964 e 1985, o papel dos advogados na defesa dos direitos e garantias dos cidadãos foi fundamental no confronto com a repressão, ameaças e todo tipo de restrições. Advogados contra a ditadura propõe uma profunda reflexão sobra a época em questão, relembrando, através de depoimentos e registros de arquivos, a relevante e ativa participação dos advogados contra as imposições do autoritarismo e na luta pela liberdade.

“Militares da Democracia: os militares que disseram NÃO” (2013, 100 min)
Direção: Sílvio Tendler
Sinopse: Eles lutaram pela Constituição, pela legalidade e contra o golpe de 1964, mas a sociedade brasileira pouco ou nada sabe a respeito dos oficiais que, até hoje, ainda buscam justiça e reconhecimento na história do país. Militares da Democracia resgata, através de depoimentos e registros de arquivos, as memórias repudiadas, sufocadas e despercebidas dos militares perseguidos, cassados, torturados e mortos, por defenderem a ordem constitucional e uma sociedade livre e democrática.
ocais de Exibição:

Em Curitiba ocorrerá entre os dias 07 e 08/04, na Cinemateca de Curitiba, 19h, e entre os dias 9 e 11/04 no Memorial de Curitiba (dia 09/04, às 14h e demais dias 19h), em parceria com o Fórum Paranaense pela Resgata da Verdade, Memória e Justiça.

Em Foz de Iguaçu:

Dia 2/4 (quarta-feira) “Duas Histórias”
Local: Unila (Universidade Federal da Integral Latino-Americana)
Horário: 18h
Dia 3/4 (quinta-feira) “O fim do esquecimento”
Local: Biblioteca Cidadã Paulo Freire/ Colégio Estadual Flávio Warken
Horário: 8h
Dia 4/4 (sexta-feira) “Repare Bem”
Local: Teatro Barracão
Horário: 19h30
Dia 5/4 (sábado) “Ainda hoje existem perseguidos políticos”
Local: Biblioteca Comunitária Cidade Nova
Horário: 19h30
Dia 7/4 (segunda) “Damas da Liberdade”
Local: Colégio Estadual Barão do Rio Branco
Horário: 8h
Dia 7/4 (segunda) “Damas da Liberdade”
Local: Colégio Estadual Barão do Rio Branco
Horário: 19h30

Dia 8/4 (terça-feira) “Por uma questão de justiça – Advogados contra a ditadura”
Local: Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná)
Horário: 19h30

Dia 9/4 (quarta-feira) “Em nome da Segurança Nacional”
Local: Colégio Estadual Almiro Sartori
Horário: 8h
Dia 9/4 (quarta-feira) “Vou contar para os meus filhos e Anistia 30 anos”
Local: Colégio Estadual Três Fronteiras
Horário: 8h

Dia 10/4 (quinta-feira) “Vou contar para os meus filhos e Anistia 30 anos”
Local: Colégio Estadual Cataratas do Iguaçu
Horário: 8h

Dia 10/4 (quinta-feira) “Os militares que disseram não”
Local: Centro de Direitos Humanos e Memória Popular
Horário: 19h30

Veja a programação completa por todo o Brasil:

Março

Recife/PE

Dias 10 a 14:
Congresso Internacional: “50 ANOS DO GOLPE E A NOVA AGENDA DA
JUSTIÇA DE TRANSIÇÃO NO BRASIL”
Local: Universidade Católica de Pernambuco – UNICAP – Rua do Príncipe, 526, Boa Vista
Horário: integral
Parceiros: 2ª CCR do Ministério Publico Federal, Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, International Coalition of Sites of Conscience, IDEJUST, Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), PNUD, União Nacional dos Estudantes, GAJOP, Comissão Brasileira de Justiça e Paz – CNBB

Dias 17 a 21
Exposição “Anistia e Democracia: para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”
Local: Oricuru e Araripina – PE

Dias 24 a 28
Exposição “Anistia e Democracia: para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”
Local: Garanhuns – PE

Rio de Janeiro/RJ

Dia 22/03 a 13/04:
Exposição “O GOLPE – 50 anos depois”
Local: Armazém da Utopia, Avenida Rodrigues Alves, Armazém 6 do Cais do Porto
Horário: Abertura dia 22, às 17h
Parceiro: Instituto Ensaio Aberto.

