Obra “Samba” de Di Cavalcanti foi queimada em incêncio

15 ago

Uma das mais importantes coleções particulares de arte do Brasil, que incluía a obra “Samba” (1925), de Emiliano Di Cavalcanti, foi parcialmente destruída em um incêndio no apartamento em Copacabana do colecionador Jean Boghici.

“Samba” é considerada a maior obra de Di Cavalcanti e a melhor representação da cultura negra realizada no modernismo brasileiro. Só sobrou os pés dos personagens (30% da tela).

O prejuízo financeiro é de R$ 60 milhões (apenas a obra de Di Cavalcanti valia R$ 50 milhões), mas o maior prejuízo é para a arte brasileira. As  obras de Tarsila do Amaral “O Sono” (1928) e “Sol Poente” (1929) e uma escultura de Victor Brecheret foram salvas.

As obras destruídas estariam na mostra de inauguração do Museu de Arte do Rio.

Até quando esse tipo de arte ficará nas mãos de particulares, em coleções privadas, sem o devido cuidado? Há institutos jurídicos de intervenção da propriedade privada que podem ser utilizados.

Sobre estes anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 13.066 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: