TJMG confirma: Aécio Neves é réu e será julgado por desvio de R$ 4,3 bi da saúde

Do Rogério Correia, divulgado pelo Blog do Mario Lobato

Por três votos a zero, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu que o senador Aécio Neves continua réu em ação civil por improbidade administrativa movida contra ele pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Aécio é investigado pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde em Minas e pelo não cumprimento do piso constitucional do financiamento do sistema público de saúde no período de 2003 a 2008, período em que ele era o governador do estado. O julgamento deverá acontecer ainda esse ano. Se culpado, o senador ficará inelegível.

Desde 2003, a bancada estadual do PT denuncia essa fraude e a falta de compromisso do governo de Minas com a saúde no estado. Conseqüência disso é o caos instaurado no sistema público de saúde, situação essa que tem se agravado com a atual e grave epidemia de dengue.

Recurso

Os desembargadores Bitencourt Marcondes, Alyrio Ramos e Edgard Penna Amorim negaram o provimento ao recurso solicitado por Aécio Neves para a extinção da ação por entenderem ser legítima a ação de improbidade diante da não aplicação do mínimo constitucional de 12% da receita do Estado na área da Saúde. Segundo eles, a atitude do ex-governador atenta aos princípios da administração pública já que “a conduta esperada do agente público é oposta, no sentido de cumprir norma constitucional que visa à melhoria dos serviços de saúde universais e gratuitos, como forma de inclusão social, erradicação e prevenção de doenças”.

A alegação do réu (Aécio) é a de não ter havido qualquer transferência de recursos do estado à COPASA para investimentos em saneamento básico,  já que esse teria sido originado de recursos próprios. Os fatos apurados demonstram, no entanto, a utilização de valores provenientes de tarifas da COPASA para serem contabilizados como investimento em saúde pública, em uma clara manobra para garantir o mínimo constitucional de 12%. A pergunta é: qual foi a destinação dada aos R$4,3 bilhões então?

Clique aqui para ler o agravo de instrumento e a íntegra dos votos dos desembargadores

34 comentários sobre “TJMG confirma: Aécio Neves é réu e será julgado por desvio de R$ 4,3 bi da saúde

  1. Brincadeira… E olha que ele ainda vai ser candidato a presidente da republica. Esse senador é o mesmo que não respeita a lei seca e que gasta as verbas de passagens aéreas para ir ao Rio De Janeiro sendo que sua base é Minas Gerais, a cada 10 viagens 7 é para o Rio e 3 para Minas.

    Curtir

  2. Se a COPASA-MG é uma empresa pública, a receita dela tb o é.
    Assim, se a COPASA investiu os 4,3 bi em saneamento,foi feito com receitas do estado.
    Assim, se na lei consta saneamento como investimento em saúde, estaria ok.
    De qq forma, estando certo ou não, o título da matéria é flagrantemente sensacionalista e tendencioso, uma vez que ao citar ‘desvio’, parece que o senador embolsou a verba, mas o que a reportagem apresenta é se o valor gasto com saúde atendeu, ou não, os 12%.

    Curtir

  3. A questão da lide não versa sobre “desvio de verba” no sentido de “roubo”, mas se há ou não possibilidade de ser considerada a verba usada para o saneamento como verba destinada a saúde, e se isto poderia ser feito com verba de empresa pública (daí entra uma discussão sobre aplicação da legislação no tempo). Gente: leiam o acórdão!

    Curtir

  4. Parece que os defensores do réu não leu a matéria até o fim:

    “A pergunta é: qual foi a destinação dada aos R$4,3 bilhões então?

    Curtir

    • Ele ainda não é réu meu caro, e na política é assim, tira dinheiro de um lugar e coloca em outro e vice-versa, o que não pode fazer é como o bandido do LULA sempre fez tira dinheiro da saúde e poe no bolso dele e de seus filhos…

      Curtir

  5. Achei que seria alguma reportagem séria, mas quando vi que partia do PT imaginei que seria merda pura. Não deu outra. Quanta falta de criatividade. Vocês não cansam de achar que o povo é otário.

    Curtir

    • Observo que para defender Aécio, muitos acusam Lula e coisa e tal. Pessoas, quem disputa com o candidato tucano é Dilma, que não responde a nenhum processo, ou coisa parecida. Fazer acusações ao PT indiscriminadamente é ser no mínimo parcial. Colocar todos no mesmo pacote. Pq não fazem isso com Aécio, já que seu partido PSDB e maior aliado o DEM encabeçam a lista de “fichas-sujas”, e de escândalos, mas não ganham a mesma visibilidade pela mídia? Há dois pesos e duas medidas!!! Fora os partidos, quem tem mais moral para falar de combate a corrupção, Dilma ou Aécio?

      Curtir

  6. Pingback: Aécio Neves é réu e será julgado por desvio de R$ 4,3 bi da saúde | SEnoticias
  7. Essa notícia já está sendo excluída das principais mídias jornalísticas do país. Como sempre, informação é poder. Mas, nesse caso, falta de informação dá poder. É necessário arquivar as notícias, pois assim, como no caso do serra e a queda do viaduto em SP, a matéria que retratava o assunto sumiu como um truque de mágica.

