No PT do Paraná tem muita gente boa, uns nem tanto

2hhf2mf

O Partido dos Trabalhadores mudou o Brasil para melhor. Lula foi o melhor presidente do país de todos os tempos, e a presidenta Dilma Rousseff caminha para a sua reeleição para continuar levando a nação para o desenvolvimento econômico e social, de forma sustentável, diminuindo as desigualdades sociais.

E o PT é ainda o grande partido de centro-esquerda do Brasil, é democrático se comparado aos demais partidos, e continuará por muito tempo fazendo parte de governos populares.

Mas é claro que o PT está longe de ser perfeito.

É claro que também existem e existiram corruptos no PT, como infelizmente há também no PSDB, DEM, PTB, PP, PR, PMDB, PSD, PPS, PSB, Solidariedade, PDT, PSC, PRTB, entre outros.

No PT do Paraná existe muita gente boa, de alto nível ético, grandes políticos, como Tadeu Veneri, Edésio Passos, Dr. Rosinha, André Passos, Professora Josete, Mirian Gonçalves, Gleisi Hoffmann, Jonny Stica, Luciana Rafagnin, Professora Marlei, André Vieira, Jorge Samek, Ulisses Kaniak, Angelo Vanhoni, Cláudio Ribeiro, Anísio Garcez Homem, Roberto Elias Salomão, entre vários outros não citados mas com igual relevância.

Infelizmente o presidente do PT estadual, atual deputado estadual Ênio Verri e candidato a deputado federal, no meu entendimento não entra nessa lista.

Como deputado estadual Verri votou no ex-deputado Fábio Camargo (PTB) para o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Paraná e foi responsável por sua eleição, depois suspensa pela Justiça. Isso é GRAVÍSSIMO!

Ênio declarou para o TRE-PR ter R$ 100 mil em dinheiro.

Foi o segundo deputado estadual que mais faltou sem justificativas entre 2011-2014 (33). Segundo deputado estadual que mais faltou entre 2011-2014 (124 faltas).

Oitavo deputado estadual que mais faltou entre 2011-2014 (78 faltas).

Gastou dinheiro público em outdoors, desde o início de 2014 (R$ 8,4 mil). Em matéria na Gazeta do Povo, segundo o sociólogo da Universidade Norte do Paraná (Unopar) Marco Antônio Rossi, o uso de recurso público para promoção social pode configurar improbidade administrativa. Ele entende que em ano eleitoral é uso abusivo, claramente eleitoreiro, a intenção não seria prestar contas, mas sim ganhar visibilidade.

Verri recebeu doações de empresas investigadas na Operação Lava Jato da Polícia Federal no esquema de lavagem de dinheiro que teria desviado R$ 10 bilhões. Ênio Verri recebeu R$ 95 mil da empreiteira Andrade Gutierrez, citada na investigação. A doação veio por meio do diretório estadual do PT.

Por isso é que deputados éticos como Tadeu Veneri, assim como outros candidatos do partido não recebem dinheiro de empresas, mas apenas de pessoas físicas, de militantes.

No dia em que eu não acreditar em mais ninguém dentro do partido, estará na hora de mudar para um partido mais a esquerda, já existente ou a ser criado.

Posse da nova direção do PT do Paraná ocorrerá amanhã

O PT-PR pretende eleger Gleisi Hoffmann governadora e ajudar a reeleger Dilma como presidenta

O PT-PR pretende eleger Gleisi Hoffmann governadora e ajudar a reeleger Dilma Rousseff como presidenta da República

O Partido dos Trabalhadores do Paraná realiza amanhã (7) a posse do presidente reeleito do partido, deputado estadual Enio Verri, além das novas composições da Executiva e do Diretório Estadual. A solenidade de posse da nova direção do PT-PR ocorre a partir das 9 horas, na sede do Diretório Estadual, em Curitiba. 

Toda a militância está convidada para participar do evento que irá marcar o início da gestão 2014/2017 do PT paranaense.

PED – Verri foi reeleito presidente estadual do PT nas eleições internas de novembro com 9.423 votos (72,20% dos votos válidos). Em segundo lugar ficou o candidato Dr. Rosinha, com 2.373 votos (18,18%), seguido de Ulisses Kaniak, com 825 votos (6,32%) e Roberto Elias Salomão, com 430 votos (3,29%).

Na disputa para a formação do Diretório e da Executiva, a chapa “O Partido que Muda o Brasil” foi a mais votada, com 9.435 votos (74,09%). Em segundo lugar ficou a chapa “Mensagem ao Partido”, com 1.906 votos (14,97%); seguida pela “Luta Socialista”, com 999 votos (7,85%) e “Constituinte, Terra, Trabalho e Soberania”, com 394 votos (3,09%). Houve 1.203 votos em branco e 169 nulos.

Segundo a Comissão de Organização Eleitoral (COE) do PT-PR, a composição do novo Diretório Estadual será realizada da seguinte forma: 2 representantes da chapa “Constituinte, Terra, Trabalho e Soberania”; 5 da chapa “Luta Socialista”; 9 da chapa “Mensagem ao Partido” e 44 representantes da chapa “O Partido que Muda o Brasil”, totalizando 60 membros.

