Sabatinas dos candidatos ao governo na Rede Mercosul/Record News Paraná

parana-candidatos

A Rede Mercosul/Record News Paraná está recebendo os oito candidatos ao governo do Estado do Paraná nas sabatinas que se iniciaram ontem e seguem até o dia 27. A transmissão é ao vivo, às 19h, e tem duração de uma hora.

A ordem de sabatina, definida em sorteio, é:

18/08 (ontem) – Ogier Buchi (PRP)

19/08 – Beto Richa (Coligação Todos Pelo Paraná)

20/08 – Tulio Bandeira (PTC)

21/08 – Bernardo Pilotto (PSOL)

22/08 – Geonísio Marinho (PRTB)

25/08 – Roberto Requião (Coligação Paraná com Governo)

26/08 – Rodrigo Tomazini (PSTU)

27/08 – Gleisi Hoffmann (Coligação Paraná Olhando para Frente)

As entrevistas serão individuais, em rede estadual de televisão e via internet, pelo endereço www.redemercosul.com.br e pelo site www.vanguardapolitica.com.br. A apresentação será feita pela diretora de jornalismo da Rede Mercosul, Ligia Gabrielli, pelo colunista da Rede, Eduardo Simões, e conta com a participação dos jornalistas de política Roger Pereira e Elizabete Castro, do portal Vanguarda Política.

A Rede Mercosul foi inaugurada em abril de 2002. Ela concentra esforços para relatar os acontecimentos importantes para a população. As coberturas jornalísticas das eleições são exemplo disso. É a primeira emissora do Estado a acompanhar, em tempo real, tudo que acontece no contexto político nos dias decisivos e nas votações. Em dezembro de 2012, tornou-se afiliada à Rede Record News.

Líder de audiência entre as emissoras de notícias, a Record News veio somar qualidade à programação jornalística regional. O conteúdo produzido no Paraná tem destaque em todo Brasil e o foco da rede é o noticiário regional. O telejornal diário, Mercosul News, é exibido há dez anos, tendo ampla densidade entre o público. Atualmente em horário nobre, às 18 horas, antecipa aos paranaenses um resumo dos assuntos importantes.

A Rede Mercosul/Record News PR é sintonizada em UHF analógico no canal 21 em Curitiba e região metropolitana e no digital por meio do canal 22, Digital – canal 21.1 UHF – canal 21, NET – canal 14,Vivo – canal 21 e GVT – canal 321.

Sua área de cobertura estende-se pelas principais cidades do Estado do Paraná, levando seu sinal para mais de 7 milhões de pessoas, que podem acompanhar sua programação através da rede de retransmissoras instaladas no interior e por meio das principais operadoras de TV a Cabo presentes no Estado.

Mais informações: www.redermercosul.com.br e siga-nos no facebook:www.facebook.com/recordnewspr .

Emocionante o primeiro programa de Dilma na TV

Foi emocionante o primeiro programa eleitoral da presidenta Dilma Rousseff (PT) na televisão. Para quem acredita na política, para quem acredita que o Estado pode acabar com a miséria e reduzir as desigualdades, para quem participa da Democracia e da República sem interesses egoísticos, o programa foi marcante.

Sim, às vezes pareço ter o coração de pedra, mas me emocionei com o programa e meus olhos ficaram marejados.

Boa sorte Dilma!

Captura de Tela 2014-08-19 às 14.35.09

Direita? Esquerda? Diagrama de Nolan da Gazeta do Povo tem falhas

Os dois são de centro?

Os dois são de centro?

As posições políticas são direita e esquerda, com as variações entre extrema-direita, direita, centro-direita, centro, centro-esquerda, esquerda e extrema-esquerda.

Me considero entre a esquerda e a centro-esquerda.

O cientista político estadunidense David Nolan era contrário à divisão apenas entre esquerda e direita, e inventou ainda os termos estadista e libertário, e se considerava um libertário.

A ideia é responder perguntas que vão apontar se a pessoa é de esquerda (defesa de restrições na economia e liberdade individual), centro (equilíbrio entre intervenção e liberação), direita (não intervenção econômica e controle da liberdade individual), estadista (restrição nos dois campos) ou libertário (liberdade nos dois campos).

No meu teste deu esquerda (na primeira tentativa deu centrista), mas entendo que o Diagrama de Nolan tem falhas, inconsistências e imprecisões. Já havia feito uma análise nas eleições municipais de 2012, quando na época fiz o teste e deu centrista (clique aqui).

Vamos analisar as perguntas?

