Venha debater e criar a Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná

_3ParanaBlogs

Os membros do Paraná Blogs criarão a Associação Paranaense de Blogueiros e Ativistas Digitais, com o intuito de realizar os encontros estaduais de blogueiros e ativistas digitais e defender juridicamente seus associados.

Amanhã (4), 19h30, na APP-Sindicato em Curitiba (Av. Iguaçu, 880, Rebouças), realizaremos uma reunião para debater o Estatuto da Associação (veja a minuta do Estatuto que será debatida, aqui).

Solicitamos divulgação da reunião para todos os blogueiros e ativistas digitais do Paraná que conhecerem.

Convidamos para que participem das discussões amanhã e da fundação da Associação no dia 9 de março.

Saudações,

Tarso Cabral Violin

Blog do Tarso

 

Anúncios

Aprovação de governo tucano no Paraná despenca 45 pontos em dois meses: 76% de desaprovação e 19% de aprovação a Richa

A avaliação do governador do Paraná, Carlos Alberto Richa, vulgo Beto Richa (PSDB), despencou entre os paranaenses e agora 76,1% dos eleitores do estado desaprovam o governo tucano, conforme o Instituto Paraná Pesquisas/Gazeta do Povo.

A queda na aprovação foi de 50 pontos porcentuais desde dezembro de 2014 e agora é de 19,9%.

Já 71,6% dos entrevistados entendem que Richa está comandando o Paraná pior do que a expectativa.

E 57,4% dos eleitores que votaram em Richa afirmaram que não votariam no tucano novamente.

Desaprovam o pacote de maldades de Richa 96% dos paranaenses.

O Blog do Tarso sempre informou que Richa é considerado o pior governador do Paraná de todos os tempos, ainda pior do que Jaime Lerner (ex-PFL). Agora as pesquisas mostram isso.

Richa quebrou o Paraná e detonou a Administração Pública do Estado, com altos gastos com publicidade e agindo de forma imoral ao escolher secretários condenados ou investigados pela Justiça.

É mais um exemplo de que o neoliberalismo não é a saída para nenhum país, estado ou município.

Curta o Blog do Tarso no Facebook, clique aqui.

beto desaprovacao.pdf

Blogueiros progressistas requerem ao ICIJ acesso à lista dos brasileiros do HSBC/SwissLeaks

ehAsoCcnPFpBPSK-800x450-noPad

Blogueiros progressistas de todo o país requerem ao Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) acesso à lista e dados dos 8.667 clientes brasileiros do HSBC/SwissLeaks. Tarso Cabral Violin, autor do Blog do Tarso, e Esmael Morais, do Blog do Esmael, são os paranaenses que assinam a lista. Assine você também, aqui. Veja o documento:

Ao Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ)

Caras senhoras e senhores,
Nós, blogueiros do Brasil, falando em nome de nossos milhões de leitores, vimos através desta requerer ao ICIJ o acesso à lista com os dados completos dos 8.667 clientes brasileiros do banco HSBC no Swiss Leaks.

Somos jornalistas e/ou blogueiros engajados na luta por transparência no sistema financeiro, o que necessariamente passa pelo combate à sonegação estimulada pelos refúgios fiscais.

Alertamos que, diferentemente de outros países do mundo, a mídia brasileira é altamente concentrada.

De acordo com a organização Reporters Without Borders, o “Brasil é o país dos 30 Berlusconis”  (http://en.rsf.org/IMG/pdf/brazil_report.pdf).

Os 30 Berlusconis fazem parte da elite política brasileira, à qual protegem praticando frequentemente a seleção, a distorção e a manipulação de notícias.

Os 30 Berlusconis são suspeitos de recorrer aos refúgios fiscais para sonegar impostos — e de proteger aqueles que o fazem.

Num caso recente, o maior grupo de mídia do Brasil, as Organizações Globo, recorreram ao paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas para, de acordo com autoridades fiscais brasileiras, fazer uma manobra que evitou o pagamento de impostos na compra dos direitos de transmissão das Copas do Mundo de futebol de 2002 e 2006.

A multa para as Organizações Globo foi superior aos R$ 600 milhões de reais.

Esta informação foi suprimida ou não teve o destaque necessário na maior parte da mídia brasileira.

Acreditamos ser temerário o ICIJ fazer uma única parceria no Brasil, o que na prática deixa os Swiss Leaks sob monopólio de um grupo de mídia que frequentemente coloca seus próprios interesses políticos, econômicos e ideológicos acima do direito à informação.

Jornalistas subordinados a este e a outros grupos de mídia trabalham sob pressão para fazer o vazamento de acordo com critérios de seus superiores.

A posse da lista por mais de um grupo de jornalistas, além de estimular a saudável concorrência, vai permitir que uns monitorem o trabalho de outros — e vice-versa.

Somos, alguns de nós, jornalistas investigativos premiados.

Prometemos aplicar critérios jornalísticos à divulgação dos nomes e dados dos correntistas do HSBC.

Seria lamentável se os Swiss Files fossem vazados no Brasil de forma seletiva, atendendo a interesses que não os da opinião pública.

