Filha de Chico Mendes votará em Dilma e não em Marina Silva

29 ago

angela-mendes

Por Angela Mendes

Ok, alguns amigos me pediram uma posição sobre a candidatura da Marina e a menção que ela fez ao meu pai como sendo ele da “elite”.
Vamos lá, eu respeito e admiro muito a Marina pela sua trajetória de vida, pelo esforço pessoal com que venceu todas as dificuldades impostas à ela como o analfabetismo, doenças e toda espécie de discriminação, até pelo modo com que consegue envolver a todos com seu discurso ecologicamente correto e bem acabado, mas pra mim isso não basta pra governar um Brasil como o de hoje, tenho muitas dúvidas, de todos os tipos, Marina pra mim ainda é um enorme ponto de interrogação, pra começar: desistiu do PT (utopia do passado) quando poderia ter resistido como fazem hoje tantos PTistas históricos mesmo não tendo o mesmo espaço que a elite que tenta dominar o partido, não resistiu à pressão enquanto ministra quem me garante que vai resistir à pressões ainda mais forte se eleita presidente? Com tantas concessões feitas pela cúpula do PSB, aliás todas as concessões possíveis, penso eu que será que tramam as cabeças pensantes desse partido caso consigam eleger Marina? Terá ela realmente liberdade pra governar? Não sei, como será esse mandato em rede, apenas com os melhores? Quem são esses melhores e quais critérios serão utilizados pra escolha desses “melhores”? minhas dúvidas são pra Marina, mas minhas esperanças são pra companheira Dilma, que ela consiga, se eleita, continuar melhorando o Brasil, com uma política que tem problemas mas que não admite dúvidas.
Ah, quanto ao fato do Chico ser da elite, considero que foi apenas uma infeliz comparação, nem precisa de todo esse mimimi.

About these ads

A esquerda ganhou o debate entre os candidatos ao governo da Band no Paraná

29 ago

10359912_771703039554666_6723574289379385732_n

Sobre o debate ocorrido na Band com os candidatos ao governo do Paraná, foi um evento muito ruim, travado, com candidatos nervosos e vários pouco preparados. Sobrou baixaria, faltou ideologia e propostas. Os candidatos de esquerda e centro-esquerda foram os melhores: Gleisi Hofmann (PT), Roberto Requião (PMDB), Bernardo Pilotto (PSOL) e Rodrigo Tomazini (PSTU). Veja a análise sobre cada um:

Bernardo Pilotto (PSOL), nascido em Curitiba em 1984, formado em Ciências Sociais pela UFPR e mestrando em Saúde Coletiva na Universidade Federal de São Paulo, é um dos candidatos mais preparados ao governo do Paraná. No debate acertou ao divulgar seu partido e criticar a privatização da saúde via OS – organizações sociais e convênios. Fez um belo discurso final. Vai votar em Luciana Genro (PSOL) para presidenta.

Beto Richa (PSDB) é candidato à reeleição ao cargo de Governador do Paraná, nascido em Londrina em 1965, é formado em Engenharia Civil pela PUC-PR. Considerado o pior governador do estado de todos os tempos, foi muito mal no debate, sem conseguir justificar porque quebrou o Paraná, precarizou a Administração Pública e é “uma mãe” com as concessionárias do pedágio. Ainda teve que escutar que não gosta de trabalhar e só pensa em seu cabelo e bronzeado. Vai votar em Aécio Neves (PSDB) para presidente. Marina Silva (PSB), cujo partido é da base de Beto, se negou em apoiá-lo.

Geonisio Marinho (PRTB) é nascido em Curitiba e tem 56 anos. É o único candidato que confessa que é de direita e quer privatizar até os presídios. Foi bem no debate ao mostrar que não é candidato laranja. Vai votar em Levy Fidelix (PRTB) para presidente.

Gleisi Hoffmann (PT) nasceu em Curitiba em 1965, é advogada, senadora e ex-Ministra da Casa Civil da Presidenta Dilma Rousseff, e foi muito bem no debate, ao chamar o Beto Richa de candidato Kinder Ovo, que se surpreende com tudo, e é o candidato das surpresas. Mostrou que tem muitas propostas boas para o estado. Errou apenas ao bater em Requião, pois eles estarão juntos contra Beto no segundo turno. Fez um belo discurso final.Vai votar em Dilma Rousseff (PT) para presidenta.