São cinco perguntas sobre questões sociais (liberdades individuais) e cinco sobre questões econômicas.

1ª pergunta: O governo deve ter maneiras de controlar o conteúdo exibido na imprensa e na internet?

A resposta não pode ser apenas “discordo”, “talvez” e “concordo”.

O governo não deve controlar nem a internet nem a imprensa, mas é claro que o Estado pode. TV e rádio no Brasil são serviços públicos e o Estado deve regular esses serviços nos termos da Constituição.

A internet deve ser livre, mas é claro que abusos devem ser controlados posteriormente pelo Estado, principalmente pelo Poder Judiciário.

2ª pergunta: O alistamento militar deve ser obrigatório?

É claro que não deve.

3ª pergunta: Deve ser feita uma seleçao de estrangeiros que desejam morar no Brasil?

Óbvio que não. O mundo não pode ter fronteiras físicas, deve existir a livre circulação de pessoas.

4ª pergunta: A produção, a comercialização e o uso de drogas devem ser combatidos?

Pergunta equivocada. Entendo que ser de esquerda é ser contra a criminalização da produção, comercialização e uso de drogas. Mas é óbvio que o uso não deve ser estimulado, podendo existir restrições na propaganda e venda para crianças e adolescentes.

5ª pergunta: Deve haver cotas para o serviço público e universidades?

Óbvio que ser de esquerda é ser favorável às cotas, para reduzir as desigualdades sociais e raciais. Como é claro que apenas essa política não basta e devem existir outras mais efetivas, como ensino público, estatal, gratuito, universal e de qualidade para todos.

6ª pergunta: O governo pode cobrar altos impostos se os serviços prestados forem adequados.

Ser de esquerda é defender os impostos, mas que essas verbas sejam justamente distribuídas. Claro que se um dia atingíssemos uma igualdade material o Estado e os impostos não seriam mais necessários. Note-se que não é o governo que cobra impostos, mas o Estado, pela Administração Pública.

7ª pergunta: Deve haver salário mínimo determinado pelo governo?

Óbvio que sim, pela dignidade da pessoa humana o Estado deve fixar uma renda mínima a ser garantida pelo próprio Estado e pela iniciativa privada.

8ª pergunta: O governo deve resgatar empresas em dificuldade financeira?

Em princípio não, mas a pergunta é complexa. Ser de esquerda pode ser defender a ajuda a micro-empresas.

9ª pergunta: O governo deve criar agências para regular o setor privado?

Talvez a pergunta mais equivocada de todas. É claro que é ser de esquerda querer que o Estado regule o setor privado. Mas não pelas agências reguladoras criadas pelos neoliberais-gerenciais, com o intuito de retirar o poder na democracia de regular e repassar para entidades independentes do governo, que acabam sendo capturadas pelo grande capital, atuando no interesse do mercado financeiro.

10ª pergunta: O governo deve usar os impostos para fazer distribuição de renda?

Óbvio que sim, é uma obrigação constitucional. Por isso que muitos neoliberais de direita são contrários à Constituição Social, Republicana e Democrática de Direito de 1988.

Meus candidatos a deputado federal André Vieira, Paulo Salamuni, foram considerados de esquerda.

Mas vejam os absurdos: Reinhold Stephanes, Rubens Bueno e Sandro Alex foram considerados equivocadamente como de esquerda.

Meus candidatos a deputado estadual Professora Josete, Tadeu Veneri, Toni Reis e Xênia Melo  foram considerados de esquerda.

Mas há absurdos: Douglas Fabrício e Felipe Francischini de esquerda?

Candidatos que eu recomendo o voto para governador Bernardo Pilotto e Rodrigo Tomazini são corretamente de esquerda.

Entre os candidatos a deputado federal estatista está a correta Dr.ª Clair.

Mas há absurdos entre os estatistas: Luiz Carlos Hauly, Ricardo Barros, entre outros.

Outros absurdos entre candidatos a deputado federal: Professora Marlei e Ulisses Kaniak, claramente de esquerda, juntos com o direitista Delegado Francischini entre os candidatos de centro.

Os candidatos ao senado Alvaro Dias, Marcelo Almeida e Ricardo Gomyde são todos de centro, segundo o diagrama.

Os candidatos ao governo Beto Richa e Roberto Requião são de centro segundo o diagrama, o que é um equívoco total.

Gleisi Hoffmann não foi avaliada, nem os principais candidatos à presidência.

Faça o seu teste e confira seus candidatos, clique aqui.