Tornamos esta carta uma petição pública para adesão de nossos leitores.

Aguardando ansiosamente por suas considerações,

Paulo Henrique Amorim
Rodrigo Vianna
Luiz Carlos Azenha
Conceição Lemes
Altamiro Borges
Renato Rovai
Conceição Oliveira
Eduardo Guimarães
Antonio Mello
Miguel do Rosário
NaMariaNews
Fernando Brito
Lúcio Flávio Pinto
Débora Cruz
Kiko Nogueira
Paulo Nogueira
Marco Weissheimer
Tarso Cabral Violin
Diógenes Brandão
Daniel Dantas Lemos
Wagner Nabuco
Joaquim Ernesto Palhares
Marcus Vinícius
Lúcia Rodrigues
Igor Felippe
Nilton Viana
Breno Altman
Esmael Moraes
Elaine Tavares

DCE da PUCPR se posiciona contra o desmonte da educação pública do Paraná

Beto Richa trator escavadeira

NOTA OFICIAL DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA PUCPR

NÃO AO PACOTE DE MALDADES DE RICHA! É HORA DE RESISTIR AOS ATAQUES E DEFENDER A EDUCAÇÃO PÚBLICA!

Nós do Diretório Central dos Estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, viemos por meio desta nota deixar claro nosso posicionamento enquanto gestão, em relação aos pacotes de austeridade propostos pelo governo Richa (PSDB) e as mobilizações dos servidores públicos, em especial as comunidades acadêmicas das universidades estaduais, hoje, ameaçadas de fechar (UEM, UEL, UNICENTRO e UNESPAR) devido a ausência de repasses e investimentos por parte do governo do estado, bem como também, a greve dos professores das escolas públicas que no momento da redação desta carta, completa três semanas.

Primeiramente, deixamos claro que somos completamente contrários a qualquer corte orçamentário que afete a educação e os serviços públicos do estado. A juventude e os trabalhadores não devem pagar pela crise provocada pela incompetência administrativa dos governos. A população enganada pela promessa eleitoral de que ‘’o melhor estava por vir’’, e de que as contas do estado ‘’estavam em ordem’’, hoje paga com o aumento das tarifas, e o ataque aos direitos mais essenciais como a educação e a saúde. Trata-se de um estelionato eleitoral. Em resposta a isso, os professores do estado, juntamente com o conjunto dos servidores tomaram as ruas, e entraram em greve. A ocupação histórica da Assembleia Legislativa demonstrou a coragem e a disponibilidade de luta dos professores e servidores. Desde o começo, nós do Diretório nos colocamos sempre a disposição de apoiar no que for necessário essa luta.

Apesar de representarmos estudantes de uma universidade dita ‘’privada’’, isso não nos impede em defender uma educação e serviços públicos de qualidade. Acompanhamos com muita apreensão a possibilidade de fechamento das universidades estaduais, e desde já deixamos nosso total apoio as greves estudantis da UEM e da UEL e nossa solidariedade aos DCE’s e comandos de greve estudantil dessas universidades. Entendemos que essa luta também é nossa, e que o momento é de união, para além das diferenças e segmentação que sofre o movimento estudantil, para defendermos juntos nossos direitos.

Na PUCPR cada vez mais o custo de se manter na universidade se eleva, mesmo com verbas públicas e isenções fiscais o grupo Marista (mantenedor da PUC) além de aumentar as mensalidades acima da inflação, de fato, não se interessa em investir em permanência e assistência estudantil. As discussões sobre a construção de um Restaurante Universitário por exemplo, só tem se desenrolado, graças a pressão que o DCE tem feito.

Vivemos em uma época de profunda desarticulação do movimento estudantil, graças há décadas a fio de subserviência e falta de independência e autonomia de entidades – que deveriam nos unir – , como a UNE e UPE, perante a governos e partidos políticos. Isso joga contra o estudante, e nos ‘’desune’’, ao invés de articularmos nossas lutas em comum. Por isso, sabendo de nossa responsabilidade enquanto representantes da maior universidade privada do Paraná, fazemos um chamado aos centros acadêmicos e estudantes da PUCPR, bem como ao movimento estudantil paranaense. É hora de unirmos nossas forças e nossas lutas em uma mesma trincheira, sofremos no final das contas os mesmos ataques, sofremos com mensalidades altas, com corte de verbas, com educação precária, com falta de estrutura, ensino mercantilista, ausência de políticas de assistência e permanência, seja você estudante da PUCPR, ou da UEM.

Propomos uma reunião estadual entre todas as forças do movimento estudantil em luta, para organizarmos um grande movimento em defesa do ensino superior de qualidade e contra os ataques a educação. O DCEPUCPR se propõe a ser ferramenta propulsora desse movimento e continuar apoiando ativamente as greves que já ocorrem no momento.

A hora é de juntar forças!
Todo o apoio as greves no Paraná!
Não ao fechamento das universidades estaduais!
Nenhum centavo a menos para os serviços públicos!
Que os governos paguem pela crise, não o povo!

Diretório Central dos Estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Gestão VII de Agosto
2014/15

Curitiba, 02 de Março de 2015