Dia 28:
Conversa Pública sobre “Testemunho da Verdade, Testemunho da Justiça”, com a presença de Fabiana Rousseaux, diretora do Centro de Atención Fernando Ulhoa de la Secretaria de DDHH da Argentina.
Local: Auditório da CAARJ – Marechal Camara, 210 – Centro
Horário: 17h
Parceiro: Clínica do Testemunho Instituto Projetos Terapêuticos do Rio de Janeiro

Belém/PA

Dias 28 e 29:
Seminário “Memória e Compromisso: Relembrar o papel dos cristãos no processo de anistia política e na reconstrução democrática do Brasil no período de 1964 a 1988”
Local: Colégio Marista Nossa Senhora de Nazaré
Horário: das 14h às 17h no 1º dia e integral no 2º dia
Parceiros: Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB, Pastoral da Juventude e Levante Popular da Juventude

Em todo o Brasil

Dias 24 a 28:
Exibição na TV BRASIL do documentário em 5 episódios “Os advogados contra a ditadura: por uma questão de Justiça”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia
Horário: sempre às 23h30
Parceiros: Caliban e EBC – Empresa Brasil de Comunicação

Salvador/BA

Dia 25:
Solenidade Pública de renomeação da Escola Estadual Presidente Emílio Garrastazu Médici por Escola Estadual do Stiep Carlos Marighella
Local: Conjunto Habitacional Stiep, Quadra 1, Bairro Stiep. Salvador/ BA
Horário: 16h
Parceiro: Secretaria de Estado de Educação da Bahia

79ª Caravana da Anistia durante o III Fórum do Pensamento Crítico
Local: Teatro Castro Alves – Salvador/ BA – Praça Dois de Julho, SN, Campo
Grande
Horário: 19h
Parceiro: Secretaria de Estado da Cultura da Bahia, Fundação Pedro Calmon

São Paulo/SP

Dia 28/3
Exibição do filme “O Fim do Esquecimento”
Local: Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP)
Horário: 19h
Parceiro: Instituto Macuco, Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP), Comissão da Verdade Rubens Paiva (ALESP), Comissão da Verdade dos Alunos da FESP- SP e Cineclube Darcy Ribeiro.

Brasília/DF

Dia 20/03 a 13/04:
Exposição “Onde a Esperança se Refugiou: a história do Movimento de Justiça e Direitos Humanos”
Local: Salão Negro do Congresso Nacional
Horário: integral
Parceiro: Movimento de Justiça e Direitos Humanos, Universidade de Brasília,
Comissão da Verdade Anísio Teixeira, Congresso Nacional
OBS: Inauguração dia 20/03, às 11h

Dia 11:
Lançamento dos Seminários Regionais “Memória e Compromisso” por videoconferência, com todos as regiões do país conectadas.
Local: Colégio Marista de Taguatinga
Horário: integral
Parceiros: Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB, Pastoral da Juventude e Levante Popular da Juventude

Dia 31:
Lançamento das obras: “Advocacia em Tempos Difíceis”, “O Livro dos Votos da Comissão de Anistia” e “Caravanas da Anistia: O Brasil Pede Perdão”, durante a Sessão Solene do Conselho Federal da OAB
Local: Conselho Federal da OAB – SAUS Quadra 5, Lote 1, Bloco M
Horário: 10h
Parceiro: Conselho Federal da OAB, Instituto Primeiro Plano, Fundação Getulio
Vargas

Belo Horizonte/MG

Dia 31:
Lançamento do Livro “Nós Dois”, de Ana Maria Freire; Exposição artística, de Renato Godinho Apresentação da Peça teatral “Only You”, de Pedro Paulo Cava; Solenidade de cessão dos arquivos da Câmara Municipal de Belo Horizonte para a Comissão de Anistia e para a Comissão da Verdade em Minas Gerais;
Local: Memorial da Anistia Política do Brasil, Rua Carangola, 288, Bairro Santo Antonio. Belo Horizonte / MG
Horário: 18h
Parceiro: Associação dos Amigos do Memorial da Anistia, Prefeitura de Belo Horizonte, Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

Palmas/TO

Dia 31/03 e 01/04:
Seminário “1964, 50 anos depois: Ditadura no Brasil, para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça!”
Local: Auditório da Assembléia Legislativa do Tocantins
Horário: todo o dia
Parceiro: Assembléia Legislativa do Tocantins

Em todo o Brasil

Dias 31 a 4/04:
Exibição na TV BRASIL do documentário em 5 episódios “Militares da democracia: os Militares que disseram NÃO”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia
Horário: sempre às 23h30
Parceiros: Caliban e EBC – Empresa Brasil de Comunicação
Abril

Rio de Janeiro/RJ

Dia 1º:
Inauguração do “Monumento ao NUNCA MAIS: homenagem à resistência e à
luta pela anistia no Rio de Janeiro”
Local: Praça Floriano – Cinelândia, Centro, Rio de Janeiro
Horário: 10h
Parceiro: Prefeitura de Município do Rio de Janeiro, ONG Alice, ADNAM,
Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro

80ª Caravana da Anistia no Rio de Janeiro
Lançamento do Livro “Advocacia em Tempos Difíceis”
Local: Armazém da Utopia, Avenida Rodrigues Alves, Armazém 6 do Cais do
Porto
Horário: 16h
Parceiro: Instituto Ensaio Aberto, Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro,
FGV, Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro

Lançamento do longa metragem “Militares da Democracia: os militares que disseram NÃO”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia
Local: Museu da República (Palácio do Catete) – Rua do Catete, 153, Catete
Horário: 20h
Parceiro: Caliban, Museu da República, Instituto Ensaio Aberto, Comissão da Verdade do Rio de Janeiro

Curitiba/PR

Dia 1º:
Lançamento das obras: “Advocacia em Tempos Difíceis”, “O Livro dos Votos da Comissão de Anistia” e “Caravanas da Anistia: O Brasil Pede Perdão”
Local: UFPR, Faculdade de Direito, Prédio Histórico – Praça Santos Andrade, 50, Centro
Horário: 10h
Parceiro: Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça, UFPR

Inauguração do Museu de Percurso “Caminhos da Resistência” – Cartografia e afixação de 3 Totens em lugares de memória da resistência e da repressão em Curitiba
Local: Prédio Histórico UFPR (Rua Santos Andrade), Praça Osório (Rua XV Boca Maldita) e Clínica Marumbi
Horário: 15h
Parceiros: Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça

Dia 3:
Exibição do longa metragem “Os Militares que disseram NÃO”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia
Local: Unibrasil – Rua Konrad Adenauer, 442, Tarumã
Horário: 19h
Parceiros: Caliban e Unibrasil
São Paulo/SP

Dia 2:
Inauguração do “Monumento ao NUNCA MAIS: homenagem à resistência e à luta pela anistia em São Paulo”
Local: TUCA (SP) – Rua Monte Alegre, 1024, Perdizes.
Horário: 16h
Parceiro: PUC-SP, ONG Alice, Núcleo de Preservação da Memória Política,
Comissão Estadual da Verdade de São Paulo, Fundação Perseu Abramo,
Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo

Dia 3:
Lançamento do longa-metragem: “Os advogados contra a ditadura: por uma questão de Justiça , dirigido por Silvio Tendler, do Projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia“
Lançamento do livro “Advocacia em tempos difíceis”
Local: Prédio da Antiga Auditoria Militar, cedido à OAB – Avenida Brigadeiro Luiz
Horário: 18h
Parceiros: FGV, Núcleo Memória, Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de
São Paulo

Dia 4:
81ª Caravana da Anistia
Local: Câmara dos Vereadores de São Paulo – Viaduto Jacareí, 100, República
Horário: 16h
Parceiros: Fundação Maurício Grabois, Câmara de Vereadores de São Paulo,
Comissão Estadual da Verdade de São Paulo

Dias 25 e 26:
Seminário “Memória e Compromisso: Relembrar o papel dos cristãos no processo de anistia política e na reconstrução democrática do Brasil no período de 1964 a 1988”
Local: Colégio Marista Arquidiocesano
Horário: das 14h às 17h no 1º dia e integral no 2º dia
Parceiros: Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB, Pastoral da Juventude e Levante Popular da Juventude

Recife/PE:

Dias 4 e 5:
Seminário “Memória e Compromisso: Relembrar o papel dos cristãos no processo de anistia política e na reconstrução democrática do Brasil no período de 1964 a 1988”
Local: Colégio Marista São Luís
Horário: das 14h às 17h no 1º dia e integral no 2º dia
Parceiros: Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB, Pastoral da Juventude e Levante Popular da Juventude

Dia 7
Exibição do longa-metragem “Militares da Democracia: os militares que disseram NÃO”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia no Festival de Cinema sobre Direitos Humanos
Local: Cinema do shopping Frei Caneca
Horário: 21:30h
Parceiro: Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, Caliban,
Núcleo Memória, EBC

