Lista Proibida do Blog do Tarso cumpriu seu papel: 58% estão fora da Câmara de Curitiba

O Blog do Tarso criou em 2012 sua Lista Proibida. Uma lista com os vereadores de Curitiba que, de forma justificada, não mereciam ser reeleitos. Dos listados, 22 não se reelegeram (quase 58% do total), e 16 se reelegeram.

Lista dos vereadores da Lista Proibida que se reelegeram:

  1. Aladim Luciano (PV)
  2. Aldemir Manfron (PP)
  3. Beto Moraes (PSDB)
  4. Dirceu Moreira (PSL)
  5. Dona Lourdes (PSB)
  6. Felipe Braga Cortes (PSDB)
  7. Jairo Marcelino (PSD)
  8. Julieta Reis (DEM)
  9. Pastor Valdemir Soares (PRB)
  10. Pedro Paulo (PT)
  11. Professor Galdino (PSDB)
  12. Sabino Picolo (DEMO)
  13. Serginho do Posto (PSDB)
  14. Tico Kuzma (PSB)
  15. Tito Zeglin (PDT)
  16. Zé Maria (PPS)

Não se reelegeram:

  1. Caíque Ferrante (PRP)
  2. Celso Torquato (PSD)
  3. Denilson Pires (DEM)
  4. Emerson Prado (PSDB)
  5. Francisco Garcez (PSDB)
  6. Jair Cézar (PSDB)
  7. João do Suco – João Luiz Cordeiro (PSDB)
  8. Jorge Yamawaki (PSDB)
  9. Juliano Borghetti (PP)
  10. Julião Sobota (PSC)
  11. Maria Goretti (PSDB)
  12. Odilon Volckmann (PSDB)
  13. Renata Bueno (PPS)
  14. Roberto Hinça (PSD)
  15. Zezinho do Sabará (PSB)

Não tentaram reeleição ou foram impedidos de tentar a reeleição:

  1. Algaci Túlio (PMDB)
  2. João Cláudio Derosso (ex-PSDB)
  3. Mary Derosso (PSDB): irmã que não se elegeu.
  4. Mario Celso (PSB)
  5. Mario Celso Jr (PSB): filho que não se elegeu
  6. Nely Almeida (PSDB)
  7. Paulo Frote (PSDB): renunciou e não pode se reeleger.

E preparem-se: a Lista Proibida dos deputados estaduais e federais paranaenses para 2014 vem aí!

 

LISTA PROIBIDA DOS VEREADORES DE CURITIBA (atualizada em 03 de outubro de 2012)

Não vote e não reeleja os seguintes vereadores de Curitiba.

Ajude com novos nomes e justificativas.

Vereadores que pretendam ver seus nomes retirados da lista, favor enviar solicitação com justificativa.

NÃO VOTEM NOS SEGUINTES NOMES:

Aladim Luciano (PV):

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB)

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 1,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Aldemir Manfron (PP):

Segundo a Gazeta do Povo seus funcionários do gabinete distribuem irregularmente material de campanha eleitoral.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Não pediu o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Foi contra a Comissão Processante contra Derosso em fevereiro de 2012.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Tirou 1,9 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Algaci Túlio (PMDB):

Confessou que os parlamentares que atuam em meios de comunicação, inclusive ele, receberam verbas para divulgar ações da Casa. Os vereadores compravam notas fiscais de outras empresas para emiti-las em nome da Oficina da Notícia, empresa de Cláudia Queiroz, esposa do ex-presidente do legislativo municipal João Cláudio Derosso (PSDB).

Denúncia mostra que ele retém um percentual de seus servidores comissionados.

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Tirou 1,7 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Não tentará a reeleição.

Beto Moraes (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Demorou muito para pedir o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Caíque Ferrante (PRP):

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB)

Se absteve e deixou ser eleito João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Tirou 1,2 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Não tentará a reeleição. Não vote em quem ele apoiar.

Celso Torquato (PSD):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do PSD, partido que foi criado por membros do DEMO para fugirem da pecha de direitistas conservadores e poderem conseguir um boquinha no governo federal.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 2,9 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Denilson Pires (DEM):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Foi o relator da “CPI do Derosso” que recomendou a total absolvição do presidente João Cláudio Derosso (PSDB), acusado pelo Ministério de Público de várias irregularidades.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, o denunciou à Justiça por formação de quadrilha, acusado de desviar R$ 8,1 milhões do Sindicato dos Moto­­ris­tas e Cobradores de Curitiba e Re­­gião Metropolitana (Sindimoc) en­­tre 2006 e 2010 (foi presidente do sindicato por 12 anos). Para o Gaeco, foi usado dinheiro do sindicato para despesas com manutenção e abastecimento de veículos particulares, em lojas de conveniência (com notas fiscais inexistentes), assessoria jurídica, cirurgia particular, despesas com alimentação (sem comprovação), pagamentos de contas pessoais e adiantamentos, além da não contabilização de receitas.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,8 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Dirceu Moreira (PSL):

