A esperança vencerá o ódio, novamente

Foto de Jonas Santos

Dona Eurides Maceda. Foto de Jonas Santos

Não me lembro como, mas acessei a página de Valmir Assunção no Facebook e me deparei com essa magnífica foto de Jonas Santos de uma senhora que estava ontem (10) entre os seis mil integrantes do MST que marcharam de Feira de Santana à Salvador no estado da nossa querida Bahia. Dona Eurides Maceda.

A mobilização integra a Jornada Nacional de Luta das Mulheres Camponesas que discute pautas como a reforma agrária e a violência contra a mulher. A marcha antecipa, na Bahia, o período de lutas por reforma agrária do mês de abril. Em Salvador, o MST apresentará sua pauta para o Governo do Estado, o que também inclui ações no âmbito nível federal. Dia 13 todos estarão no ato pela democracia, Petrobras, reforma política popular e manutenção dos direitos dos trabalhadores, e contra o golpe.

A foto de uma senhora com uma expressão de esperança, sem o ódio dos organizadores do ato golpista do dia 15. Uma foto de quem luta pelo Brasil e não contra o Brasil. De quem, mesmo sofrido, acha forças para buscar um país melhor, por meio de uma revolução ou de uma reforma, mas nunca pelo golpe.

Viva as mulheres desse Brasil!

Que venha a reforma agrária!

E que a esperança vença o ódio, novamente, neste março de 2015!

Obs.: no Paraná vários ativistas digitais estão colocando essa foto como sua foto do perfil das redes sociais.

Curta o Blog do Tarso no Facebook aqui.

Anúncios

Pesquisa aponta que Dilma é a candidata da esperança

Dilma-Lula-posse

Analisando a última pesquisa Datafolha, que aponta empate entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições presidenciais, percebemos que a exemplo de Lula, Dilma é a candidata da esperança.

Enquanto que os privilegiados que tiveram ensino médio e superior votam mais em Aécio, Dilma ganha fácil entre os que têm apenas ensino fundamental e esperança de, quem sabe um dia poder estudar, por 60% a 40%.

Os que ganham mais de dois salários mínimos votam mais em Aécio, sendo que entre os ricos que ganham mais de 10 salários mínimos Aécio dispara (74% a 26%), mas Dilma vence entre os que recebem até 2 salários (ela tem 58% e ele 42%), ou seja, aqueles que precisam urgentemente melhorar sua condição econômica e social. São os que têm esperança de que o que a Constituição determina, que é a erradicação da miséria e redução das desigualdades sociais, seja cumprido ainda mais pelo Estado.

Nas regiões do Brasil mais pobres, Norte e Nordeste, Dilma ganha disparado, respectivamente por 60/40 e 66/34. São os que têm esperança de que um dia a exigência Constitucional da redução das desigualdades regionais seja cumprida pelo Poder Público.

Se entre os cidadãos que moram nas médias e grandes cidades existem mais eleitores de Aécio, entre os eleitores que moram em cidades com até 50 mil habitantes, Dilma ganha por 55% a 45%. Ou seja, são os brasileiros que vivem normalmente em cidades que, por serem menores, têm menos escolas, menos hospitais, menos acesso à cultura, à internet, e que têm esperança de uma vida melhor.

Dilma perde entre a classe alta e a classe média alta, mas ganha na classe média média (52/48), entre a média baixa (53/47) e entre os excluídos (64/36), todos eles com esperanças justas de melhorarem de vida.

Entre os mais privilegiados, infelizmente reina um sentimento de manutenção do status quo, um sentimento de mais egoísmo, individualismo e, em alguns casos, ódio contra as minorias.

Mas confio no ser humano, confio que ainda é possível existir um sentimento de solidariedade, de fraternidade, de busca de uma igualdade e uma real liberdade de ser cidadão!

Por isso voto Dilma 13, mesmo sem necessitar tanto de um Estado Social como precisa uma grande parcela da sociedade brasileira.