Comissão aprova golpe por 38 a 27

  A Comissão Especial do Impeachment aprovou o golpe por 38 a 27. A tendência é que no domingo os golpistas não consigam 2/3 dos votos e não seja aprovada a abertura do processo de Impeachment.

Anúncios

5 comentários sobre “Comissão aprova golpe por 38 a 27

  1. Ora, já está tudo combinado! Não há legitimidade nesse impeachment, mas o que querem é a tomada do poder, de qualquer forma, legal ou não. Tem que ter enfrentamento, pois se ficar na mão da corja da câmara, é claro que vão aprovar e tirar a presidente de lá.

    Curtir

  2. Hmm!!! Não me façam rir… mas se querem falar em golpe, vamos lá. Golpe é o rombo na Petrobras. Minha análise não é de um especialista, mas penso que haja alguma lógica. Uma empresa estatal, que detem o monopólio de um recurso natural, cuja fonte está prevista para esgotar-se mais ou menos em 300 anos, conseguiram quebrar esta empresa e faze-la motivo de piada no mundo todo!!! Uma refinaria que estava sendo desenvolvida e montada com recursos nacionais, no país amigo do De Tão Podre Tá Maduro, foi tomada por baderneiros, ainda que sob a justificativa daquele país que seria para o bem-comum nacional, é um golpe!!! Recursos do FIES que não chegaram a tempo aos que de fato mereciam para continuar a estudar, isso sim é um golpe!!! Gente morrendo nos hospitais e celebridades dizendo que com ‘hospital não se faz copa’, é um golpe!!! A transposição do Rio São Francisco, golpe contra a natureza, e esta claro que não deixará barato futuramente….!!! A deturpação da língua portuguesa por motivos ideológicos, tirados do baú do velho Marx, é um golpe!!! A avalanche de dinheiro, para pagar os mensalões, os doleiros, tirando da boca de milhões de brasileiros o pão sagrado de cada dia… a oportunidade de trabalho, não é também um golpe ??? O MST, entrando e danificando áreas preciosas de pesquisa, sacrificando animais, destruindo edifícios ao belprazer, não é um golpe??? A deturpação dos conceitos jurídicos, interpretando-os conforme a ‘necessidade’ de fugir à balança e à espada da cega senhora, não seria um golpe??? Então não me venham falar de golpe, se vocês mesmo foram os melhores professores que alguns tiveram… O discípulo espelha-se no mestre, e em alguns momentos, superando-o!!!

    Curtir

  3. Não creio que o impeachment traga alguma mudança real ao país. Como boa parte da população é corrupta e imatura em termos de princípios, não seria tão ruim manter tudo como está, pois isso obrigaria essas pessoas a amadurecer e a depender menos do Estado. Para a maioria, a mudança tem sempre que ser precedida por uma crise ou um evento marcante. Assim, nada melhor do que o agravamento da crise para induzir essa mudança. A única mudança com impacto profundo é aquela que se constrói de baixo para cima, sem a (ou apesar da) interferência estatal. Todo o resto é armadilha dos que estão no poder. A democracia não funciona porque desencoraja as pessoas a serem a mudança que querem ver, e as induz a delegar suas responsabilidades individuais a líderes que elas não conhecem de fato. Representantes de uma maioria medíocre não serão muito melhores do que qualquer um dos seus eleitores, é o que temos visto.

    Não é possível argumentar com este blogueiro e outros com a mente fechada como a dele, é como falar com paredes. Na visão limitada dele, quem não é a favor do governo é fascista ou golpista. Ainda que eu seja contra a democracia, não sou a favor de uma ditadura, há opções diferentes dessas. Sou a favor de uma sociedade sem Estado, orientada pela autonomia a nível comunitário, sem elites e parasitas estatais, sem “direitos humanos” para quem não merece, sem subversão da seleção natural, com aplicação plena da meritocracia, com propriedade privada e liberdade indo até onde for a alheia, e com aprendizado de subsistência igual para todos. Mas haveria dificuldades, pois o contato com a natureza e o mundo real seriam necessários para todos, gostando ou não, pois disso dependeria a sobrevivência.

    Se isso parece utópico, devo dizer que a utopia para mim é a manutenção do capitalismo por mais 50 anos sem que mergulhemos em uma guerra civil, sem que enfrentemos escassez crônica de recursos e com um mundo habitável. O que proponho nada mais é do que adotar princípios que já funcionaram em épocas passadas, e o que o sistema propõe é ir por um caminho nunca antes percorrido com uma preparação insuficiente em todos os sentidos. Podemos ainda escolher se queremos enfrentar na plenitude as profundas consequências de termos subvertido a seleção natural e devastado boa parte da biosfera ou se mudamos a tempo para atenuá-las. O impeachment é irrelevante nesse sentido. A ação do Estado também. A mudança real e duradoura só pode começar por cada um de nós (pelo exemplo, não por protestos), gostemos ou não.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s