Já a nova Executiva do PT-PR, formada por 20 membros, será composta por 1 representante da chapa “Constituinte, Terra, Trabalho e Soberania”; 1 da chapa “Luta Socialista”; 3 da chapa “Mensagem ao Partido” e 15 representantes da chapa “O Partido que Muda o Brasil”.

Serviço:

Posse das novas Executiva e Diretório Estadual do PT-PR
Quando: 7 de dezembro (sábado)
Horário: 9 horas
Local: Sede do PT-PR – Alameda Princesa Isabel, 160, São Francisco – Curitiba

Janio de Freitas diz que eleição no PT foi apenas para cumprir tabela

Rui Falcão e Enio Verri, reeleitos presidentes do PT Nacional e Estadual do Paraná

Rui Falcão e Enio Verri, reeleitos presidentes do PT Nacional e Estadual do Paraná

De Janio de Freitas, colunista político na Folha de S. Paulo de hoje

O miserê da política brasileira exposto em um só acontecimento, a eleição de novos/velhos dirigentes do PT. Um ato que mostrou a mesma coisa por diferentes maneiras: o PT, que foi a organização mais parecida com um partido programático no pós-ditadura, não tem mais absolutamente nada a dizer. O que está evidenciado tanto na tranquila continuidade do imobilismo, como na ausência de ao menos uma palavrinha nova e interessante até entre os derrotados, que deveriam ser contestadores.

Lula ilustrou bem o que é o PT atual, ao pedir que o outrora partido da juventude saia à caça de jovens. Com que ideias, com que ação política que não seja a mera prestação de serviço ao governo? Silêncio.

Como se diz no futebol, a eleição no PT foi só para cumprir tabela.

“Votei e não tenho vergonha”

Enio Verri, deputado estadual. Foto de Antônio More / Gazeta do Povo

Enio Verri, deputado estadual. Foto de Antônio More / Gazeta do Povo

Notas Políticas no Caderno Vida Pública da Gazeta do Povo de hoje, p. 14

“Votei e não tenho vergonha”

No primeiro debate entre os candidatos à presidência estadual do PT, na sexta-feira, em Curitiba, o deputado estadual Enio Verri admitiu ter votado no ex-deputado Fabio Camargo na eleição para conselheiro do Tribunal de Contas (TC). “Votei e não tenho vergonha. A minha intenção ao escolhê-lo era desestruturar o governador Beto Richa, que queria colocar o Plauto Miró no TC”, disse. A declaração foi dada por Verri ao ser questionado pelo advogado Tarso Cabral Violin, filiado ao PT, por que não votou nele na eleição ao TC. Violin concorreu ao cargo hoje ocupado por Fabio Camargo. Verri disse que, além de boa formação, tem mestrado, doutorado e conhecimento suficiente para votar em quem quiser.

Ênio Verri (PT) está disparado na frente em Maringá

A primeira pesquisa Ibope/RPCTV mostra o deputado estadual Ênio Verri (PT) disparado na frente com 31% dos votos. Isso mostra a força de Verri, da presidenta Dilma Rousseff, do ex-presidente Lula e da senadora e atual Ministra Gleisi Hoffmann na bela cidade.

Os demais candidatos apoiados pelo governador Beto Richa (PSDB) vão mal. Carlos Roberto Pupin (PP) tem 26%, depois Dr. Batista (PMN) com 12%, Wilson Quinteiro (PSB) com 6%, e Maria Iraclezia (DEM) com 4%. Voto branco ou nulo somam 7% e 12% não souberam responder ou não opinaram. A margem de erro é de quatro pontos.

A maior rejeição é de Pupin (PP) com 20%, depois Débora Paiva (PSOL) com 17%, Verri com 13%, Batista e Hércules Ananias (PSDC) com 12%, Alberto Abraão (PV) com 11%, Maria Iraclézia com 10% e Quinteiro com 7%.

Foram ouvidos 602 maringaenses entre 25 e 27 de agosto. Pesquisa registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) sob o número 00081/2012.

Pesquisa em Maringá: hoje seria 2º turno entre Dr. Batista (PMN) e Ênio Verri (PT)

Ênio Verri e o rejeitado Ricardo Barros

Em pesquisa publicada ontem na Gazeta do Povo, os deputados Dr. Batista (PMN) com 23,7% e Ênio Verri (PT) com 21.1% iriam para o segundo turno na eleição para prefeito de Maringá, segundo a Paraná Pesquisas. Ênio Verri é o líder entre os maringaenses com ensino médio (23,6%) e superior (25%), perdendo apenas entre os que têm apenas o ensino fundamental.

A pesquisa também aponta que ninguém vai querer o apoio do Secretário da Indústria e Comércio de Beto Richa, Ricardo Barros (PP, ex-ARENA e PDS), que tem o maior índice de rejeição entre possíveis apoiadores, pois 26,6% dos maringaenses não votariam em alguém apoiado por Ricardo Barros.

A Ministra Gleisi Hoffmann (PT) tem um potencial de transferência de votos maior do que do governador Beto Richa em Maringá (35% X 34%).