Dia 9:
82ª Caravana da Anistia na USP
Local: Campus da USP
Horário: 14h
Parceiro: Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, Secretaria de
Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, Comissão da Verdade do Estado
de São Paulo

Dias 7 a 11
Exposição “Anistia e Democracia: para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”
Local: Salgueiro – PE

Dias 22 a 25
Exposição “Anistia e Democracia: para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”
Local: Santa Cruz do Capiberibe e Limoeiro – PE

Porto Alegre/RS

Dia 5:
Exibição do longa-metragem “Os advogados contra a ditadura: por uma questão de Justiça, dirigido por Silvio Tendler, do Projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia
Lançamento do livro: “Advocacia em tempos difíceis”
Local: Museu dos Direitos Humanos do Mercosul
Horário: 14h
Parceiro: Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Exibição do longa-metragem “Militares da Democracia: os militares que disseram NÃO”, dirigido por Silvio Tendler, do projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia
Local: Museu dos Direitos Humanos do Mercosul
Horário: 16h
Parceiro: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, EBC

Inauguração do “Monumento ao NUNCA MAIS: homenagem à resistência e à luta pela anistia em Porto Alegre”
Local: a definir
Horário: 18h
Parceiro: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, ONG Alice

João Pessoa/PB

Dia 21:
Lançamento do Filme “ A Mesa Vermelha” , com a presença dos ex-presos políticos de Itamaracá
Local: Casarão 34 ou Funjope-PMJP
Horário: 18h
Parceiro: Comitê Paraibano Memória, Verdade e Justiça e Prefeitura Municipal de João Pessoa

Em todo o Brasil:
MOSTRA DE CINEMA MARCAS DA MEMÓRIA:

Sessões públicas e gratuitas dos filmes produzidos pelo Projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça. Confira os filmes e a agenda:

“Repare Bem” (2012; 105 min)
Direção: Maria de Medeiros
Sinopse: Neste filme, vencedor do kikito de melhor filme no Festival de Gramado de 2013, a diretora Maria de Medeiros realiza o documentário sobre ditadura, por meio da história de três gerações de mulheres. As câmaras registraram em Roma e em Joure, no norte da Holanda, os testemunhos de Denise Crispim e de sua filha, Eduarda Ditta Crispim Leite. Apesar de longe do Brasil, suas palavras, que falam de exílio e de memória, levam-nos a um mergulho profundo na história do Brasil, dos anos 70 até a atualidade. Denise já nasce clandestina em 1949. Seus pais, extremamente politizados, lutaram por uma vida mais justa e são por isso perseguidos por sucessivas ditaduras. Aos 20 anos, Denise torna-se companheira de um guerrilheiro, Eduardo Leite, morto no governo militar brasileiro. Ao fugir para o Chile, reencontra seus pais, também exilados. Lá, ao lado da filha Eduarda, Denise e a mãe vivem a repressão de Pinochet e se separam novamente, para viver na Europa.

“Duas Histórias” (2012; 52 min)
Direção: Ângela Zoé
Sinopse: Tendo como linha condutora a trajetória de dois militantes socialistas na luta contra a ditadura militar brasileira. O filme narra duas experiências diferentes, pois diferentes eram a as concepções políticas que orientavam a resistência à ditadura. Mas são iguais na coragem, na dor, na sobrevivência e superação. Uma mulher e seu filho. Um homem. Diversas estradas, chegadas, partidas, fugas, fatos e encontros inesperados. Brasil, Argentina, Chile, outros exílios e finalmente a vitória e a alegria do retorno ao Brasil. Para recomeçar.

“Damas da Liberdade” (2012; 28 min)
Direção: Célia Gurgel e Joe Pimentel
Sinopse: Através de narrativas de mulheres do Movimento Feminino pela Anistia e do Comitê Brasileiro pela Anistia é contada a história da luta pela anistia no Brasil nos anos de 1970, reacendendo o debate sobre um período de repressão e medo que o país jamais deverá esquecer.

“Vou contar para os meus filhos” (2011; 24min)
Direção: Tuca Siqueira
Sinopse: Entre 1969 e 1979, 24 jovens mulheres estiveram presas na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, em Recife (PE) porque lutavam por igualdade social e pela democracia em uma época em que o Brasil enfrentava uma ditadura militar. Passados 40 anos, o reencontro delas, que hoje moram em diferentes estados do país, traz de volta não apenas os laços de solidariedade que surgiram no presídio, mas também a lembrança de um Brasil que tentou calar vozes e violentar sonhos. Este é um filme-memória indispensável para quem acredita na força de um ideal e da consciência política de um povo. Para quem não duvida que o tempo e a distância são incapazes de abalar amizades verdadeiras. Uma história para jovens e adultos que deve se manter viva por gerações.