Ogier Buchi (PRP), que já apoiou o Fernando Collor de Mello, é empregado na Rede Massa de Ratinho Pai e Ratinho Jr, mostra a cada dia que é o candidato laranja de Beto Richa. Foi motivo de piada nas redes sociais. Vai votar em Marina Silva (PSB), o que acaba tirando votos da candidata.

Roberto Requião (PMDB) nasceu em Curitiba em 1941, é formado em Direito pela UFPR, ex-governador do Paraná e atual senador pela segunda vez. É o favorito nas pesquisas para ir ao segundo turno e derrotar Beto Richa. No debate não foi tão bem com relação ao tempo curto das perguntas, mas colocou Beto Richa em seu devido lugar, como pior governador de todos os tempos. Fez um belo discurso final. Vai votar em Dilma Rousseff (PT) para presidenta.

Rodrigo Tomazini (PSTU) nasceu em Botucatu/SP e tem 36 anos. Acertou ao criticar as privatizações mas exagera nas críticas ao Partido dos Trabalhadores. E errou feio ao querer comparar a tentativa de privatização da Copel com o repasse da gestão do HC-UFPR para uma empresa 100% estatal, a Ebserh. Vai votar em Zé Maria (PSTU) para presidente.

Túlio Bandeira (PTC) é nascido em Santo Antonio do Sudoeste, tem 41 anos e é advogado. Foi o que mais entrou em baixaria no debate e mostrou que é o maior candidato laranja do Beto Richa. Gleisi informou que ele já foi preso e responde vários inquéritos. É o candidato que apoia Marina Silva (PSB) no Paraná, por puro oportunismo, pois seu partido é da coligação de Aécio Neves (PSDB), em baixa.

Vote para presidente em um candidato nem de direita nem de esquerda, contra o PT e o comunismo!

28 ago

Vote em um candidato da nova política, novo, moderno, eficiente, nem de esquerda nem de direita, do futuro, que pode vencer o PT e o comunismo, em nome de Deus. Vote em quem vai garantir a sua poupança em bons mãos!

“A partir do ano que vem, nada será como antes!”

Collor_de_Mello_Cacador_de_Marajas-310x400

Luther King Jr, anistia, CUT

28 ago

Edésio e Lula nos anos 80

Por Edésio Passos

A 28 de agosto, em momentos distintos, mas num mesmo rumo, acontecimentos fundamentais para a história dos povos da América marcaram as vidas do mundo contemporâneo, assinalando o porvir de melhores dias. Em 1963, os negros norte-americanos, liderados por Martin Luther King Jr, realizaram a Marcha sobre Washington por “Trabalho e Liberdade”.

Naquele histórico ato, diante de quase 300 mil pessoas, Luther King Jr pronunciou uma das mais famosas orações políticas. Suas palavras de reafirmação dos direitos humanos ecoam até hoje:

“Eu tenho um sonho no qual um dia esta nação se erguerá e viverá o verdadeiro princípio do seu credo: Nós acreditamos que esta verdade é auto-evidente, de que todos os homens são criados iguais.

Eu tenho um sonho: o de que, um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos dos antigos escravos poderão sentar-se juntos à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho: o de que, um dia, mesmo o Estado do Mississipi, um Estado ora sufocado sob o ódio da opressão, será transformado em um oásis de liberdade e de justiça.

Eu tenho um sonho: o de que meus quatro filhinhos, um dia, viverão numa nação onde eles não serão julgados pela cor de sua pele, mas pela essência de seu caráter”.

O movimento libertário e por trabalho conseguiu vitória política com a aprovação do Ato dos Direitos Civis, em 1964, e a Lei dos Direitos de Voto, em 1965. Mas, depois, o dia era a quatro do mês de abril do ano de mil novecentos e sessenta e oito. A hora, um minuto depois das dezoito. O local, a varanda do segundo andar de um hotel em Lorraine, Memphis, Tennessee, Estados Unidos da América do Norte. O homem era o doutor Martin Luther King, Junior, com trinta e nove anos de idade, Prêmio Nobel da Paz de 1964. Ali pagou o alto preço pela sua coragem, discernimento e ousadia: foi assassinado, alvejado por um tiro. Mas ele próprio já tinha se preparado para esse momento quando afirmou: “Se você não está pronto para morrer por alguma coisa, você não está pronto para viver”.