    Curtir

  8. Pingback: O RÉU Aecio Neves | Brasil Unido
  9. EU ACHO MUITO DIFÍCIL, QUEM MANDA NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA É O AÉCIO, SERIA IMPOSSÍVEL O TRIBUNAL DE JUSTIÇA, COM DESEMBARGADORES NOMEADO PELO PRÓPRIO AÉCIO CONTRARIÁ-LO, JUSTIÇA É PARA PUNIR, PRETO, POBRE, PROSTITUTA É NÃO PARA OS RICOS E POLÍTICOS.ELE DESVIOU BILHÔES DO IPSENG .COMPROVADO.

    Curtir

  10. Se isto é verdade tem que responder por seus atos. Mas porque o Lula também não responde? parafraseando Pedro Simon: esse crime do Aécio, comparando com o do mensalão do Lula, deveria ser julgado no “juizado de pequenas causas”.

    Curtir

    • Pois pode acreditar que é verdade Sim. Basta acessar o site do TJMG e entrar com o processo 0024.10.244832-1 que vai ver a veracidade da acusação!

      Curtir

    • Não existe nenhuma acusação de desvio financeiro o questionamento, na verdade, é se cerca de R$ 4 bilhões investidos pela Copasa (empresa pública estadual de Minas Gerais) em saneamento durante 7 anos podiam ou não podiam ser considerados investimentos em saúde antes da regulamentação da emenda 29.

      Para entender

      Antes da regulamentação da Emenda 29 em 2012, o Tribunal de Contas de cada estado definia o que podia e o que não podia ser considerado investimento em saúde.

      Os tribunais de muitos estados brasileiros, inclusive o de Minas e os de estados governados pelo PT, consideravam que investimentos em saneamento, realizados diretamente pelo tesouro estadual ou por recursos próprios das empresas estaduais podiam ser considerados investimentos em saúde.

      A ação citada questiona apenas o fato de o estado de Minas Gerais – ter feito a mesma coisa que vários estados, inclusive estados governados pelo PT fizeram – ter considerado como investimento em saúde cerca de R$ 4 bilhões em investimentos que foram realizados diretamente pela Copasa.

      A Copasa é uma empresa pública, pertence ao governo e é através dela que o Estado realiza suas ações em saneamento.

      Curtir

  11. A justiça e o maior patrimônio de um País nos brasileiros devemos sempre elogiarmos nossos magistrados principalmente com aqueles que se compromete com a verdade com isto devemos incentiva-los a nunca desistir e a nos fazer acreditar em um Pais melhor PARABENS TJMG , MP, DESEMBARGADORES ,vá em frente seja qual for o partido político .

    Curtir

  12. Qual é a sua credibilidade? Você tem provas?
    Pode apresentá-las?
    Nenhum site (de nome) noticiou isso, nem aquelas revistas (de nome)
    e jornais (de nome) que tem um ódio escancarado pelo PSDB E Aécio.
    Faça-me o favor, cara.

    Curtir

  13. “Se culpado, o senador ficará inelegível.” 4,3 bi e essa é sua punição? Isso se chama aposentadoria na minha opinião.

    Curtir

  14. Não existe nenhuma acusação de desvio financeiro o questionamento, na verdade, é se cerca de R$ 4 bilhões investidos pela Copasa (empresa pública estadual de Minas Gerais) em saneamento durante 7 anos podiam ou não podiam ser considerados investimentos em saúde antes da regulamentação da emenda 29.

    Para entender

    Antes da regulamentação da Emenda 29 em 2012, o Tribunal de Contas de cada estado definia o que podia e o que não podia ser considerado investimento em saúde.

    Os tribunais de muitos estados brasileiros, inclusive o de Minas e os de estados governados pelo PT, consideravam que investimentos em saneamento, realizados diretamente pelo tesouro estadual ou por recursos próprios das empresas estaduais podiam ser considerados investimentos em saúde.

    A ação citada questiona apenas o fato de o estado de Minas Gerais – ter feito a mesma coisa que vários estados, inclusive estados governados pelo PT fizeram – ter considerado como investimento em saúde cerca de R$ 4 bilhões em investimentos que foram realizados diretamente pela Copasa.

    A Copasa é uma empresa pública, pertence ao governo e é através dela que o Estado realiza suas ações em saneamento.

    Curtir

  15. Noticia manipulada… o PT vive fazendo isso onde governa. O questionamento, na verdade, é se cerca de R$ 4 bilhões investidos pela Copasa (empresa pública estadual de Minas Gerais) em saneamento durante 7 anos podiam ou não podiam ser considerados investimentos em saúde antes da regulamentação da emenda 29.

    Curtir

  16. Saneamento Base também faz parte da Saúde Pública.Só que o Senador Aécio Neves teria que constar na prestação de contas.. No caso, a época era uma epidemia de dengue no Estado que alastrou em todos cantos das Cidades do interior, e também nas periferia da Grande B.H.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s