Diário de Motociclista: Curitiba – São Paulo – Angra dos Reis – Paraty – Ubatuba

Eu em Paraty

Julho de 2021

Como eu tinha um compromisso profissional em Angra dos Reis no meio da semana, resolvi, ao invés de ir de avião, ônibus, carro ou BlaBlaCar, ir com a minha moto Triumph Bonneville T100 Black. E não me arrependi! Foi demais!

Eu ia sair de Curitiba numa segunda-feira pela manhã mas, por motivos profissionais, saí às 17h e fui para São Paulo à noite. Por mais que seja uma estrada segura, o mais perigoso são caminhões a mais de 100km, uma irresponsabilidade. Boas paradas no caminho, principalmente em Registro, mas chegando perto da capital as paradas são péssimas. Cheguei bem em São Paulo, onde dormi.

Pretinha em Sampa
Avenida Paulista e MASP

Na terça-feira pela manhã saí pela Dutra com destino a Angra dos Reis, uma estrada ótima e com paradas bem legais, inclusive uma com Starbucks. Há vários caminhos para Angra, mas resolvi fazer o mais rápido na ida. Na Dutra, virando à direita para Angra, a estrada é uma graça! Túneis antigos e paisagens lindas são paradas obrigatórias. Mas vá devagar, a estrada é sinuosa e sem pista dupla. De terça para quarta dormi em Angra.

Caminho da Dutra até Angra
Caminho da Dutra até Angra
Caminho da Dutra até Angra
Caminho da Dutra até Angra
Eu no caminho da Dutra até Angra
Angra dos Reis

Resolvi meus problemas profissionais na quarta-feira em Angra, e já peguei a estrada para Paraty pela tarde, pela Rio-Santos. Estrada maravilhosa! Passei pelas Usinas Nucleares de Angra I, II e III, onde há um belo mirante e parada para um cafezinho gratuito, com ótimo atendimento e explicações sobre as Usinas.

Eu em Paraty
Paraty

Paraty é uma cidade maravilhosa! Fazia mais de 30 anos que eu não ia lá, quando fui com a minha família, com o meu pai ainda vivo. Passei a noite lá e na quinta-feira parti para São Paulo passando por Ubatuba. Ubatuba também é maravilhosa, era o meu destino na infância e na adolescência, com suas mais de 70 belas praias. Ubatuba-capital fui pela Tamoios, também uma bela estrada para motociclistas. Eu ia dormir em São Paulo, para descansar, mas por motivos profissionais toquei direto, após fazer algumas paradas na capital onde nasci e vivi minha infância.

Eu aos pés do Pico do Corcovado, em Ubatuba/SP

Cheguei em Curitiba já na madrugada de quinta para sexta, com chuva e frio, mas com a sensação de dever (e prazer) cumprido. Foram exatos 1.676 km percorridos em quatro dias. Inesquecível! Até a próxima!

Quilometragem final da viagem