Persiste até hoje o movimento negro por liberdade e trabalho, apesar dos significativos avanços verificados. Por isso, o 28 de agosto de 1963 deve ser saudado com marco fundamental nessa luta pela Democracia e Igualdade. Um exemplo dos negros norte-americanos para os povos de todo o mundo.

A anistia

O movimento de anistia política culminou, no plano jurídico, com a sanção, pelo presidente João Figueiredo, da Lei nº 6.683/79, de 28.08.79, regulamentada pelo Decreto nº 84.143, de 31.10.79.

Nestes 35 anos da lei da anistia, relembramos que foi um ato resultante “da força e da inteligência de milhares de brasileiros, possibilitando o retorno à pátria dos banidos, exilados e perseguidos, a reintegração à vida profissional, social política dos excluídos pelos atos discriminatórios”, como havíamos assinalado em mensagem de 1999.

A anistia avançou pelas milhares de decisões da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça, com a aprovação de requerimentos de indenização, aposentadoria e pensão de funcionários públicos civís e militares e trabalhadores do setor privado. Centenas de ações judiciais indenizatórias conseguiram ressarcimento pelos prejuízos causados às pessoas por atos ilegais e abusivos de responsabilidade do regime militar.

Nestes 35 anos houve importante avanço no campo legal sobre a extensão da anistia, inclusive com a indenização às famílias dos desaparecidos políticos, por lei federal de 1996, e as indenizações aos presos políticos por leis estaduais   a partir de 1998 , em um amplo quadro de necessário resgate face as arbitrariedades, abusos, discriminações e violências cometidas contra milhares de pessoas e suas famílias em um longo período histórico que remonta à redemocratização de 1946 e vai até a promulgação da Constituição de 05.10.1988.

Embora persista a luta pela anistia plena e a reparação dos atingidos, o 28 de agosto de 1979 é um exemplo brasileiro que também possui a força de um marco indelével e lição para os demais países.

A Central Única dos Trabalhadores

Em 1983, uma nova concepção de sindicalismo, inaugurada com Luiz Inácio Lula da Silva e seus companheiros em todo o país, estabeleceu uma marca também histórica no 28 de agosto, em São Bernardo do Campo. Milhares de dirigentes sindicais fundaram a Central Única dos Trabalhadores, a CUT, retomando o fio condutor das anteriores centrais sindicais que existiram no país, mas dentro da luta pela ampla liberdade e autonomia sindical. Para as relações de trabalho, organização dos trabalhadores e avanço da consciência sindical, a CUT apontou para um novo horizonte, unindo visão reivindicatória com perspectiva política.

Consolidada como uma das maiores organizações sindicais do mundo, a CUT comemora marcas também fundamentais para os direitos dos trabalhadores e para os direitos humanos de modo geral. E dela nasceram muitos do que dirigem nossos destinos como nação, do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao senador Paulo Paim, do ex-governador Olívio Dutra ao deputado federal Vicentinho. Mas se esses são nomes consagrados nas lutas, milhares de outros trabalhadores, anonimamente, construíram a CUT nestes seus anos de vida.

História

Três episódios diversificados de uma história comum em uma mesma data, são relembrados como forma de reafirmar o propósito de, na luta dos povos, entender o presente e indicar as possibilidades do que virá. Com certeza de que a construção de novo tipo de sociedade já tem alguns de seus pilares colocados pela idéia básica da liberdade, da igualdade e do trabalho solidário.

Edésio Passos é advogado, ex-deputado federal, diretor administrativo da Itaipu Binacional.

Nota de esclarecimento sobre a declaração da candidata Marina Silva no debate da Band

28 ago
marina_site
Leia a nota divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre)

Do PSTU

Diante da declaração da candidata à Presidência da República para as próximas eleições, Marina Silva, onde esta coloca o companheiro Chico Mendes junto a representantes da elite nacional, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre), legítimo representante do legado classista do companheiro Chico, vem a público manifestar-se nos seguintes termos:

Primeiramente, o companheiro Chico foi um sindicalista e não ambientalista, isso o coloca num ponto específico da luta de classes que compreendia a união dos Povos Tradicionais (Extrativistas, Indígenas, Ribeirinhos) contra a expansão pecuária e madeireira e a conseqüente devastação da Floresta. Essa visão distorcida do Chico Mendes Ambientalista foi levada para o Brasil e a outros países como forma de desqualificar e descaracterizar a classe trabalhadora do campo e fortalecer a temática capitalista ambiental que surgia.

Em segundo, os trabalhadores rurais da base territorial do Sindicato de Xapuri (Acre), não concordam com a atual política ambiental em curso no Brasil idealizada pela candidata Marina Silva enquanto Ministra do Meio Ambiente, refém de um modelo santuarista e de grandes Ong’s internacionais. Essa política prejudica a manutenção da cultura tradicional de manejo da floresta e a subsistência, e favorece empresários que, devido ao alto grau de burocratização, conseguem legalmente devastar, enquanto os habitantes das florestas cometem crimes ambientais.

Terceiro, os candidatos que compareceram ao debate estão claramente vinculados com o agronegócio e pouco preocupados com a Reforma Agrária e Conflitos Fundiários que se espalham pelo Brasil, tanto isso é verdade, que o assunto foi tratado de forma superficial. Até o momento, segundo dados da CPT, 23 lideranças camponesas foram assassinadas somente neste ano de 2014. Como também não adentraram na temática do genocídio dos povos indígenas em situação alarmante e de repercussão internacional.

Por fim, os pontos elencados, são os legados do companheiro Chico Mendes: Reforma Agrária que garanta a cultura e produção dos Trabalhadores Tradicionais e a União dos Povos da Floresta.

Xapuri, 27 de agosto de 2014

José Alves – Presidente

Waldemir Soares – Assessor Jurídico

Caravanas #DilmaDeNovo 30 e 31 de agosto

28 ago

Captura de Tela 2014-08-28 às 00.35.27

Neste fim de semana, dias 30 e 31 de agosto (sábado e domingo), vamos realizar caravanas #DilmaDeNovo nas pequenas cidades brasileiras com até 30 mil eleitores.

Confirme presença, convide os amigos e compartilhe o evento nacional no Facebook:https://www.facebook.com/events/787374121283852/

Serão caminhadas, adesivaços, carreatas, bandeiraços, panfletagens. A partir de hoje vamos começar a publicar datas, horários e locais das atividades pelo país.

Está organizando ou sabe de alguma atividade em sua cidade ou região?

Avise-nos pelo e-mail paranacomdilma@gmail.com, ou publique diretamente na postagem fixada dentro do evento no Facebook, ou ainda utilize o formulário disponível em http://paranacomdilma.com/caravanas.

Primeiras atividades já confirmadas no Paraná (agenda ainda em construção):

- Colorado (PR): Sábado (30/8), 9 horas. Carreata e adesivaço.

- Cruz Machado (PR): Sábado (30/8), 10 horas. Inauguração de comitê e panflategem; na parte da tarde se junta com caravana de União da Vitória.

- Dois Vizinhos (PR): Sábado (30/8), 9 horas. Carreata e encontros com a militância, com a presença do ministro Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário), passando pela manhã em São Jorge do Oeste (11h). Na parte da tarde, passagem da caravana pelas cidades de Verê (14h) e Coronel Vivida (16h).

- Fernandes Pinheiro (PR): Domingo (31/8), 14 horas. Carreata.

- Imbituva (PR): Sábado (30/8), 16 horas. Carreata.

- Inajá (PR): Sexta (29/8), 19h30. Adesivaço na Feira do Produtor.

- Laranjal (PR): Sábado (30/8), 9h30. Carreata e panfletagem, passando por Santa Maria do OestePalmitalRoncadorMato RicoBoa Ventura do São Roque e terminando 17 horas em Pitanga.

- Marquinho (PR): Domingo (31/8). Carreata (passando também pelas cidades de VirmondCantagaloGoioxim e terminando em Candói, onde tem festa municipal).

- Paraíso do Norte (PR): Sábado (30/8), 9 horas. Carreata com a participação da candidata ao governo do Paraná, Gleisi Hoffmann (PT), passando por TamboaraAlto ParaísoNova Esperança e chegando em Colorado por volta de 11h30.

- Paranacity (PR): Domingo (31/8), 9 horas. Caminhada na feira, seguida de adesivaço.

- Prudentópolis (PR): Sábado (30/8), 14 horas. Carreata.

- Rebouças (PR): Sábado (30/8), 9 horas. Carreata.

- Rio Azul (PR): Sábado (30/8), 11 horas. Carreata.

- Quedas do Iguaçu (PR): Sábado (30/8), 9 horas. Carreata e panfletagem (passando pelas cidades Espigão Alto do Iguaçu, Nova LaranjeirasRio Bonito do Iguaçu e Porto Barreiro).

- Teixeira Soares (PR): Domingo (31/8), 16 horas. Carreata.

- União de Vitória (PR): Sábado (30/8), 11 horas. Inauguração de comitê e adesivaço (rua Dom Pedro, II, Centro); na parte da tarde, carreata nos municípios de General CarneiroBituruna Porto Vitória.

Saudações e até a vitória!

Comitê Dilma Paraná

http://paranacomdilma.com/caravanas | http://www.facebook.com/ParanaComDilma13 | http://twitter.com/ParanaComDilma .

Marina Silva é contra o Bolsa Família

27 ago

A candidata à presidência da República, Marina Silva (PSB, ex-PT, ex-PV, futura Rede Sustentabilidade) é contrária ao Bolsa Família. Veja o vídeo acima no minuto 20’37”.

Com essa declaração realizada no Programa Roda Viva em 21.10.2013, Marina pode perder dezenas de milhões de votos.

Marina e Feliciano

Ciro Gomes diz que Marina Silva seria uma tragédia para o Brasil

27 ago

3fde2760f1b40

Vídeo: Fábio Konder Comparato fala sobre Lula e seu projeto de Constituição

27 ago

O jurista Fábio Konder Comparato critica Lula e o PT e fala sobre seu projeto de Constituição que elaborou em 1988 para o PT.

Comparato vai votar em Luciana Genro (PSOL) no primeiro turno das eleições presidenciais de 2014.

lula-e-comparato

Marina Silva foi muito mal na entrevista do Jornal Nacional da Rede Globo. Nova política?

27 ago

noar1

A candidata à presidência Marina Silva (PSB, ex-PT, ex-PV, futura Rede Sustentabilidade) foi entrevistada hoje (27) no Jornal Nacional da TV Globo por Willian Bonner e Patrícia Poeta.

Marina foi muito mal, disse que não sabia de nada sobre o uso por parte dela e do falecido Eduardo Campos (PSB) de avião (jatinho), de uma empresa laranja e que é uma suspeita de uso de Caixa 2.

Com o uso de frases feitas, estava visivelmente abatida e preocupada com essa grave denúncia.

Captura de Tela 2014-08-27 às 21.12.59

Marina também não soube responder porque ela teve uma votação tão pequena em seu estado, o Acre, nas eleições de 2010. Ela ficou apenas em terceiro lugar também nesse estado onde já foi senadora. Será que quem conhece a Marina não vota na Marina?

Marina foi grossa com a Patrícia Poeta, parecendo que o poder e a expectativa de vitória já lhe subiu a cabeça.

Marina ficou enrolando nas respostas para que os entrevistadores fizessem menos perguntas.

Marina também não soube responder sobre seu vice Beto Albuquerque (PSB), ligado aos transgênicos e agronegócio.

Marina disse ser a favor dos transgênicos, falou em coexistência. Absurdo!

Nova política? Tem cheiro de mofo!

Carlos Lacerda era nova política?

Os golpistas militares em 1964 eram a nova política?

Fernando Collor de Mello era a nova política?

Veja a entrevista, clique aqui.

Captura de Tela 2014-08-27 às 20.18.30

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 11.075 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: