Ministério Público do Trabalho questiona a Sanepar

A SANEPAR (Companhia de Saneamento do Paraná) teve que se explicar ao Procurador do Trabalho Humberto Luiz Mussi de Albuquerque, após informações que chegaram ao MPT da 9ª Região, sobre suposto e possível cometimento de prática de assédio moral por homofobia contra empregados, assim como assédio moral coletivo de um dos seus diretores em face de seus subordinados.

Foi determinado que em prazo de 60 dias a SANEPAR deveria apresentar à Procuradoria Regional medidas de prevenção e punição em caso de assédio, como informou Albuquerque: “defere-se prazo de mais 60 dias para que a empresa implemente as medidas de prevenção e punição a casos de assédio moral ocorridos no ambiente de trabalho, medidas específicas e efetivas para que doravante não mais ocorram situações como as acima relatadas”.

O SINAP (Sindicato dos Advogados do Paraná) é assistente do MPT nessa investigação.

Governo Beto Richa quer vender parte da Copel e Sanepar

Em entrevista publicada hoje no jornal Valor Econômico, Mauro Ricardo Machado da Costa, Secretario da Fazenda do Paraná, do governo Beto Richa (PSDB), disse que pretende vender parte da Copel – Companhia Paranaense de Energia e Sanepar – Companhia de Saneamento do Paraná ainda neste ano de 2015.

Para arcar com o rombo nos caixas do Estado.

 

Veja a lista de deputados estaduais que votaram pela privatização da Sanepar

untitled
Sim, pela privatização da Sanepar:
Adelino Rubeiro (PSL)
Ademar Traiano (PSDB)
Ademir Bier (PMDB)
Alceu Maron Filho (PSDB)
Alexandre Curi (PMDB)
André Bueno (PDT)
Bernardo Ribas Carli (PSDB)
Cantora Mara Lima (PSDB)
Douglas Fabricio (PPS)
Elio Rusch (DEMO)
Evandro Junior (PSDB)
Fernando Scanavaca (PDT)
Francisco Bührer (PSDB)
Hermas Brandão Junior (PSDB)
Jonas Guimarães (PMDB)
Luiz Accorsi (PSDB)
Luiz Eduardo Cheida (PMDB)
Luiz Claudio Romanelli (PMDB)
Mauro Moraes (PSDB)
Nelson Garcia (PSDB)
Nelson Justus (DEMO)
Ney Leprevost (PSD)
Osmar Bertoldi (DEMO)
Pedro Lupion (DEMO)
Plauto Miró (DEMO)
Rasca Rodrigues (PV)
Rose Litro (PSDB
Stephanes Junior (PMDB)
Teruo Kato (PMDB)
Valdir Rossoni (PSDB
Wilson Quinteiro (PSB)

Não
Anibelli Neto (PMDB)
Elton Velter (PT)
Enio Verri (PT)
Gilberto Ribeiro (PSB
Luciana Rafagnin (PT
Marla Tureck (PSD)
Nelson Luersen (PDT)
Pastor Edson Praczyk (PRB)
Péricles de Mello (PT)
Professor Lemos (PT)
Roberto Aciolli (PV)
Tadeu Veneri (PT
Tercilio Turini (PPS)
Toninho Wandscheer (PT
Waldyr Pugliesi (PMDB)

Não votaram

Artagão Junior (PMDB)
Caito Quintana (PMDB)
Clainton Kielse (PMDB)
Dr. Batista (PMN)
Duílio Genari (PP)
Gilson de Souza (PSC
Nereu Moura (PMDB)
Paranhos (PSC)

Prefeitura de Londrina já havia multado a Sanepar por poluição em rios

Ainda sobre o escândalo “SaneparGate”. O próprio site da Sanepar já informava que até a Prefeitura de Londrina aplicou multa de R$ 45 milhões contra a Sanepar por supostas emissões de efluentes sem tratamento em dois ribeirões do município. Como o mundo dá voltas. O então diretor jurídico da Sanepar, de confiança de Beto Richa, era Ramon de Medeiros Nogueira, o atual advogado de Luciano Ducci (PSB) que entrou com a representação na Justiça Eleitoral com o pedido de censura de enquetes e a multa de R$ 106 mil contra o Blog do Tarso.

Todos “juntos”!

Veja a matéria da Sanepar: Continuar lendo

Sanepar: confio no delegado da Polícia Federal, Rubens Lopes da Silva. Não confio em Beto Richa!

Rubens Lopes da Silva, delegado da Polícia Federal

Você confía em Beto Richa? Eu não.

O governador do Paraná Beto Richa (PSDB) disse hoje que desconfia da operação da Polícia Federal sobre a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).

E vejam uma piada pronta: as declarações de Richa contra a PF foram dadas em evento comemorativo ao Dia da Árvore, no Palácio Iguaçu, após plantar uma muda de peroba nos jardins do palácio. É muita cara-de-pau!

Ontem a PF divulgou que a “Operação Água Grande – Iguaçu” apontou o esgoto despejado no Rio Iguaçu não é tratado, por mais que a Sanepar cobre pelo serviço. O delegado Rubens Lopes da Silva classificou a Sanepar como “a maior poluidora do Rio Iguaçu” e como uma “empresa de fachada”. A PF vai indiciar 30 gestores da empresa por estelionato.

Rubens estudou comigo e era um dos melhores alunos da sala. Confio nele, sempre com uma atuação muito séria.

Já Beto Richa…

Gustavo Fruet denuncia: Presidente abandona Sanepar para cuidar da campanha de Luciano Ducci

No momento em que a Sanepar atravessa a maior crise institucional da sua história, o presidente da empresa, Fernando Ghignone e o membro do Conselho Administrativo, Michele Caputo estão se dedicando a campanha do candidato à reeleição, prefeito Luciano Ducci.

O diretor de Relações com Investidores, Ezequias Moreira assumiu interinamente a presidência da Sanepar na ausência de Ghignone.

“No Paraná, está se tornando comum diretores de empresas públicas, que deveriam cuidar da qualidade dos serviços prestados ao povo, se preocuparem mais com campanhas políticas”, afirma o candidato a prefeito Gustavo Fruet.

Na manhã desta quinta-feira (20), a Polícia Federal e o Ibama desencadearam a “Operação Iguaçu – Água Grande”, que aponta a Sanepar como maior poluidora do Rio Iguaçu.

De acordo com o delegado Rubens Lopes da Silva, a Sanepar “é uma empresa de fachada”, já que cobra dos usuários pelo tratamento de esgoto, mas não executa os serviços.

As investigações revelam que 20% das estações de tratamento de esgoto da companhia atuam clandestinamente: elas sequer existem juridicamente e funcionam sem licenças de operação. Segundo a PF, a companhia lança os efluentes em cursos d’água sem qualquer tratamento.

Propostas

A despoluição dos rios que cortam Curitiba é uma das prioridades do plano de governo de Gustavo Fruet.

Entre as proposta para o meio ambiente está a rediscussão do contrato firmado pelo Município com a Sanepar, a implantação do projeto de revitalização das águas dos Rios Barigui, Belém e Iguaçu, e o investimento na ampliação da rede de coleta de esgoto e fiscalização das ligações clandestinas.

“Hoje, segundo dados da própria Sanepar, a rede de esgoto não atende 90% das famílias em Curitiba. Os especialistas da área porém afirmam que o déficit da rede de esgoto é muito maior na capital. Nossa equipe tem propostas concretas para mudar esta realidade”, completa Fruet.

Mantida a greve dos trabalhadores da Sanepar, por falta de negociação. Precarização para privatizar?

O Sindicato dos Trabalhadores no Saneamento (Saemac) recebeu no fim da tarde desta terça-feira uma carta da Sanepar: “A Companhia de Saneamento do Paraná – SANEPAR, informa que diante da greve iniciada nesta data restou prejudicada a negociação relativa ao pagamento de participação nos lucros e resultados inerentes ao ano de 2011, restando, portanto, retirada toda e qualquer proposta anteriormente feita”. Com isso, os trabalhadores encontram-se sem proposta alguma com relação ao PPR e a greve em Curitiba está mantida. Os sindicatos que ainda não assinaram a proposta estarão estudando esse comportamento da Sanepar para definir de que forma poderão ser conduzidas as negociações nesse momento.

Jornal carioca diz que Beto Richa quer vender a Sanepar. Governo nega

Conforme fontes do Blog do Tarso, e noticiado em primeira mão pelo Blog do Esmael, o jornal carioca Relatório Reservado da última segunda-feira (7) informa que o governador Beto Richa (PSDB) pretende privatizar a Companhia de Saneamento do Paraná – Sanepar. O jornal trata de negócios e finanças existe há 40 anos.

