Lógica da saúde privada: “dá mais lucro tratar de câncer do que de crianças”

20101013120828-medicinaprivada-0

Reportagem de hoje da Folha de S. Paulo mostra que os prontos-socorros infantis dos hospitais privados de São Paulo vivem um caos, com recepções lotadas, pacientes irritados e longas esperas.

Mais uma prova de que não adianta privatizar a saúde, pois a saída é o aumento de investimentos públicos na área.

Em hospitais privados as crianças esperam em média duas horas pela consulta com pediatra, podendo chegar a seis horas. Para internação a criança pode demorar até três dias para obter uma vaga, inclusive em UTIs.

Essa é a realidade de quem tem convênio privado em São Paulo. Pessoas que provavelmente até pouco tempo defendiam a privatização da saúde, por terem garantidos seus convênios, mas que agora são tratados como gado pelo sistema privado.

O Tribunal de Contas de São Paulo já chegou a conclusão que a privatização da saúde faz com que a qualidade dos serviços caia e os custos aumentem.

Os planos de saúde pagam pouco aos médicos. A saída? Estatização da saúde, com salários dignos para todos. Quer ficar milionário? Vá ser empresário, jogador de futebol, pastor, cantor de sertanejo universitário, e não médico ou profissional da saúde.

O presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Eduardo da Silva Vaz, disse para a Folha que “os hospitais estão fechando leitos de pediatria porque atender criança não dá lucro“.  Wagner Marujo, diretor-superintendente do hospital Sabará, especializado em pediatria, diz que como as crianças geralmente precisam de poucos exames, “Dá mais lucro tratar de câncer.” Um absurdo!

Essa é a ideia da iniciativa privado: lucro a todo o custo. Se o hospital fosse público, com um controle social efetivo, não estaria buscando o lucro mas sim o bem de todos.

Enquanto isso governos neoliberais estão privatizando hospitais públicos por meio de organizações sociais – OS, para fugirem de concursos públicos, licitações e limites de gastos com pessoal.

Vamos respeitar a Constituição? Saúde é um dever do Estado e deve ser prestada por ele, como regra, e apenas excepcionalmente pela iniciativa privada.

Hoje a APP Sindicato inicia a Semana Nacional em Defesa da Educação Pública

APP Sindicato hoje. Foto de Tarso Cabral Violin

APP Sindicato hoje. Foto de Tarso Cabral Violin

Acabou de ocorrer a abertura oficial da 14ª Semana Nacional em Defesa da Educação Pública do Paraná, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Em todo país, entre os dias 22 e 25 de abril, educadores(as) realizarão atividades com foco na valorização da Educação em seus diversos âmbitos.

No Paraná, a abertura da Semana ocorreu na APP-Sindicato com uma reunião com os deputados federais André Vargas (PT) e Doutor Rosinha (PT) e com os deputados estaduais Luciana Rafagnin (PT) e Professor Lemos (PT), que junto com a categoria, discutiram o Piso Salarial Nacional (PSNP) e as pautas de reivindicação estadual e federal. A presidenta da APP, professora Marlei Fernandes de Carvalho, convida aos profissionais da educação, entidades sindicais e comunidade para participarem do calendário de atividades estaduais da Semana Nacional em Defesa da Educação: “Em 2013 o tema das mobilizações da Semana em todo país é  ‘Educação Pública, eu apoio’ e a APP integra essa grande campanha que busca mostrar para os nossos  governantes e para toda sociedade as necessidades da Educação Pública. É um momento importante para a categoria mostrar a sua força e organização”.