Relator do Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba, apresentou relatório solicitando o arquivamento da representação contra o presidente da Câmara, João Cláudio Derosso (PSDB), referente ao contrato milionário que celebrou com a empresa de sua esposa.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Não pediu o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Foi contra a Comissão Processante contra Derosso em fevereiro de 2012.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 4,8 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Dona Lourdes (PSB):

Votar nela pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do Partido “Socialista” Brasileiro mas vota apenas projetos neoliberais. Está no partido errado.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,0 em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Emerson Prado (PSDB):

Segundo o Teia Notícia, dos estudantes de jornalismo da UP, estava em campanha pelo bairro do Uberaba nos dias 18 e 19 de setembro, e ao mesmo afastado do trabalho legislativo para tratar de uma intoxicação alimentar.

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Foi membro da “CPI do Derosso” que votou pela total absolvição do presidente João Cláudio Derosso (PSDB), acusado pelo Ministério de Público de várias irregularidades.

Foi preso de madrugada acusado de desacato por policiais militares, e estaria batendo numa mulher, segundo a Banda B. Preso, alegou que renda mensal é de R$ 100 (cem reais) por mês.

R$ 100? Como assim? Ele mesmo votou pelo aumento de sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Em 2009 foi indiciado por estar dirigindo embriagado quando se envolveu em um acidente de trânsito no bairro Cajuru, onde mora. Em seu depoimento justificou que o cheiro etílico descrito por policiais que o abordaram foi provocado pelo uso de álcool gel para prevenção da gripe A.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Segundo a Gazeta do Povo seu assessor fazia negócios com a Câmara, no próprio gabinete do vereador.

Tirou 1,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Felipe Braga Cortes (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do PSDB, o partido da privataria Tucana.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 3,2 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

É o quinto vereador que mais faltou sem justificativas na Câmara de Curitiba (12 sem justificativa e 85 com justificativa).

Francisco Garcez (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

É do PSDB, o partido da Privataria Tucana.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB)

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

A Câmara de Vereadores repassou para sua empresa de publicidade pelo menos R$ 31,5 mil, segundo a Gazeta do Povo, o que é ilegal.

Tirou 3,3 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Jair Cézar (PSDB):

Foi contra o afastamento de Derosso em agosto de 2011.

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do PSDB, o partido da Privataria Tucana.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Tirou 4,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Jairo Marcelino (PSD):

Segundo a Gazeta do Povo seus funcionários do gabinete distribuem irregularmente material de campanha eleitoral.

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do PSD, partido que foi criado por membros do DEMO para fugirem da pecha de direitistas conservadores e poderem conseguir um boquinha no governo federal.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 1,4 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

É o segundo vereador que mais faltou sem justificativas na Câmara de Curitiba (17 sem justificativa e 61 com justificativa).

João Cláudio Derosso (ex-PSDB):

Ex-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, renunciou à presidência depois que viu que seria cassado.

Era presidente há 15 anos, está sendo acusado pelo Ministério Público de celebrar contrato milionário com a empresa de publicidade da própria esposa, entre outras irregularidades.

O MP o acusa de nepotismo, por contratar em cargo comissionado a sogra e a cunhada.

MP o acusa de contratar 5 servidores fantasmas.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Seria o vice de Luciano Ducci (PSB), antes do escândalo.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,0 em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Se desligou do PSDB e não poderá ser candidato em 2012!

Perdeu o cargo por decisão do TRE/PR.

Agora quer eleger a irmã, Mary Derosso, para continuar a dinastia da família Derosso na Câmara. Não vote nela!

João do Suco – João Luiz Cordeiro (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Demorou muito para pedir o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Líder do prefeito Luciano Ducci (PSB), mandou que os demais vereadores de situação votassem contra um pedido de informações sobre a organização social – OS chamada ICI (Instituto Curitiba de Informática), pois para ele o ICI “é independente”. Mas o ICI recebe milhões de dinheiro público e pode e deve ser fiscalizado!

Votou em nele mesmo para presidente da Câmara de Vereadores, ele que é o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Tirou 2,1 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Jorge Yamawaki (PSDB):

Segundo a Gazeta do Povo seus funcionários do gabinete distribuem irregularmente material de campanha eleitoral.