“Em Nome da Segurança Nacional” (2012; 45 min)
Direção: Renato Tapajós
Sinopse: O filme tem como eixo narrativo o Tribunal Tiradentes, organizado pela Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo em 1983. Dirigido por Renato Tapajós, o filme acrescenta às cenas do Tribunal diversos materiais, tanto de arquivo quanto ficcionais, e discute a Doutrina de Segurança Nacional, eixo ideológico da ditadura implantada pelo golpe de 1964, e o efeito que ela teve sobre diversos segmentos da sociedade brasileira.

“O fim do esquecimento” (2012; 54 min)
Direção: Renato Tapajós
Sinopse: O filme procura personagens que participaram do Tribunal Tiradentes e outros que se destacaram na luta pelos Direitos Humanos, para retomar a questão da Doutrina de Segurança Nacional, depois de três décadas. Investiga os resquícios daquela doutrina nos dias de hoje, aborda a tentativa das classes dominantes de, depois que os militares saíram do poder, promover o esquecimento dos graves fatos ocorridos durante a ditadura e constata que, finalmente, o esquecimento está sendo combatido por diversas instituições e pessoas, sobretudo pelos jovens.

“Anistia 30 anos” (2009; 17 min)
Direção: Luiz Fernando Lobo
Sinopse: O filme retrata a história da Ditadura Militar no Brasil, a luta do povo brasileiro pela liberdade, pela Anistia. Durante um período sombrio da história do Brasil, ouve-se um grito de esperança e justiça, o povo reivindicou seus direitos e conseguiu. Foram criadas a Lei da Anistia e a Comissão de Anistia, posteriormente.

“A Mesa Vermelha” (2012; 78 min)
Direção: Tuca Siqueira
Sinopse: Uma mesa vermelha é a palavra de 23 ex-presos políticos. No documentário, senhores jovens subversivos comentam sobre a convivência nos presídios masculinos pernambucanos durante o período militar. Da chegada ao cárcere, do afeto, da greve de fome, do papel dos coletivos dentro da cadeia. O sentimento de pertencimento é o que move este filme. Aos personagens, o pertencimento a uma geração e a história de um tempo sombrio narrada a partir de depoimentos, recordações e denúncias de ex-presos políticos que pelos porões de torturas do DOI-CODI e DOPS do Recife, além de longa temporada carcerária entre a ex-Casa de Detenção do Recife (hoje Casa da Cultura) e a ainda atual Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá – PE.

“Eu me lembro” (2012; 96 min)
Direção: Luiz Fernando Lobo
Sinopse: “Eu me Lembro” é um documentário sobre os cinco anos das Caravanas da Anistia e reconstrói a luta dos perseguidos por reparação, memória, verdade e justiça, com imagens de arquivo e de entrevistas em 94 minutos.

“Ainda hoje existem perseguidos políticos” (2012, 54 min)
Direção: Coletivo Catarse
Sinopse: O documentário tem por objetivo fomentar o debate sobre a ausência de uma efetiva transição democrática no Brasil, pós Ditadura Civil-Militar implantada no País a partir de 1964. Identifica semelhanças no agir do Estado no passado e atualmente, demonstrando que a cultura do autoritarismo permanece arraigada em algumas instituições do Estado brasileiro. Apresenta também imagens do projeto que levou este debate para os mais variados públicos (quilombolas, universitário, LGBTT, assentados do MST, comunidades periféricas etc.) desenvolvido pela Acesso – Cidadania e Direitos Humanos em parceria com a Comissão de Anistia.

“Se um de nós se cala” (2013, 68 min)
Direção: Célia Maria Alves e Vera Côrtes
Sinopse: Se um de nós se cala insere Goiás no contexto do golpe militar de 1964. A partir de relatos de anistiados que à época eram jovens estudantes e militantes políticos, o documentário resgata e revela os motivos pelos quais Goiás foi o único estado brasileiro que sofreu intervenção militar e como a ditadura foi cruel com os brasileiros e goianos que ousaram não se calar.

