Cristina Kirchner pode estatizar empresa petrolera. Essa mulher é porreta!

O governo argentino estuda expropriar parte das ações da maior produtora de petróleo do país, a YPF, subsidiária da espanhola Repsol. A Casa Rosada já até enviou um projeto de lei ao Congresso para tornar “de utilidade pública e sujeito à expropriação” 50,01% das ações da YPF.

A companhia vem sendo acusada pelo governo de formação de cartel e de não ter investido o suficiente para enfrentar uma provável carência energética no próximo inverno.

A presidenta argentina Cristina Kirchner disse ontem: “Estou disposta a pagar todos os preços que tiver que pagar para seguir sustentando esse modelo de crescimento”.

Com isso o governo Espanhol começa a ameaçar: “O governo da Espanha defende os interesses de todas as empresas espanholas, dentro e fora [do país]. Se em alguma parte do mundo há gestos de hostilidade contra esses interesses, o governo os interpreta como gestos de hostilidade à Espanha e ao governo da Espanha”, disse o ministro da Indústria, José Manuel Soria.

A es-empresa estatal argentina YPF – Yacimientos Petrolíferos Fiscales foi privatizada em 1999 pelo presidente neoliberal Carlos Menem, da mesma linha entreguista do tucano FHC no Brasil. FHC quase vendeu a Petrobras, chegou a querer transformá-la em Petrobrax.

Governo Beto Richa, por meio da Copel, está emprestando R$ 24,7 milhões para as obras na Arena. Sindicato entrará com Ação Civil Pública

O SINDENEL – Sindicato dos Eletricitários de Curitiba entrará com uma Ação Civil Pública contra o empréstimo que a Copel esta efetivando no valor de R$24,7 milhões para aplicação na Arena da Baixada do Clube Atlético Paranaense a fundo perdido. Os sindicalistas entendem que devem impedir a doação de dinheiro público para uso no setor privado, pois, segundo eles, não atende o interesse coletivo da sociedade.