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Relator no Conselho de Ética da Câmara Municipal, teve a coragem de escrever em seu relatório que o presidente da casa, João Cláudio Derosso (também do PSDB), não cometeu nenhuma irregularidade, mas apenas um desvio ético no escândalo com a empresa de sua esposa com contrato milionário com a Câmara. Recomendou, assim, apenas o afastamento de Derosso por 90 dias.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 3,1 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Juliano Borghetti (PP):

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

É do PP, o partido que já foi ARENA e PDS, apoiador da ditadura e golpe militar de 1964. É o partido de Paulo Maluf.

Se absteve e deixou ser eleito João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 1,4 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Julião Sobota (PSC):

Não pediu o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Foi contra a Comissão Processante contra Derosso em fevereiro de 2012.

Faltou a primeira sessão do ano na Câmara Municipal para ir ao jogo do Atlético/PR.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,5 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Julieta Reis (DEM):

Votar nela pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Tirou 1,9 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Maria Goretti (PSDB):

Votar nela pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do PSDB, o partido da Privataria Tucana.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB). Pediu para retirar seu nome da Lista Proibida por estar faz pouco tempo na Câmara mas não demonstrou estar fiscalizando Ducci.

Mario Celso (PSB):

Gazeta do Povo disse que ele sugeriu calote dos empréstimos à Arena do Atlético Paranaense.

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

É do Partido “Socialista” Brasileiro mas vota apenas projetos neoliberais. Está no partido errado.

Não fiscalizou a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Abandonou seu cargo para ser Secretário para Assuntos da Copa do Mundo de 2014 do sofrível governo Beto Richa (PSDB).

Não vai tentar se reeleger, mas lançou o filho Mario Celso Jr (PSB). Não vote nele! Não adianta existir renovação com a eleição de filhos dos atuais vereadores.

Nely Almeida (PSDB):

Votar nela pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Foi membro da “CPI do Derosso” que votou pela total absolvição do presidente João Cláudio Derosso (PSDB), acusado pelo Ministério de Público de várias irregularidades.

Não pediu e foi contra o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso em agosto de 2011.

Foi contra a Comissão Processante contra Derosso em fevereiro de 2012.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,2 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Não tentará a reeleição. Não vote em quem ela apoiar.

Odilon Volckmann (PSDB):

Segundo a Gazeta do Povo seus funcionários do gabinete distribuem irregularmente material de campanha eleitoral.

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Está sendo acusado de nepotismo na Câmara de Vereadores, por ter contratado em seu gabinete sua atual namorada.

Está envolvido em suposta irregularidade com o cartão qualidade da prefeitura de Curitiba. Imagens da RPVTV mostram servidores municipais usando o cartão, fornecido pela prefeitura, para simular compras no mercado do vereador, que ficava com 10% e os servidores embolsavam o resto.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Pastor Valdemir Soares (PRB):

Se utiliza da religião para se reeleger.

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Não queria o impeachment de João Cláudio Derosso (PSDB), era contra seu afastamento definitivo em agosto de 2011.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 1,7 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

É o terceiro vereador que mais faltou sem justificativas na Câmara de Curitiba (15 sem justificativa e 59 com justificativa).

Paulo Frote (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Segundo a Gazeta do Povo, é ficha suja. Foi condenado em 2009 pelo TJ por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

Foi membro da “CPI do Derosso” que votou pela total absolvição do presidente João Cláudio Derosso (PSDB), acusado pelo Ministério de Público de várias irregularidades.

Não pediu o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Foi contra a Comissão Processante contra Derosso em fevereiro de 2012.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Tirou 0,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Renunciou ao cargo uma hora e cinco minutos após receber a notícia de que teria que enfrentar um processo de cassação do mandato, por peculato. Seria aberto um processo pela Câmara por causa da denúncia de que ele teria ficado com parte dos salários dos funcionários do gabinete, segundo informações de um ofício da 10ª Vara Criminal de Curitiba.

Não poderá se reeleger por causa da renúncia. Não vote em quem ele apoiar.

Pedro Paulo (PT):

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Professor Galdino (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Demorou muito para pedir o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Envolvido em vários escândalos com seus ex-funcionários.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 2,7 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

É o quarto vereador que mais faltou sem justificativas na Câmara de Curitiba (13 sem justificativa e 48 com justificativa).

Renata Bueno (PPS):

Tirou 3,6 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB), inclusive seu pai é vice de Ducci.

É a vereadora que mais faltou sem justificativas na Câmara de Curitiba (27 sem justificativa e 93 com justificativa).

Em entrevista exclusiva para o Blog do Tarso, criticou a gestão Luciano Ducci (PSB) e de seus antecedentes (Beto Richa e Cassio Tanigucchi) ao dizer que “falta ousadia, falta criatividade, falta transparência, falta humildade” e “falta sobretudo capacidade de pensar o futuro com os olhos do futuro”. Mas está apoiando o prefeito e seu pai é vice de Ducci.