“Os Advogados contra a Ditadura: por uma questão de Justiça” (2013, 130 min)
Direção: Silvio Tendler
Sinopse: Com a instauração da ditadura militar através de um golpe das Forças Armadas do Brasil, no período entre 1964 e 1985, o papel dos advogados na defesa dos direitos e garantias dos cidadãos foi fundamental no confronto com a repressão, ameaças e todo tipo de restrições. Advogados contra a ditadura propõe uma profunda reflexão sobra a época em questão, relembrando, através de depoimentos e registros de arquivos, a relevante e ativa participação dos advogados contra as imposições do autoritarismo e na luta pela liberdade.

“Militares da Democracia: os militares que disseram NÃO” (2013, 100 min)
Direção: Sílvio Tendler
Sinopse: Eles lutaram pela Constituição, pela legalidade e contra o golpe de 1964, mas a sociedade brasileira pouco ou nada sabe a respeito dos oficiais que, até hoje, ainda buscam justiça e reconhecimento na história do país. Militares da Democracia resgata, através de depoimentos e registros de arquivos, as memórias repudiadas, sufocadas e despercebidas dos militares perseguidos, cassados, torturados e mortos, por defenderem a ordem constitucional e uma sociedade livre e democrática.
ocais de Exibição:

Florianópolis – 31/03 a 04/04
Local: Cesusc
Horário: 7:30h às 11:30h e 19h às 22h
Parceiro: CESUSC

Curitiba – 07/04 a 08/04
Local: Cinemateca de Curitiba
Horário: 19h
9/04 a 11/04
Local: Memorial de Curitiba
Horário: dia 09/04, às 14h e demais dias 19h
Parceiro: Fórum Paranaense pela Resgata da Verdade, Memória e Justiça

Brasília – 1/04 a 10/04
Local: Cine Brasília
Horário: 19h
Parceiro: Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal

Vitória – 22/04 a 25/04
Local: Cine Metrópolis
Horário: a definir
Parceiro: Escola da Magistratura do Espírito Santo

Porto Alegre – 2/04 a 6/04
Local: Casa de Cultura Mário Quintana e Museu dos Direitos Humanos do Mercosul
Horário: 20h30
Parceiro: Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Salvador – 02/04 a 04/04
Local: Complexo Cultural – Biblioteca Pública dos Barris
Horário: a definir
Parceiros: Secretaria Estadual de Educação e Fundação Pedro Calmon

São Paulo –15/04 a 27/04
Local: Cine Olido
Horário: a definir
Parceiros: Prefeitura de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura e Secretaria Municipal de Direitos Humanos

Foz de Iguaçu
Dia 2/4 (quarta-feira) “Duas Histórias”
Local: Unila (Universidade Federal da Integral Latino-Americana)
Horário: 18h
Dia 3/4 (quinta-feira) “O fim do esquecimento”
Local: Biblioteca Cidadã Paulo Freire/ Colégio Estadual Flávio Warken
Horário: 8h
Dia 4/4 (sexta-feira) “Repare Bem”
Local: Teatro Barracão
Horário: 19h30
Dia 5/4 (sábado) “Ainda hoje existem perseguidos políticos”
Local: Biblioteca Comunitária Cidade Nova
Horário: 19h30
Dia 7/4 (segunda) “Damas da Liberdade”
Local: Colégio Estadual Barão do Rio Branco
Horário: 8h
Dia 7/4 (segunda) “Damas da Liberdade”
Local: Colégio Estadual Barão do Rio Branco
Horário: 19h30

Dia 8/4 (terça-feira) “Por uma questão de justiça – Advogados contra a ditadura”
Local: Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná)
Horário: 19h30

Dia 9/4 (quarta-feira) “Em nome da Segurança Nacional”
Local: Colégio Estadual Almiro Sartori
Horário: 8h
Dia 9/4 (quarta-feira) “Vou contar para os meus filhos e Anistia 30 anos”
Local: Colégio Estadual Três Fronteiras
Horário: 8h

Dia 10/4 (quinta-feira) “Vou contar para os meus filhos e Anistia 30 anos”
Local: Colégio Estadual Cataratas do Iguaçu
Horário: 8h

Dia 10/4 (quinta-feira) “Os militares que disseram não”
Local: Centro de Direitos Humanos e Memória Popular
Horário: 19h30

4 comentários sobre “Veja eventos e filmes em Curitiba, Foz e pelo Brasil em memória aos 50 anos do golpe militar-empresarial

  1. grau de investimento brasileiro sendo rebaixado. E os PTralhas falando do passado, ao invés de pensar no futuro. Estão arruinando o Brasil!

    Curtir

  2. Pingback: 50 anos do golpe militar-empresarial de 1964 | Blog do Tarso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s