Paraná na moda; e na mídia?

Foto do meu amigo Joka Madruga

Foto do meu amigo Joka Madruga

Por Ricardo Melo, hoje na Folha de S. Paulo

Curitiba viveu recentemente uma das maiores manifestações de sua história. Milhares de servidores públicos, trabalhadores e estudantes obrigaram o governador reeleito Beto Richa, do PSDB, a recuar no chamado “pacote de maldades” enviado à Assembleia Legislativa.

Entre outros disparates, o tucano propunha confiscar a previdência dos servidores para tapar rombos da antiga administração –dirigida por ele mesmo!

Deputados chegaram de camburão, reuniram-se no restaurante e, ainda assim, não conseguiram votar o pacote. Notícia daquelas, de repercussão nacional, exceto na mídia de fora da região.

Foi na capital do Paraná. Mesmo Estado onde fica a Londrina do juiz Sérgio Moro, sede do antigo Bamerindus vendido a preço simbólico ao HSBC e do Banestado (Banco do Estado do Paraná), pivô da CPI que durante os anos 90 catapultou o doleiro Alberto Yousseff para manchetes. Mera coincidência, talvez.

Dionísio “Djonga” Filho faleceu aos 58 anos

dionisio

Dionísio “Djonga” Filho faleceu hoje aos 58 anos de idade. Dionísio jogou pelo Coritiba, Atlético Paranaense, Atlético Mineiro, Internacional, Guarani, Botafogo-SP, Pinheiros, e também era um dos maiores comentaristas esportivos de futebol do Paraná.

O ex-jogador Neto do Corinthians sempre citava o Dionísio como seu grande amigo e comentarista.

Me lembro de ter ido visitar o Beira Rio junto com o amigo e hoje jurista Cristiano Dionísio, e quando ele disse que era filho do Djonga fomos tratados a “pão-de-ló” e ganhamos, inclusive, camisas oficiais do Inter.

Meus sentimentos ao Cristiano, familiares, amigos e fãs!

O velório será no Cemitério Vertical, no bairro Tarumã, a partir das 13h. O sepultamento está marcado para as 9h de terça-feira.