Roberto Hinça (PSD):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

É do PSD, partido que foi criado por membros do DEMO para fugirem da pecha de direitistas conservadores e poderem conseguir um boquinha no governo federal.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Apoiou que as concessões/permissões de serviços públicos dos taxistas fossem herdados por seus parentes, o que é uma total inconstitucionalidade.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Vereadores que atuam em meios de comunicação receberam verbas para divulgar ações da Casa. Os vereadores compravam notas fiscais de outras empresas para emiti-las em nome da Oficina da Notícia, empresa de Cláudia Queiroz, esposa do ex-presidente do legislativo municipal João Cláudio Derosso (PSDB). Muitas dessas notas fiscais eram emitidas por empresas de funcionários da própria Câmara Municipal. É o caso de Laércio Men, funcionário do gabinete do vereador Roberto Hinça, entre 2006 e 2010, e dono da Men & Cia. A empresa recebeu dinheiro para fazer propaganda da Câmara em programas de rádio e televisão. Esta prática é ilegal. De acordo com a legislação que rege os procedimentos licitatórios no país, o servidor público não pode prestar serviços extras ao poder público, mesmo que indiretamente.

Tirou 0,5 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Sabino Picolo (DEMO):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Não pediu o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Como presidente interino da Câmara, arquivou pedido de afastamento do Derosso.

Apresentou 19 propostas voltadas ao Hospital Santa Madalena Sofia, administrado pela esposa e parentes dela.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,3 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Serginho do Posto (PSDB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

É do PSDB, o partido da Privataria Tucana.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 1,8 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Tico Kuzma (PSB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

É do Partido “Socialista” Brasileiro mas vota apenas projetos neoliberais. Está no partido errado.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tito Zeglin (PDT):

Segundo a Gazeta do Povo é um dos vereadores que têm ligação com beneficiários de verba publicitária. Documentos mostram que vereadores têm servidores ou parentes que receberam dinheiro da comunicação da Câmara, o que fere a Constituição e a Lei 8.666/93.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 1,7 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Zé Maria (PPS):

Foi membro da “CPI do Derosso” que votou pela total absolvição do presidente João Cláudio Derosso (PSDB), acusado pelo Ministério de Público de várias irregularidades.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 3,7 (de zero a 10) em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Zezinho do Sabará (PSB):

Votar nele pode eleger Mary Derosso (PSDB), a irmã do Derosso (nosso sistema eleitoral é o proporcional em lista aberta), pois ambos fazem parte da “Unidos por Curitiba” (PSB/PSDB/PSD/DEMO/PHS/PRB/PMN).

Foi membro da “CPI do Derosso” que votou pela total absolvição do presidente João Cláudio Derosso (PSDB), acusado pelo Ministério de Público de várias irregularidades.

Não pediu o afastamento definitivo de João Cláudio Derosso.

Aumentou sua própria remunerações para R$ 13,5 mil e ainda criou o seu 13º salário.

Votou em João do Suco para presidente da Câmara de Vereadores, o candidato do Derosso.

Não fiscaliza a gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Votou “sim” pela lei que permite a transferência da permissão de táxi para familiares e terceiros em caso de morte do taxista, o que é totalmente inconstitucional e imoral.

Tirou 0,0 em nível de transparência segundo a Gazeta do Povo.

Anúncios

6 comentários sobre “Lista Proibida do Blog do Tarso cumpriu seu papel: 58% estão fora da Câmara de Curitiba

  1. Meu Deus, a cada eleição me surpreendo. Tem gente aí que quando vejo o nome penso -“Ainda tá vivo, faz milênios que se candidata, se elege e ainda não se aposentou?”
    Pelo menos desta vez muitos foram defenestrados. uuuuuuuuuuuuhhhhhhhhhhh, que felicidade!

    Curtir

  2. FOI UMA DELÍCIA VER A “LIMPINHA” SENDO DEFENESTRADA DA CÂMARA.
    QUE BUENO !!!
    AGORA ELA PODE APODRECER NA ITÁLIA À VONTADE, MAS ANTES ELA PODERIA POUSAR NA PLAYBOY.

    Curtir

  3. Pingback: A Lista Proibida do Blog do Tarso voltou! « Blog do Tarso
  4. Pingback: Bomba: saiu a Lista Proibida do Blog do Tarso. Ajude a atualizar e divulgar | Blog do Tarso
  5. Pingback: Lista Proibida: Nomes e Justificativas de Candidatos Paranaenses | Jornal Novo Cantu
  6. Pingback: Você já sabe em quem NÃO votar para deputado no Paraná? Veja a lista | Blog do Tarso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s