Ibope admitiu, em 2012, sérios erros nas pesquisas de importantes capitais

Para Márcia Cavallari, diretora-executiva do instituto, “pesquisa não é infalível”

Há pouco menos de dois anos, a diretora-executiva do Ibope Inteligência, Márcia Cavallari, admitiu em entrevista exclusiva ao Congresso em Foco, que o Instituto cometeu sérios erros nas pesquisas de, pelo menos três capitais: Salvador, Curitiba e Manaus.

Márcia reconheceu que houve erro na seleção da amostragem inclusive para pesquisa boca de urna. “Algumas pesquisas vão ficar fora da margem de erro. Não tem jeito”, afirmou a executiva.

Em levantamento, o Congresso em Foco mostrou que, das onze capitais que foram pesquisadas, houve erro na pesquisa de boca de urna em oito, considerada a margem de erro.

Em Curitiba, a pesquisa Ibope indicava segundo turno entre Ratinho Júnior (PSC) e Luciano Ducci (PSB). Ducci acabou superado por Gustavo Fruet (PDT) por uma diferença de nada menos do que 4 mil votos.

Na capital da Bahia, Salvador, a disputa também foi acirrada, mas ACM Neto (DEM) ficou à frente de Nelson Pelegrino (PT), ao contrário do que mostrava o instituto. Já na capital amazonense, não houve divergência quanto à colocação dos dois candidatos que avançaram ao segundo turno. Mas a votação atribuída a Vanessa Grazziotin (PCdoB) foi superestimada.

“Em Curitiba, não conseguimos apontar o segundo candidato, porque não captamos a velocidade de recuperação dele. A gente ficou um ponto fora da margem de erro”, disse Márcia. E acrescentou: “Pesquisa não é infalível”.

GRANDES EQUÍVOCOS DO IBOPE NA ÚLTIMA ELEIÇÃO

SÃO PAULO

O Ibope apontou um triplo empate com 26% dos votos válidos. No primeiro turno, no entanto, Celso Russomanno (PRB) ficou com 21,6%; Fernando Haddad (PT), com 28,98%, e José Serra (PSDB), com 30,75% dos válidos.

MANAUS

O Ibope apontou um empate entre Arthur Virgílio (34%), do PSDB, e Vanessa Grazziotin (32%), do PCdoB. A margem de erro era de três pontos para mais ou para menos. O Ibope não acertou nem o terceiro colocado. A comunista teve nove pontos a menos do mínimo que lhe atribuía o instituto. Virgílio teve 3,55 a mais do que o máximo. Havia uma diferença de 20,6 pontos onde o Ibope dizia haver apenas dois

SALVADOR

Segundo o Ibope, Nelson Pelegrino, do PT, teria 43% das intenções de voto — podendo, então, variar de 40% a 46%, segundo a margem de erro. Ele obteve 39,73% — abaixo da margem mínima. ACM Neto, do DEM, aparecia no Ibope com 36% — pela margem, entre 33% e 39%. Mas ficou com 40,17%, mais de um ponto acima da margem máxima.  O erro do Ibope foi de 7,44 pontos.

PORTO ALEGRE

José Fortunatti (PDT) teria, segundo a pesquisa, no máximo, 60% dos votos. Ele ficou com 65,22%. Já Manuela Dávila (PCdoB), teria um mínimo de 28%. Ela obteve nas urnas apenas 17,76%.

CURITIBA
Ratinho Júnior (PSC) teria um mínimo de 35 pontos, mas ele ficou com 34,09% praticamente um ponto abaixo da margem de erro. Gustavo Fruet (PDT), que aparecia com um máximo de 24, conseguiu, de fato, 27,22% e foi para o segundo turno, onde, segundo o Ibope, estaria o então candidato à reeleição Luciano Ducci (PSB).

Anúncios

2 comentários sobre “Ibope admitiu, em 2012, sérios erros nas pesquisas de importantes capitais

  1. Pingback: bope admitiu, em 2012, sérios erros nas pesquisas de importantes capitais | MANHAS & MANHÃS
  2. Pingback: Quando não eram compradas Beto Richa censurou pesquisas desfavoráveis em 2010 | MANHAS & MANHÃS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s