Veja a matéria:

Sanepar é um rio que corre rumo à privatização

O governador Beto Richa promete tirar da gaveta uma operação que seus antecessores ensaiaram por diversas vezes, mas sempre ficaram no quase: a privatização da Sanepar. Richa pretende usar e abusar de todo o seu poder político, leia-se, sobretudo, sua notória influência sobre a Assembleia Legislativa, para promover o leilão de uma das mais cobiçadas empresas de saneamento do país. O novo projeto prevê a venda de 51% da companhia. Segundo o RR apurou junto a uma alta fonte do governo paranaense, o estado não apenas seguirá como acionista minoritário como terá uma golden share. O principal objetivo é assegurar que o novo controlador mantenha os investimentos já aprovados e preserve os contratos de concessão com os municípios de pequeno porte. Muitos destes acordos não são rentáveis para o investidor privado, mas têm expressivo valor intangível. Geram dividendos políticos dos quais Richa não pode abrir mão, sobretudo em ano de eleições municipais.

De acordo com a mesma fonte, o governo do Paraná já montou uma equipe para elaborar o modelo de privatização da empresa, formada por integrantes da Secretaria de Fazenda, da Secretaria para Assuntos Estratégicos e da própria Sanepar. A tendência é que seja adotado um critério misto para a licitação, levando em consideração não apenas a melhor oferta pela concessão, mas também o volume de investimentos na expansão da rede de tratamento de água e esgoto no Paraná. O governador Beto Richa pretende lançar o edital de privatização e iniciar o road show até agosto. O RR fez vários contatos com a Sanepar, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Se comparado a seus predecessores, Beto Richa se depara com um cenário bastante favorável para a privatização da Sanepar. O principal motivo diz respeito à trégua societária na estatal. A convivência entre o estado e os sócios privados da empresa, leiase o consórcio Dominó (Opportunity e Andrade Gutierrez), é razoavelmente pacífica, o oposto do que ocorreu durante boa parte da gestão de Roberto Requião. A própria Andrade Gutierrez já teria manifestado interesse em participar do leilão.

Rapidamente o Palácio do Iguaçu emitiu uma nota oficial desmentindo que esteja preparando a privatização da Sanepar, conforme informa Esmael Morais:

“O Governo do Paraná repudia veementemente a informação veiculada no boletim Relatório Reservado de 07 de maio de 2012, dando conta que o Estado prepara um processo para a privatização da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Trata-se de notícia inverídica, descabida e irresponsável.”

Tem gato na tuba? Onde há fumaça há fogo? Estamos de olho!

Celso Nascimento diz que governo Beto Richa acha normal a “sorte” de investidores privados da Sanepar

Os amigos Beto e Ezequias

Hoje na Gazeta do Povo

Sanepar considera normal a sorte de investidores

Esta coluna noticiou domingo que as ações da Sanepar tiveram súbita valorização e grande crescimento nos volumes negociados na Bovespa em dias que antecederam ou coincidiram com o decreto de Beto Richa que aumentou as tarifas de água e esgoto cobradas pela empresa em 16,5% – reajuste que começa a vigorar a partir de 15 de março. Gente do mercado ficou intrigada com a variação, pois não vira a publicação de “Fato Relevante” em data no mínimo simultânea com a edição do decreto. Aliás, estranharam que a valorização dos papéis da Sanepar na bolsa ocorreu antes mesmo de o decreto, assinado no dia 15 passado, ser publicamente conhecido.

Pois bem: a diretoria da empresa emitiu nota dirigida à coluna para informar que “foram cumpridas todas as exigências legais e normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM)” e que “Fato Relevante foi enviado à CVM em 16 de fevereiro e publicado, inclusive na Gazeta do Povo, no dia 17”. Diz ainda que “a valorização das ações da Sanepar nesses dias manteve-se dentro do padrão de valorização que vem sendo registrado desde que a nova diretoria da empresa assumiu, em janeiro de 2011”.

Para finalizar, a nota avisa que “a legislação prevê punições para a publicação de insinuações e notícias errôneas a respeito de empresas de capital aberto, com a possibilidade, inclusive, de indenização pecuniária para eventuais prejuizos”. Ou seja, insinua que a Sanepar está disposta a processar judicialmente o jornalista que reproduziu números e índices publicados pela Bovespa e analisou as coincidentes variações de volumes e cotações ocorridas no entorno da decretação do aumento das tarifas, assim como calculou supostos ganhos auferidos por quem teve a sorte de valorizar suas carteiras com ações da Sanepar.

Isso é indesmentível: no mês de janeiro, a média diária de negócios com papéis da Sanepar girava em torno de 28 mil ações. No dia 1.º de fevereiro, houve uma movimentação atípica: foram negociadas 457 mil ações, na cotação unitária de R$ 5,30 e em movimento de baixa de 1,85% no dia. Os adquirentes desse volume investiram, portanto, R$ 2,4 milhões. Do dia 2 em diante voltou a vigorar a modesta média diária de 28 mil ações cotadas em torno de R$ 5,50.

No dia 15, Richa assinou o decreto, publicado no Diário Oficial com data do mesmo dia mas com circulação posterior. A CVM só recebeu o “Fato Rele­­­vante” no dia seguinte, 16. Já a Bovespa reproduziu o documento no dia 17. A emissão do “Fato Relevante” é de responsabilidade da diretoria de Relações com Investidores, cujo titular é Ezequias Moreira, antigo assessor e homem de confiança do governador Beto Richa.

Nesses dias (15, 16 e 17), quando o mercado estava sendo informado em pílulas sobre o decreto de aumento da tarifa, o volume de negócios deu súbito salto: saiu da média de 28 mil ações por dia, para, em três dias, serem negociadas 470 mil ações – aliás, quase o mesmo volume daquelas aquisições feitas em 1.º de fevereiro. De 15 a 17 de fevereiro as cotações subiram daqueles R$ 5,30 iniciais para R$ 6,20 em média.

Assim, hipoteticamente – frise-se, hipoteticamente – se uma mesma pessoa que tivesse comprado as 457 mil ações por R$ 5,30 no começo do mês e as tendo vendido por R$ 6,20 entre os dias 15 e 17 teve um lucro bem razoável: R$ 433 mil em duas semanas. Pura sorte.

Enquanto Beto Richa pula o carnaval em Salvador, a Sanepar aumenta a tarifa da água em 16,5%

Apenas lembro que um dos diretores da Sanepar, que recebe mais de R$ 25 mil por mês, escolhido por Beto Richa (PSDB), é Ezequias Moreira Rodrigues (diretor de Relações com Investidores da Sanepar). Moreira é ex-chefe de gabinete de Beto Richa e esteve envolvido no escândalo que ficou conhecido como “Sogra Fantasma” (sogra de Ezequias, Verônica Durau, recebeu salários da Assembleia Legislativa sem trabalhar durante 11 anos).

Veja matéria sobre o aumento da Sanepar no Blog do Esmael.

Beto e Ezequias

Denúncia contra os altos salários dos aspones comissionados da Sanepar

Vídeo postado no youtube, promovendo protesto (com humor) dos 150 cargos comissionados com altíssimos salários na Sanepar, sem concurso público, sem conhecimento nenhum, e com mesas vazias, desmotivando todo o corpo funcional (que funciona) da empresa.

TRT decide que Beto Richa não pode mais privatizar/terceirizar alguns serviços da Sanepar

Sanepar não pode mais terceirizar alguns serviços

Do Blog da Joice

A Sanepar não pode mais terceirizar alguns serviços de manutenção ou expansão de redes. A determinação é da Justiça do Trabalho do Paraná, que fixou ainda prazo de dois anos para que a empresa contrate funcionários para diversas atividades. No entendimento do TRT, a Sanepar não pode terceirizar serviços de manutenção e expansão de ramais de água, esgoto sanitário, ligações prediais de água e esgoto ou adequação operacional. A Companhia de Saneamento do Paraná informou que ainda não foi notificada da decisão da justiça. Após o encerramento do prazo, se a empresa não cumprir a determinação, será multada em 10 mil reais por empregado em situação irregular.

Blog do Esmael denuncia uma farra dos comissionados do Governo Beto Richa na Sanepar

Governador Beto Richa e o diretor-presidente da Sanepar, Fernando Ghignone. Foto: Orlando Kissner/AENotícias

Por Esmael Morais

Na sede da Sanepar, no bairro Rebouças, há uma inusitada falta de mesas para funcionários comissionados. Segundo uma fonte do blog, até um esquema de rodízio foi criado na empresa para abrigar tanta gente. Quem vai pela manhã não precisa voltar à tarde, e vice-versa.